Conheça o 4017 (ART062)

Este artigo não é novo, mas sua atualidade se manterá por muito tempo, o que jusitifica o fato dele ser um dos mais acessados desse site. De fato, o circuito integrado 4017 é um dos mais importantes da família CMOS pela quantidade de aplicações que ele encontra. Neste artigo analisamos de forma detalhada seu princípio de funcioamento e mostramos como usá´-lo de diversas formas. Um importante artigo que serve como aula, material de consulta ou mesmo apostila para cursos técnicos e de iniciação tecnológica. Enfim, um artigo que todo praticante da eletrônica deve ter.

Introdução
Um dos componentes mais usados em projetos de todos os tipos é o circuito integrado 4017. Este circuito integrado CMOS pode ser usado como seqüenciador, temporizador, e em sistemas de automação de pequeno porte além da codificação em controle remoto. Dada a quantidade de pedidos de leitores que desejam saber tudo sobre este componente, preparamos este interessante artigo que procura desvendar os principais segredos do 4017. Para obter a folha de dados (datasheet) do 4017 clique aqui.


Não á limite para o que pode ser feito com o circuito integrado 4017. Podemos fazê-lo contar até qualquer número entre 2 e 9 e cascateando diversos deles podemos ir além. Podemos usá-lo em temporização, codificação, para gerar formas de ondas, efeitos de luz e som e muito mais. Tudo isso justifica a freqüência com que o leitor encontra projetos que se baseiam neste circuito integrado. Usar o circuito 4017 é simples, e uma vez que o leitor domine esta técnica, poderá fazer seus próprios projetos usando este componente. Assim, nas linhas seguintes vamos mostrar como funciona o 4017 e como podemos usá-lo de diversas maneiras.

O Circuito Integrado 4017
O circuito integrado 4017 pertence a família lógica CMOS em que os componentes podem funcionar com tensões de 3 a 15 Volts e possuem características que permitem sua interligação direta e com outros componentes como o 555. No 4017 encontramos um contador/decodificador Johnson com uma entrada e 10 saídas, conforme mostra o diagrama de blocos da figura 1.

Figura 1 – Diagrama de blocos do circuito integrado 4017. Observe que ele possui uma entrada e dez saídas.


Conforme podemos ver, ele é formado por 5 etapas que podem fazer a divisão de um sinal retangular por valores entre 2 e 9. O 4017 é fornecido em invólucro DIL de 16 pinos com a disposição de terminais mostrada na figura 2.

Figura 2 – Invólucro e pinagem da versão DIL, que é a mais comum para aplicações práticas.


Na operação normal, os pinos 13 e 15 são aterrados e pulsos retangulares são aplicados ao pino de entrada (14). Conforme podemos ver então pelo diagrama de tempos mostrado na figura 3, partindo da condição em que a saída S0 se encontrada no nível alto, e as demais no nível baixo, ocorre o seguinte: a cada pulso aplicado, a saída que está no nível alto passa ao nível baixo e a seguinte passa ao nível alto.

Figura 3 – Diagrama de tempos do 4017. Observe os níveis lógicos das saídas.


O processo ocorre até se chegar à última saída. Com um novo pulso, essa saída vai ao nível baixo e a primeira vai ao nível alto, recomeçando o processo. Podemos ressetar a contagem do 4017 levando por um instante o pino 13 ao nível alto. Uma forma de se fazer com que o 4017 sempre parta do zero, com a primeira saída no nível alto é com um circuito de “reset ao ligar” conforme mostra a figura 4. Este circuito também é denominado POR (Power-On Reset).



Figura 4 – Circuito de “reset ao ligar” ou power-on reset (POR) para o 4017.


Os circuitos integrados 4017 podem ser cascateados de modo a se obter a divisão por 10,100, 1000, etc., conforme mostra a figura 5.



Figura 5 – “Cascateando” circuitos integrados 4017.


Mas, podemos programar o 4017 para fazer contagens menores que até 10. Para isso, basta ligar o pino imediatamente posterior ao número que desejamos contar à entrada de reset, conforme mostra a figura 6.



Figura 6 – Contando até n (n até 10)


Por exemplo, se desejarmos contar até 4, com a ativação de uma saída de 4 em seqüência, basta ligar a quinta saída ao pino de reset. Se desejarmos contar até n (n menor que 10) basta ligar o pino posterior a n no reset (15).

Características elétricas
As características elétricas são dadas pela seguinte tabela:
 

Característica

Condições (Vcc)

Valor

Unidades

Corrente drenada/fornecida (tip)

5 V

10 V

15 V

0,88

2,25

8,8

mA

mA

mA

Freqüência máxima de clock (tip)

5 V

10 V

15 V

2

5

6

MHz

MHz

MHz

Corrente quiescente (max)

5 V

10 V

15 V

0,3

0,5

1,0

mA

mA

mA

Faixa de Tensões de alimentação

3 a 15

 

V



Conforme podemos ver, o tipo de saída usada neste circuito integrado permite que ele tenha a mesma capacidade de drenar ou fornecer correntes a uma carga. Como nas aplicações normais, a corrente máxima que ele pode fornecer é pequena é comum fazermos uso de etapas de potência para excitar cargas de maior consumo.

Na figura 7 temos alguns tipos de etapas que podem ser usadas com o 4017.



Figura 7 – Algumas etapas de potência para excitar cargas de correntes elevadas.


Em (a) temos a excitação no nível alto com um transistor NPN para cargas até 100 mA. Para a excitação no nível baixo, temos o circuito com transistor PNP mostrado em (b). Desejando excitar cargas de maior potência temos em (c) uma versão que faz uso de um transistor Darlington NPN. Esta versão é excitada com a saída no nível alto. Para excitar cargas no nível baixo, temos o uso de um Darlington PNP, conforme mostrado em (d). Em (e) temos a possibilidade de se usar um par complementar de transistores comuns para excitar cargas com altas correntes no nível alto. A configuração equivalente para excitar no nível baixo é mostrada na figura (f). Também podemos excitar SCRs (g) e Power MOSFETs conforme mostrado na mesma figura em (h).
Para excitar a entrada de um 4017 também temos várias possibilidades mostradas na figura 8.

Figura 8 – Gerando pulsos para excitar o circuito integrado 4017. A frequência máxima depende do componente utilizado e deve ser menor do que a máxima admitida pelo 4017.

A primeira faz uso do conhecido circuito integrado 555 que é totalmente compatível com o 4017, conforme podemos observar. A segunda faz uso de um oscilador ou outro circuito de porta com o circuito integrado 4093. Outras funções CMOS podem ser usadas com a mesma finalidade. Ao excitar um 4017, entretanto devemos ter em mente que o sinal deve ser perfeitamente retangular livre de repique (oscilações) que podem falsear a contagem.

Aplicações:
Damos, a seguir, alguns circuitos práticos com base no 4017.


a)Seqüencial de 10 LEDs
Na figura 9 temos um circuito seqüencial que aciona 10 LEDs numa velocidade que pode ser ajustada no potenciômetro P1 e que depende basicamente do capacitor C1.

Figura 9 – Sequencial de 10 LEDs. Podemos usar menos LEDs usando a técnica de contagem até n da figura 6.


O resistor comum ao catodo de todos os LEDs tem por finalidade limitar a corrente no circuito. Para acionamento de cargas de potência podemos interfacear com transistores ou mesmo SCRs, como mostra a figura 10.



Figura 10 – Excitando transistores de média potência ou SCRs.

Observe que no caso dos SCRs eles possuem um terra comum ao circuito de alta e baixa freqüência. Isso é absolutamente necessário ao
disparo. Uma possibilidade a ser considerada para excitar cargas de boa potência com transistores é a utilização de Darlingtons. No caso do TIP121 , que substituiria o BD135 podemos aumentar o resistor de base de 1 k apara 4k7.

b)Seqüencial de 4 LEDs
Para acionamento de 4 LEDs num sistema seqüencial temos o circuito da figura 11.

Figura 11 – Sequencial de 4 LEDs usando a técnica da contagem até n da figura 6.


Também podemos acionar cargas de maior potência com transistores e SCRs como na versão anterior. Uma variação interessante para os dois circuitos consiste em se fazer um “sorteador” de números. Na figura 12 mostramos como habilitar o 555 de modo que ele gere um trem de pulsos e assim, no final do processo, apenas um LED fique aceso.

Figura 12 – Circuito que gera um trem de pulsos aleatório. Ideal para aplicações em jogos.


c)Apagamento Seqüencial
Um outro circuito interessante que pode ser elaborado com base num 4017 é o que faz o apagamento seqüencial de LEDs e que é mostrado na figura 13.

Figura 13 – Circuito de apagamento sequencial, ou um de quatro apagado.

              
d)Caixa de Música
A figura 14 mostra um circuito de uma caixa de música eletrônica em que 10 notas musicais são executadas seqüencialmente pelo 4017 quando o 555 é habilitado.



Figura 14 – Caixa de música de 10 notas. Cada uma ajustada no trimpot correspondente.


A programação das notas é feita nos trimpots junto às saídas do 4017. A nota central vai depender do capacitor do oscilador com dois transistores, o qual pode ser alterado numa ampla faixa de valores.
A velocidade com que as notas são executadas é ajustada no trimpot do 555.

e)Controle Lógico Programável (CLP)
A automação de pequenos dispositivos pode ser realizada com base num 4017 com o circuito da figura 15.

Figura 15 – Um CLP (Controlador Lógico Programável) ou PLC (Programmed Logic Controllet) usando o 4017.


Neste circuito, quando uma saída vai ao nível alto, se houver um diodo ligado nesta saída, na matriz de controle, ele ativa a saída correspondente. Combinando diodos podemos fazer com que as saídas sejam levadas à níveis de acionamento seqüencial diferentes, controlando assim um sistema de automação externo. A seqüência e o que vai ser acionado depende apenas da imaginação do leitor”abrir uma porta, acender uma luz por um tempo um pouco maior, no final do processo tocar uma campainha e depois fechar novamente a porta é um exemplo de aplicação que pode ser feita com a matriz de programação mostrada na figura 16.

Figura 16 – Simulador de presença com 4017.


A duração total do ciclo vai depender apenas do ajuste de P1 no oscilador com o 555 que é responsável pela temporização.

f)Sintetizador de forma de onda
Terminamos nossa série de circuitos práticos com um sintetizador de forma de onda que pode ser usado em instrumentos musicais e em geradores de efeitos. A freqüência do sinal de saída do circuito da figura 17 é a freqüência do oscilador com o 555 dividida por 10.

Figura 17 – Sintetizador de forma de onda.


O filtro RC de saída aplaina o sinal de modo a se obter uma forma de onda suave.

Conclusão
As aplicações que vimos para o 4017 são apenas algumas das milhares que já publicamos e vimos em outras publicações.  Partindo das características desse componente não há limite para que o leitor pode fazer.

Artigos Relacionados

Buscar Componentes

Informativo Mensal

 Para se manter atualizado com nossas novidades e notícias, Siga-nos pelo:
Twitter
Facebook
Linkedin

ou torne-se membro de nosso grupo:
Google Group 
Yahoo Group


Noite
A noite foi feita para podermos refletir no que fizemos durante o dia.
Leão de Módena (citado em Words of the EWise de Reven Alcalay)

Instituto Newton C Braga - 2014 - Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site
+conexões

Seja mais um amigo facebook
Siga-me twitter
Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)