O Site do Hardware Livre - OSHW

Professor Ventura em: O Oscilador desintérico

Dizem que os circuitos eletrônicos podem fazer tudo. No entanto, quando são usados para criar efeitos especiais as consequências podem ser inesperadas. Ultrassons causam mal estar nos ratos e alguns outros animais afugentando-os; sons musicais são agradáveis aos nossos ouvidos, e existem até sons de baixas frequêcias que causam náuseas sendo capazes de abalar as fundações de prédios! O chamado ruído marrom (ver no final do texto explicação) é um exemplo de som que pode ter efeitos desastrosos sobre o organismo humano. Na tentativa de espantar pássaros da praça principal da cidade, o Professor Ventura, Beto e Cleto foram além, utilizando os fabulosos recursos da eletrônica, e com isso acabaram por criar estranhos batimentos ultrassônicos. A partir do seu potente oscilador foram geradas vibrações sonoras com efeitos orgânicos inesperados responsáveis por uma enorme confusão! Esta estória narra o que aconteceu quando o Oscilador Disentérico do Professor Ventura entrou em ação na praça principal da cidade.

Era uma comitiva que deixava o laboratório do Professor Ventura, e na frente ía o prefeito em pessoa! Beto e Cleto, que estavam chegando, estranharam o fato, se bem que o domínio da eletrônica e as "maravilhas da eletrônica e da informática" do velho mestre já tinham trazido muitas pessoas importantes ao seu laboratório. Tão logo a comitiva se afastou, Beto e Cleto, que apenas observavam do lado de fora, foram chamados para o interior do laboratório pelo próprio Professor Ventura.

 

As  estranhas vibrações produzidas pelo oscilador do Professor Ventura estavam afetando a todos, inclusive o prefeito que suava muito durante seu discurso.

 

Era uma comitiva que deixava o laboratório do Professor Ventura, e na frente ía o prefeito em pessoa! Beto e Cleto, que estavam chegando, estranharam o fato, se bem que o domínio da eletrônica e as "maravilhas da eletrônica e da informática" do velho mestre já tinham trazido muitas pessoas importantes ao seu laboratório. Tão logo a comitiva se afastou, Beto e Cleto, que apenas observavam do lado de fora, foram chamados para o interior do laboratório pelo próprio Professor Ventura.

- Estão curiosos para saber o que houve, certo?

- Nem tenha dúvidas quanto a isso! - comentou Beto, enquanto entrava - Tem certeza que podemos saber do que se trata, ou é algum segredo de estado?

O Professor, que raramente tinha segredos com os rapazes, os tranquilizou:

- Vocês sabem que não guardo nenhum segredo para vocês, e como se trata de algo que envolve eletrônica e computadores, vocês não só podem: devem saber! Mais do que isso: devem me ajudar!...

Beto e Cleto não falaram mais nada! Se acomodaram na velha poltrona no fundo do laboratório para ouvir o Professor:

- Realmente fui procurado pelo prefeito. Ele disse que tem um problema e que só eu posso resolver!...

- Legal! Certamente um problema que só pode ser resolvido com ajuda da eletrônica!... - interrompeu Cleto.

O Professor não deu sinais de ânimo. Fez uma pausa e continuou:

- O problema não é eletrônico ou mecatrônico, mas a solução pode estar nestas ciências. Eu explico: vocês sabem que um dos poucos problemas de Brederópolis, nossa pacata cidade, é a praça central. Ela sempre foi um lugar muito agradável para se passear à noite, onde os jovens iam para a tradicional "paquera" e os mais velhos "curtiam" a bandinha que tocava no coreto, ou simplesmente iam para espairecer. Era nosso ponto de encontro até a chegada dos pássaros!...

Beto foi quem interrompeu:

- Sim, as malditas andorinhas que aos milhares resolveram fazer das árvores da praça seu dormitório!...

Era realmente um problema. Depois que as andorinhas chegaram, além do barulho enorme ao anoitecer, quando aos bandos elas rodeavam as árvores para se aninhar, havia o problema da sujeira. As avezinhas faziam suas necessidades em pleno vôo ou dos galhos em que se acomodavam de modo a ficar impossível passar por perto das árvores, ou mesmo pela praça depois do crepúsculo sem ser atingido!

- O prefeito nunca quis cortar as árvores!... - Continuou o Professor - No que eu lhe dou razão! Afinal seria um crime ecológico, e o problema continuou com reclamações de todos até que na semana passada ele perdeu a paciência!

- O que houve?

- Fazendo mais uma inspeção, para ver a sujeira que ficava no chão da praça depois que as andorinhas se aninhavam, e que os limpadores da prefeitura não davam conta, o nosso querido "preboste" levou um belo "splash" na sua luminosa careca!...

Beto e Cleto riram, imaginando a cena em que o prefeito deixava apressadamente a praça, limpando a cabeça com um lenço e lembraram também o título que lhe tinham dado!
"Preboste!" Na verdade, este era o nome que se dava antigamente aos magistrados militares e caracterizava os altos funcionários senhoriais, alguma coisa como um prefeito dos "velhos tempos", segundo o bom "Aurélio"... A "pose" do prefeito logo fez com que um maldoso adversário político, que também era Professor de português, lhe desse o título, que logo "pegou"! A palavra era utilizada com duplo sentido divertindo a população, principalmente os adversários políticos.

- Não tinha nada que estar "prebostando" sem guarda-chuva! - comentou, bem humorado, Cleto, não querendo interromper o Professor Ventura.

- Depois disso, vocês sabem: ele me procurou pedindo uma solução "indolor" para as andorinhas, ou seja, algum "dispositivo eletrônico" que as impeça simplesmente de se aninhar nas árvores da praça, mas sem causar qualquer mal as avezinhas e muito menos "mexer" com a ira dos ecologistas!... O prefeito é do tipo que acredita que tecnologia eletrônica e os computadores são a solução para tudo! Vocês sabem!... E daí, têm alguma idéia?

O problema estava claro. Os três se colocaram a pensar.

- Que tal um espantalho eletrônico? Uma enorme estátua mecatrônica com um microcontrolador programado para agitar os braços gritando com voz sintetizada ao entardecer? Evitaria a aproximação dos pássaros! Podíamos fazê-la com a cara enfurecida de nosso querido Preb... - A idéia de Cleto não teve aceitação por motivos óbvios e ele foi interrompido.

- ...Tem de ser algo invisível, que só perturbe as aves, mas sem afetar o visual da praça ou a presença de humanos! Sabendo como é a língua de nossos cidadãos e o oportunismo dos inimigos políticos do prefeito, tenho certeza que mil e uma piadas ou comentários maldosos iam surgir em torno de tal espantalho, ou de qualquer coisa visível!...

- Algo assim como um "campo de força" criado por um circuito que evitasse a aproximação das andorinhas!... - acostumado com os "games" do PC Cleto fazia algumas fantasias sobre formas de energia que nem sequer sabemos se existem, quanto mais mais como produzir!

O Professor negou a possibilidade de aproveitar a sugestão de Cleto, mas isso lhe deu o caminho para uma solução:

- Acho que você me deu uma idéia para solucionar o problema! - O Professor disse isso levantando-se e indo ao quadro negro. Era o sinal de que ele tinha encontrado alguma coisa.

O Professor Ventura fez então uma pergunta técnica:

- O que é que perturba certos animais pequenos e que nós não podemos ouvir?

- Ultrassons! - A resposta foi imediata, pois eles mesmos já haviam trabalhado em projetos de espantalhos eletrônicos e lido bastante em revistas especializadas.

- Isso mesmo! Vocês sabem que as frequências acima de 16 000 ou 18 000 Hertz não nos afetam, pois não podemos ouví-las, se bem que existam pessoas que sintam sensações estranhas em sua presença, mas incomodam deveras os roedores!

Instalando potentes emissores de ultrassons em silos e depósitos de alimentos, é possível manter esses animais afastados!...
Mas, Beto tinha dúvidas sobre o efeito em andorinhas, por isso perguntou:

- Mas, Professor? Será que teremos o mesmo resultado em pássaros?

O Professor não tinha muitas dúvidas:

- Pelo que li, algumas espécies de pássaros realmente podem ser incomodados pela presença de ultrassons, e que a modulação pode ajudar nisso. Aplicam-se sinais de áudio de baixas frequências sobre sinais de altas frequências (inaudíveis) como forma de modulação de frequência ou amplitude, e os resultados obtidos têm sido interessantes... Nos Estados Unidos existem localidades com problemas de pássaros que possuem viaturas equipadas com potentes alto-falantes. Sua finalidade é justamente fazer barulho para espantá-los. Vi isso num documentário...

O professor continuou:

- No documentário foi até mostrada uma praça de uma cidade com potentes alto-falantes que emitiam sons de sirene ou buzinas na hora em que os pássaros tentavam se aninhar nas árvores. Existem até estes recursos em aeroportos, para espantar os pássaros que são um perigo para as aeronaves, pois podem ser puxadas pelas turbinas dos aviões, causando sérios acidentes.

Mas era a possibilidade se se usar "vibrações" produzidas eletronicamente que animava Cleto:

- Ultrassons modulados em frequência e amplitude! Taí uma solução nova e totalmente eletrônica! Além disso não incomodariam as pessoas como uma sirene, pois não seriam ouvidos!

- E como saber se isso funcionaria aqui? - peguntou Cleto.

- Acho que no nosso caso, o único jeito de saber se dá resultados, é experimentar, mas para isso precisamos ter um plano e falar com o preboste, digo o prefeito, que deve autorizar a experiência...
Não foi preciso dizer que Beto e Cleto ajudaram o Professor Ventura na elaboração de um projeto de "espantalho eletrônico".

A ideia era simples e relativamente barata: indo a praça eles encontraram quatro locais em que poderiam instalar potentes "tweeters" (alto-falantes de agudos ou altas frequências) que seriam ligados a amplificadores. Os amplificadores receberiam sinais processados a partir de um oscilador controlado por um microcontrolador. O oscilador geraria sinais de ultrassons dentro de um padrão a ser estudado. Certamente, não seriam simples ultrassons, já que o Professor Ventura tinha uma teoria de que eles deveriam ser combinados de uma forma complexa, que realmente sensibilizasse as andorinhas. Os tweeters cobririam toda a praça "enchendo-a" com ultrassons modulados que só os pássaros ouviriam e que os incomodariam evitando sua aproximação. Seria como um "campo de força ultrassônico" invisível capaz de atuar somente sobre os pássaros. Com isso, eles deveriam procurar outros lugares para passar à noite, atendendo às reclamações de todos:

- Com tantos bosques para aninhar fora da cidade, esses diabinhos tinham de "azucrinar" logo a nossa praça!...

O sistema incluindo um microcontrolador com uma placa de potência, contendo osciladores e etapas de saída além de um amplificador de alta potência, não tinha nada de anormal para os "experts" em eletrônica como Beto e Cleto. Na verdade, eles já possuiam prontos estes equipamentos em seu laboratório, pois eram de uso comuns, em outras aplicações, é claro! Afinal estavam numa escola de técnica de eletrônica e informática!
O professor Ventura passou todo um fim de semana com os rapazes desenvolvendo um programa para o microcontrolador capaz de criar ultrassons com modulação de caracteristicas especiais que pudesse ter efeitos sobre os pássaros.
Antes de entrar na execução de seu projeto, o professor Ventura chamou Beto e Cleto para uma verdadeira aula sobre sons e sua reprodução.
Pedindo explicações específicas sobre o que seria feito no caso das andorinhas, Beto e Cleto foram prontamente atendidos pelo Professor Ventura.

- É apenas uma teoria minha! - explicou o Professor Ventura, enquanto trabalhava - Acho que devemos modular os ultrassons com padrões de baixas frequências que tenham algo a ver com o piar das andorinhas. Vou usar um microcontrolador para comandar osciladores de baixas frequências que produzam sinais que, combinados com os sinais gerados por osciladores de altas frequências, resultem nas vibrações que desejamos.

- Minha teoria é que sobrepondo aos ultrassons uma modulação que "lembre" os pios das andorinhas, mesmo que não sejam audíveis elas podem ter algum efeito repulsivo.

- Bem "bolado"!

Mas, não era só isso:

- Para ter um controle total sobre estes sons, mesmo que para reprodução não precisemos, em princ¡pio, do microcontrolador, ainda assim vamos usar um computador em mais uma aplicação.

O computador seria conectado a uma interface de controle e aquisição de dados com um programa apropriado. Ele teria outras finalidades como, por exemplo, ligar o circuito pouco antes do anoitecer a partir dos sinais de um foto-sensor, quando as andorinhas se reuniam na praça e ficava acionado até pouco mais das 9 horas da noite, quando então desligava automaticamente. Além disso, ele serviria para ajustar o volume e a própria distribuição do som pelos canais de reprodução na praça, tudo isso a partir de um ponto chave na praça que seria a "central de controle".
Os primeiros testes com o equipamento no laboratório foram interessantes, mas como não foi possível contar com toda a potência e uma andorinha para "contar o que estava sentindo", só havia um meio de saber se tudo funcionava: testar na praça em condições reais!
O Professor Ventura colocou tudo isso no papel de forma resumida levando o plano ao prefeito que o aprovou imediatamente, mais levado pela fama da competência do velho mestre, do que por entender alguma coisa do que ele explicou! É claro que diante de um plano tão elaborado o prefeito entusiasmado não deixou de fazer promessas de político:

- Se você conseguir nos livrar daquelas "pestes" eu lhe ergo uma estátua na praça!

O Professor torceu o nariz e modestamente agradeceu:

- Obrigado!

No fundo ele imaginou como seria ridículo a estátua de quem se livrou de um "monte" de andorinhas que sujavam a praça, cheia de pombos que faziam exatamente a mesma coisa...
A montagem do sistema de "espantalhos" não foi difícil e segundo com alguns testes adicionais de laboratório com maior potência foi constatado que realmente nada se ouvia, se bem que uma certa sensação desagradável foi notada pelo Professor Ventura, Beto e Cleto! No entanto, entusiasmados com o equipamento, ninguém comentou nada, pensando que se tratava de um mal estar natural devido ao calor e à comida pesada que haviam ingerido... Um grande erro que eles lamentariam depois!
A instalação na praça também não trouxe maiores problemas, já que a prefeitura cedeu alguns funcionários e escadas que ajudaram a posicionar os potentes tweeters em postes de iluminação, devidamente protegidos contra o sol e a chuva. Foram quatro os pontos de emissão, todos ligados a uma central de controle e geração de ultrassons com um grande amplificador de 2000 watts, ou Oscilador Ultrassônico do Professor Ventura, como passou a ser chamado.

- Muito cuidado com esse equipamento! - recomendava o Professor, quando o posicionaram em local de onde deveria sair a alimentação da rede de energia.

No final do dia o equipamento estava pronto para ser experimentado. A notícia da instalação do oscilador do professor se espalhou logo e todos na cidade estavam ansiosos pelos resultados! No entanto, mesmo no dia da prova, ninguém estava animado para ir até a praça. Por medida de precaução ficariam em casa, como sempre desde que as andorinhas chegaram, para não levarem nenhum "splash"! Não estava nos planos de ninguém sujar a roupa ou mesmo a cabeça!
Depois do Professor Ventura, Beto e Cleto, certamente o prefeito era a pessoa mais ansiosa da cidade. Se ele conseguisse expulsar as aves sem nenhum dano que provocasse a ira dos "eco-chatos", como ele os chamava, poderia colher muitos dividendos políticos!...
No dia seguinte à instalação, estava tudo pronto para o teste de funcionamento!
Apenas o Professor Ventura, Beto e Cleto foram para a praça perto do crepúsculo, e mesmo assim prevenidos com capas e guarda-chuvas! Os primeiros bandos de aves já  começavam a rodear a praça fazendo com que as poucas pessoas que estavam na rua se recolhessem. Como sempre fazia, desde que as andorinhas viraram praga, o comércio fechou as portas antes do horário normal.

- Agora! - foi o que o Professor disse ao acionar o equipamento.

Vibrações inaudíveis numa potência que gradulamente chegou aos os 2000 watts, controladas pelo microcontrolador, invadiram o espaço e seus efeitos começaram a se fazer sentir! Muitas andorinhas que já estavam pousadas nas árvores da praça levantaram vôo! Pareciam assustadas! Os bandos que ainda estavam rodeando a praça pareciam cada vez mais agitados, com vôos rasantes que, no entanto, a cada volta passavam mais longe das árvores. Era um comportamento anormal mas que indicava que o sistema estava tendo algum efeito!

- Está fazendo efeito! - gritou Beto diante do enorme barulho que as aves faziam.

- É verdade! Parece que funciona! - comentou o Professor orgulhoso no teclado de controle do sistema.

Pouco a pouco os bandos de andorinhas foram se afastando e meia hora depois, com um pouco de claridade ainda presente, a praça estava vazia! Nenhuma andorinha para sujar ninguém, nem nada! Era um milagre!
O Professor, Beto e Cleto festejavam ao mesmo tempo que algumas pessoas que se mantinham cautelosas nas casas vizinhas, vendo o "milagre" saíram para a praça para festejar!...
A alegria era geral, "hurras e vivas" por toda a praça e até o prefeito que aguardava notícias ansiosamente, veio pessoalmente cumprimentar o Professor Ventura.

- Isso merece uma homenagem especial ao nosso "libertador"! - informou orgulhoso o prefeito – Amanhã entregaremos novamente esta praça ao nosso querido povo com uma recompensa especial ao Professor Ventura, com banda de música e tudo!...

Em meio aos aplausos o Professor Ventura sentiu aquele leve "mal estar" estranho de novo, mas atribuiu isso a notícia da "homenagem", que o deixava normalmente tenso e acabrunhado, já que sua modéstia impedia de gostar disso. No entanto, o que ele não sabia ‚ que outras pessoas, sem comentar nada, inclusive Beto e Cleto, também sentiram o leve "mal estar"...
Como o efeito esperado sobre as andorinhas já tinha ocorrido e já era noite, o oscilador e o computador, com a aparelhagem complementar, foram levados a um nível de potência mais baixo e finalmente desligados. Afinal as andorinhas já deviam ter encontrado outro lugar para dormir!...

Era um dia muito importante para Epaminondas Portentoso. Com esse nome, ele não poderia ter outra atividade, além de ser o barbeiro da cidade, que não fosse a de "tocador de tuba" da banda municipal, a "gloriosa Corporação Musical de Brederópolis"! Baixinho e gordo, bigodinho fino e negro, cabelo repartido ao meio, nosso personagem tinha um pulmão de aço e era, com orgulho, o mais "potente" tocador de tuba de todas as bandas da região! (ou das bandas daquelas bandas, como queiram...)
Depois de tantos anos sem tocar no velho coreto da praça, pois as andorinhas não deixavam, ele poderia finalmente "desenferrujar" seu adorado instrumento! Passou a manhã inteira lustrando-o enquanto que Dona Pafúncia, sua dedicada esposa, tratou com muito carinho de seu uniforme branco com as insignias douradas da corporação e mais divisas e galões que o de um "general"!
O prefeito, por sua vez testava a garganta, decorando os principais trechos de seu discurso.
Enquanto isso, os funcionários da prefeitura davam um "tratamento de beleza" na praça central, que abandonada por muito tempo, com a sujeira das andorinhas acumulada, estava em estado lamentável!
O Professor Ventura teria de ir para receber as homenagens, mesmo não gostando da idéia. Mas, o que o preocupava, e ele confessou a Beto e Cleto não era isso:

- Essas vibrações ultrassônicas deram um bom resultado ontem, mas isso pode não ser definitivo! Sabemos muito pouco sobre seus efeitos para poder dizer que temos a solução final!

- O senhor quer dizer que podem existir efeitos colaterais? - perguntou Beto.

- Sim, na verdade na grande intensidade que as estamos usando, sim! Acredito que pode até haver algum tipo de efeito sobre as pessoas, e eu gostaria de saber mais sobre essa possibilidade! Devo confessar que nos testes que fizemos senti algo esquisito, e não sei dizer se eram consequência das "empadinhas" do bar do "Seu Manoel", ou se poderia ser efeito do aparelho!...

Beto e Cleto, preocupados, perceberam então que havia algo de anormal nas "vibrações" ultrassônicas. Os rapazes engoliram em sêco e comentaram em uníssono:

- Nós também!... E não comemos as empadinhas do Seu Manoel!...

Os três se entreolharam preocupados!... Mas, não havia nada o que pudesse ser feito agora para uma eventual comprovação! Faltavam apenas algumas horas para a festa, e antes disso o aparelho seria ligado mais uma vez!...

- Vamos deixar as preocupações para depois! Se sentirem algo de anormal, me avisem!...

O que eles não sabiam ‚ que sentiriam (e como sentiriam!), só que não haveria tempo para avisar!...

Ao entardecer, alguns pequenos bandos de andorinhas ainda rondavam a praça, mas o equipamento foi ligado no horário previsto, e aos poucos as aves foram abandonando o local. Pela primeira vez as pessoas podiam passear naquela praça, naquele horário, sem levar seu "splash" tão incômodo!
Pouco antes das sete horas, a praça estava lotada. Praticamente toda a cidade estava presente, pronta para ouvir o prefeito que chegou pomposamente num carro oficial acompanhado da comitiva: vereadores, secretários, assessores, candidatos a cargos públicos, etc. Foram todos para o palanque junto ao coreto, onde a banda atacava seus "dobrados e marchas" regida impecavelmente pelo "maestro" Zequinha.
Epaminondas estava orgulhoso! Foco da atenção de muitos admiradores, demonstrava isso com a força e concentração com que tocava sua tuba!
Terminada a série de músicas que distraia o público até o grande momento, o prefeito iniciou seu longo discurso. O Professor Ventura, convidado a ficar do lado do "preboste", estava encabulado com os elogios...
O que todos não sabiam entretanto é que as vibrações que haviam afugentado os pássaros estavam fazendo um "serviço" lento porém eficiente, mas agora nas pessoas! Estudos haviam mostrado que vibrações de muito-baixas frequências, ou infrassons, abaixo dos 16 Hz causam uma sensação de mal-estar e até provocam vómitos e descontrole intestinal. É o chamado ruído marrom (brown noise), numa alusão da cor das fezes humanas. Por outro lado, vibrações ultrassônicas, acima de 18 000 Hz causam sensações de desconforto e tontura!
No entanto, o que ninguém sabia é o que ocorre quando essas duas formas de vibrações são combinadas, e o Professor Ventura estava fazendo uso da combinação de não apenas duas delas, mas de muitas! E de uma forma totalmente imprevisível!
O complicado equipamento do professor havia trabalhado muito bem com os sinais ultrassônicos, sinais combinados de infrassons e até gravações feitas por Beto e Cleto.

- Vai ser o máximo! Trabalho com os dois canais e os efeitos se multiplicam! - havia comentado o professor quando elaborou o projeto.

Vibrações de baixas frequências modulavam as de altas frequências de um canal gerando batimentos que por sua vez se misturavam com as oscilações dos outros canais do poderoso sistema de som que já tinham seus batimentos e com isso eram gerados novos batimentos! Um padrão extremamente complexo de vibrações foi criado tomando conta da praça e invadindo os organismos das pessoas! Tudo isso não podia ser ouvido, mas estava sendo sentido: primeiro como um leve desconforto, depois mal estar, fazendo um serviço perigoso, nos organismos das pessoas. Penetrando imperceptivelmente nas vísceras de suas "vítimas", estas vibrações, iam minando os organismos com consequências imprevisíveis.
Algumas pessoas sentiram isso, e mais uma vez a culpa foi atribuída a alguma coisa que haviam comido:

- Acho que foram os bolinhos... - comentava seu Bonifácio, falando no ouvido de sua mulher, que também estava "esquisita".

- Não como mais feijoada no almoço e no jantar! - comentava Mário para seu amigo Joaquim que também estava se sentido estranho.

Neste ponto, o prefeito terminava seu discurso, e de uma forma que demonstrava que algo de anormal estava ocorrendo também com ele, pois suava intensamente e seu rosto estava vermelho como um pimentão!...
A banda começou então a tocar mais uma marcha de John Philip Sousa... E os ultrassons modulados pareciam acompanhá-la, agitando de uma forma sinistra as entranhas de todos! As estranhas vibrações do equipamento do Professor Ventura foram penetrando mais e mais nas pessoas e o desconforto começou aumentar, aumentar, aumentar!... Agora ele estava perfeitamente localizado: os intestinos!... Algum teórico de software poderia dizer que estava ocorrendo uma "digitalização da digestão" enquanto que um teórico de hardware poderia dizer que "os bytes estavam se fluidificando nas proximidades da porta paralela"!
Mas, justamente o primeiro a ser mais seriamente afetado foi o Epaminondas. Fazendo um esforço maior para tocar sua tuba, era lógico que qualquer desequilíbrio orgânico tivesse efeitos multiplicados!
Beto, que estava perto da banda, foi quem primeiro observou o estranho comportamento do músico:

- Inicialmente o rosto do Epaminondas ficou vermelho como um tomate maduro. Depois de algum tempo estava totalmente verde!... - Beto posteriormente ainda comentou:

- Parecia um televisor em cores com problemas na etapa de croma! O vermelho (R) já tinha aparecido, depois surgiu o verde (G). Só faltava o azul (B) para termos um bom padrão RGB de calibração! - Beto fazia referência as cores-padrão dos televisores em cores que são abreviadas justamente por R de red (vermelho), G de green (verde) e B de blue (azul), observação típica de quem pensa a maior parte do tempo em eletrônica!...

Mas o efeito final não era só o mal estar... Com as vibrações tomando conta dos organismos de todos que estavam na praça as coisas foram se complicando...
O Professor Ventura, que também estava se sentindo esquisito, percebeu logo qual era a origem do problema, mas na posição em que estava não tinha meios de fazer alguma coisa. Tentou ainda fazer um sinal para Cleto no sentido de desligar o equipamento o mais rapidamente possível. No entanto o estado de Cleto impediu que ele raciocinasse: o rapaz já estava mal!
Chegou então a hora do último acorde, e a tuba tinha um papel importante naquela música, produzindo um "fa" mais baixo e mais forte! Mas o pobre Epaminondas não estava bem:
Já tonto de mal-estar, ele chegou ao limite; ficou azul, conforme Beto narrou depois, e reunindo todas as forças que ainda tinha, para não errar justamente naquela nota final, juntou os olhos e soprou! Isso foi demais: o esforço foi excessivo e, em lugar da forte nota final sair por cima, como era de se esperar, o que saiu foi por baixo, e não era uma nota musical!

- Deletou! - foi o comentário posterior de alguém ligado à informática, referindo-se ao fato.

- Os bits fluidificados encontraram a porta paralela! - comentaria um teórico de hardware.

O cheiro imediatamente se espalhou na forma de uma "onda de choque" e funcionou com um catalisador! As pessoas que já não estavam bem, afetadas pelas estranhas vibrações, inclusive o Professor Ventura, não conseguiram mais segurar a causa do desconforto e, diante do impacto o desastre foi geral!... Foi uma reação em cadeia muito mais poderosa que uma explosão atômica!... Muito pior do que o que se apregoa para o ruído marrom, o descontrole intestinal foi total.

- Começo a imaginar como se sentiu o pessoal em Hiroshima! - comentava alguém com cara feia, quando as coisas se acalmaram.

Epaminondas agora amarelo de vergonha, com as calças borradas, colocou a tuba debaixo dos braços e sumiu correndo o mais que podia!
O afetado seguinte foi o prefeito! Ainda com o microfone na mão, ele não conseguiu se segurar ao receber a "onda de choque" e desastre foi visto por todos!...
Alguém menos afetado na multidão ainda conseguiu reagir diante da cena inusitada gritando:

- Ih! O preboste "prebostou"!...

Não houve tempo para risos, porque o efeito explosivo das vibrações se propagava tomando conta da multidão!...
Os outros músicos da banda, a multidão e as autoridades do palanque entraram em pânico tentando sair dali o mais rápido possível, mas como o chão já estava sujo, como resultado do descontrole, os tombos foram inevitáveis... A "prebostagem" foi geral! Confusão, mal cheiro, sujeira e pânico! O prefeito tentou ainda decretar estado de "calamidade pública" enquanto conseguia segurar o microfone na mão, mas a situação incômoda em estava o impediu! Sua primeira reação depois disso foi fugir mas na saída do palanque, foi empurrado escada abaixo pelo vereador Toninho que, em pânico, passava tão mal que seu bigode normalmente curvado para baixo, estava torcido!... O resto veio como uma onda: a comitiva praticamente passou por cima do prefeito e se dispersou pelas ruas que davam na praça! O prefeito, no estado lastimável que estava, teve de ir a pé para casa!
A confusão durou pouco tempo, pois ninguém ficou no local para socorrer os "mortos e feridos" que, nestas alturas, estavam querendo mais é sair dali! Mas os resultados foram sentidos durante semanas! Sem pássaros e sem gente, a praça ficou completamente vazia, e muito mais suja do que antes, quando quem "prebostava" eram somente as andorinhas!
As pessoas se dispersaram, procurando cada uma chegar o mais rápido possível a sua casa e a um banheiro. O Professor Ventura teve ainda tempo de desligar o equipamento e percebendo o perigo que corria, desapareceu! Beto e Cleto também perceberam que era melhor sair da cidade por um bom tempo!
Quanto ao equipamento ele foi posteriormente "desinstalado" e por ordem superior, com escolta da guarda municipal e sob o olhar severo do prefeito, foi enterrado em local seguro!
No final da cerimônia populares mais exaltados, que carregavam cartazes com frases como "Abaixo a Eletrônica", "Abaixo a Disenteria Informatizada" ou "Fora com o tal de Hardware", "Lacrem as Portas Seriais!", aplaudiram!
O Promotor do Meio Ambiente, que também havia "prebostado" naquela noite fatídica, ainda sentido os efeitos das vibrações, foi rigoroso no despacho que ordenava a desativação definitiva do "aparelho": o Dr. Lair classificava-o como "...ameaça … integridade do planeta e cujo princípio de funcionamento deveria ser mantido, para sempre, longe do alcance da humanidade..."!
Dizem que o "explosivo" diagrama do gerador dos ultrassons criado pelo Professor Ventura se encontra disponível na Internet para quem quiser dar um "download", no endereço "http://ventura.com/disenteria" mas, dados os recentes cuidados com a divulgação da construção de armas perigosas e artefatos danosos à saúde na rede, não acreditamos que tenham-no deixado passar!...

 

A SAGA ESCATOLÓGICA DE EPAMINONDAS PORTENTOSO
Esta ‚ a primeira estória de três que formam a Saga Escatológica de Epaminondas Portentoso. Nela o leitor viu de como o orgulhoso músico sofre as consequências do invento do Professor Ventura, "prebostando" em condições nada agradáveis.
Na segunda estória, denominada "A Fonte Dançante" novamente o músico vai sofrer sérias consequências, desta vez indiretas de mais uma das invenções do velho mestre. Com a "moral" abalada ele ainda resiste, mas se nega terminantemente a participar de qualquer evento que tenha a presença de invenções do professor Ventura.
No entanto, na terceira estória, Epaminondas vê em mais um invento do professor a oportunidade para se vingar de tudo que sofreu nas estórias anteriores.
A denominação da série de escatológica tem sérias razäes de ser. Conforme os leitores verão, em todas elas, as mesmas condições "prebostantes" levarão o principal personagem, o professor Ventura e uma boa parte da cidade à condições de descontrole fisiológico inimagináveis, mas muito engraçadas, tudo isso sem esquecer a participação dos personagens mais importantes de todos: tecnologia, eletrônica e o computador!

 

Ruído Marrom (Brown Noise)
Tecnicamente os ruiidos recebem denominações associadas à cores. Assim, existe o ruído branco, que é definido como aquele formado por frequências que se distribuem aleatoriamente ao longo do espectro, com igual intensidade. Por outro lado, o ruído rosa tem um espectro de frequências distribuido aleatoriamente, mas com a intensidade diminuindo à medida que a frequência aumenta.
A denominação “ruído marrom”, entretanto é uma alusão aos efeitos das vibrações de baixas frequências (entre 5 e 30 Hz) que, segundo estudos, causam certo desconforto nas pessoas chegando ao ponto de provocar alterações intestinais capazes de levar ao descontrole. A cor marrom, segundo a Wikipedia, é justamente uma alusão às fezes humanas. Na prática, se bem que essas vibrações tenham até sido testadas como armas de guerra, não se revelaram tão potentes como se apregoa. Até mesmo no programa de TV “Myth Busters” (Demolidores de Mitos), com um equipamento potente de testes, as demonsrações não conseguiram causar o descontrole citado. Mas, se o leitor quiser experimentar...Enfim, vale a estória, que visa antes divertir o leitor.

BUSCAR DATASHEET


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Opinião

Contente e Triste (OP181)

Trabalhamos arduamente para manter nosso site, procurando todos os dias colocar matérias novas, participar de eventos e preparar novos livros que atendam todos aqueles ávidos por conhecimentos técnicos. Nossos resultados, por um lado, tem sido positivos com o reconhecimento de todos que frequentam nosso site e nos procuram em nossos eventos. No entanto, ao lado dessa alegria também temos os fatos negativos.

 

Leia mais...

Tecnologia
O grande perigo da tecnologia é implantar no homem a convicção enganosa de que é onipotente, impedindo-o de ver sua imensa fragilidade.
Hermógenes - Mergulho na Paz - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)