Controles de lâmpadas com 1 a 4 interruptores (EL025)

Este artigo foi preparado com base em textos do livro "Instalações Elétricas Sem Mistérios" de 2005. Sugerimos que o leitor veja outros artigos desta seção e também a nota importante no final deste artigo.


CONTROLANDO DIVERSAS LÂMPADAS A PARTIR DE UM INTERRUPTOR

Na figura 1 mostramos o modo de fazer a ligação de diversas lâmpadas para que elas sejam acesas e apagadas por um único interruptor.

 

Controlando várias lâmpadas por um único interruptor.
Controlando várias lâmpadas por um único interruptor.

 

As lâmpadas são ligadas em paralelo entre si e em série com o interruptor. Este tipo de ligação garante que todas as lâmpadas recebam a mesma tensão.

Se uma das lâmpadas queimar, as outras do mesmo circuito não são afetadas.

O cuidado principal com esta instalação é escolher um interruptor que seja capaz de suportar a corrente total de todas as lâmpadas.

Como as lâmpadas são especificadas em watts e a corrente em ampères, pode haver uma certa dificuldade em efetuar este cálculo.

Para facilitar, podemos dizer que cada 100 W na rede de 110 V correspondem a 1 A, enquanto que cada 200 W na rede de 220 V correspondem a um ampère.

Assim, 300 W de lâmpadas em 110 V correspondem a aproximadamente 3 A, o que quer dizer que, para maior segurança devemos usar em seu controle um interruptor de pelo menos 5 A.

O mesmo procedimento é válido para outros tipos de lâmpadas.

 

CONTROLANDO UMA LÂMPADA POR DOIS INTERRUPTORES

É o chamado sistema "two-way", em que podemos acender uma lâmpada ao começar a subir uma escada e depois apagá-la quando chegamos no alto (figura 2).

 

O sistema two-way (duas vias).
O sistema two-way (duas vias).

 

Para que os dois interruptores, nos extremos de um corredor, escada ou sala que tenha duas portas, possam acender e apagar a mesma lâmpada, eles devem ser de tipo especial.

São usados interruptores tripolares, que nada mais são do que chaves comutadoras de 1 pólo x 2 posições (figura 3).

 

Uma chave tripolar.
Uma chave tripolar.

 

Na figura 4 mostramos a maneira como esses interruptores devem ser ligados.

 

Circuito do sistema de duas vias.
Circuito do sistema de duas vias.

 

Observe que, entre eles devem passar dois fios.

Os interruptores continuam ligados em série com a lâmpada que deve ser controlada.

No exemplo indicado colocamos uma lâmpada comum, mas em seu lugar podem ser usadas lâmpadas fluorescentes e até mesmo outros dispositivos como, por exemplo, um exaustor, uma fechadura eletrônica, etc.

Para fazer a instalação a alimentação geral deve estar desligada.

 

CONTROLANDO UMA LÂMPADA A PARTIR DE 3 INTERRUPTORES

Este é um sistema "three-way" (três vias) que permite ao usuário acender ou apagar uma lâmpada a partir de três lugares diferentes, veja a figura 5.

 

O sistema de três vias.
O sistema de três vias.

 

Além das duas chaves especiais de 3 pólos, temos uma terceira, que ficará na posição central e que tem seus pólos, conforme é indicado na figura 6.

 

A chave de 2 pólos x 2 posições.
A chave de 2 pólos x 2 posições.

 

Trata-se de uma chave especial reversível 2 x 2 ou HH que faz a comutação intermediária das lâmpadas.

Observe que neste sistema também temos a passagem de dois fios entre as chaves.

Na figura 7 temos o modo como essas chaves devem ser ligadas.

 

Ligação do sistema de três vias.
Ligação do sistema de três vias.

 

Veja que os fios devem ter as pontas desencapadas e depois firmemente presas aos terminais das chaves. O

máximo cuidado deve ser tomado para evitar curtos (um fio encostando

em outro).

 

CONTROLANDO UMA LÂMPADA A PARTIR DE 4 INTERRUPTORES

Também é possível controlar uma mesma lâmpada a partir de interruptores colocados em 4 pontos diferentes, num sistema denominado "four- way" (quatro vias).

Para este sistema, também precisamos de chaves especiais com as ligações mostradas na figura 8.

 

As chaves do sistema de quatro vias.
As chaves do sistema de quatro vias.

 

São usadas duas chaves de 3 pólos e duas de 6 pólos. Entre elas devem passar dois fios.

A lâmpada neste caso, também é ligada em série com o circuito.

Na figura 9 temos o modo de fazer a instalação dessas chaves num sistema "four-way" de uma residência.

 

Ligação do sistema de quatro vias.
Ligação do sistema de quatro vias.

 

Será interessante usar fios de cores diferentes para facilitar as conexões, de modo que o instalador não se confunda com os locais de ligação. Neste caso também, a alimentação do circuito deve estar desligada para evitar choques durante o trabalho de instalação.

 

DOIS NÍVEIS DE LUZ

É possível fazer com que uma lâmpada incandescente comum funcione com duas intensidades luminosas, usando para esta finalidade um dispositivo eletrônico denominado diodo.

O diodo conduz apenas metade dos semiciclos da rede de energia, assim, quando ele está em série com uma lâmpada, ela recebe apenas metade da alimentação em termos de potência.

Isso significa que ela acende com brilho reduzido, produzindo uma iluminação mais suave.

Usando uma chave para acender e apagar a lâmpada e outra para ligar e desligar o diodo podemos obter luz em dois níveis, conforme sugere o circuito da figura 10.

 

Luz em dois níveis.
Luz em dois níveis.

 

Com a chave S2 aberta, o diodo está no circuito e obtemos luz suave para uma sala ou dormitório. Com S2 fechada, o diodo é colocado em curto e a lâmpada recebe sua alimentação normal.

Na figura 11 temos o aspecto real do dispositivo que pode ser montado e instalado com extrema facilidade.

 

Aspecto real da montagem.
Aspecto real da montagem.

 

Para lâmpadas de até 100 W na rede de 110 V pode ser usado o diodo 1N4004, e para lâmpadas de até 200 W na rede de 220 V pode ser usado o diodo 1N4007.

Esses diodos podem ser adquiridos em casas de material eletrônico ou mesmo encontrados em aparelhos velhos fora de uso, que tenham sido desmontados.

Obs.: este circuito não pode ser usado com lâmpadas fluorescentes ou mistas.

 

 

Quando este artigo foi escrito ainda não estavam em vigor as normas NBR5410 que estabeleceram diversas mudanças para a maneira como as instalações elétricas devem ser feita e também para o formato das tomadas de força, com a adoção do terceiro pino. Artigo sobre estas normas deverá estar disponível no site. Os conceitos dados valem para instalações elétricas antigas, como ainda são encontradas em muitos locais de nosso país. Para instalações novas, os leitores devem consultar as normas vigentes

 

Leia também:

* Energia elétrica (EL002)

* As tensões da rede de energia (EL003)

* A Instalação Elétrica Domiciliar (EL007)

* Choque elétrico (almanaque)

* Outros artigos da seção de eletricidade

Livro Instalações Elétricas Sem Mistérios

 

Opinião

Avanços e Retrocessos (OP126)

Uma palavra muito em moda nos nossos meios, principalmente os políticos é “avanço”, se bem que dependendo da maneira como ela seja colocada, pode significar realmente um retrocesso. Nos meios tecnológicos, como o nosso o avanço é perceptível, constante e muito mais forte em sua penetração a ponto de pouco ser contestado.

Leia mais...

Informativo Mensal

 Para se manter atualizado com nossas novidades e notícias, Siga-nos pelo:
Twitter
Facebook
Linkedin

ou torne-se membro de nosso grupo:
Google Group 
Yahoo Group


Admiração
Um tolo encontra sempre outro mais tolo que o admira.
Boileau

Instituto Newton C Braga - 2014 - Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site
+conexões

Seja mais um amigo facebook
Siga-me twitter
Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)