NOSSAS REDES SOCIAIS -

Dimmer Para Lâmpadas Incandescentes Comuns (ART2069)

O circuito apresentado pode servir para controlar o brilho de lâmpadas incandescentes comuns em quartos, cabeceiras, abajures, salas e em muitos outros locais onde se deseja um ajuste linear de iluminação ou uma transição suave do claro para o escuro e vice-versa. O circuito pode controlar até 8 A e é muito simples de montar.

Obs. Este artigo é de 1992. Atualmente as lâmpadas incandescentes quase não mais são usadas. Apenas as encontramos em decoração e finalidades especiais. O artigo entretanto, é ainda válido para esses casos.

 

Dimmers são controles lineares de lâmpadas ou cargas resistivas e possuem uma infinidade de utilidades no lar. Em especial focalizamos o controle de brilho de uma lâmpada comum por meio de um potenciômetro que diretamente não poderia ser usado com cargas de correntes tão elevadas.

O circuito apresentado admite até 800 W de lâmpadas na rede de 110 V e o dobro na rede de 220 V e pode ser usado com qualquer tipo de lâmpada de filamento a partir de 5 W de potência.

Na cabeceira de sua cama ele permite dosar o grau ideal de iluminação para cada ocasião. No quarto das crianças ele possibilita um ajuste de luminosidade sem deixar totalmente no escuro ou totalmente no claro.

O circuito, por ser compacto pode ser adaptado até mesmo dentro da caixa do interruptor normal da parede de qualquer cômodo de sua casa.

 

CARACTERÍSTICAS

Tensão de alimentação: 110 ou 220 V c.a.

Carga máxima: 8 A (800 W em 110 V e 1600 W em 220 V c.a.)

Faixa de controle: 5 a 95%

Tipo de carga: resistiva

 

 

COMO FUNCIONA

Os Triacs são controles de onda completa. Eles funcionam como interruptores disparados por um sinal aplicado a sua comporta.

Levando em conta que a tensão da rede de corrente alternada é senoidal, podemos controlar a potência aplicada a uma carga simplesmente fixando os pontos de disparo nos semiciclos.

Assim, se dispararmos logo no início do semiciclo, teremos a condução quase que total e a potência será máxima. Se dispararmos no final do semiciclo teremos apenas um pequeno ângulo de condução e a potência será mínima.

É fácil perceber que podemos controlar a potência na carga simplesmente variando o ângulo de condução de um Triac e é justamente isso que faz nosso circuito.

A verificação do ângulo de condução é obtida por uma rede de retardo RC onde R é R1 mais o potenciômetro P1 e C é C1.

Com P1 na posição de mínima e resistência, C1 carrega-se rapidamente atingindo a tensão de disparo do Triac no início do semiciclo. A lâmpada neon acende, descarregando então C1 e proporcionando o disparo do Triac. Temos a máxima potência.

Com P1 na posição de máxima resistência a carga de C1 é mais lenta e o disparo do Triac só ocorre ao final do semiciclo.

Nestas condições temos a mínima potência, figura 1.

 

   Figura 1 – Os ângulos de disparo
Figura 1 – Os ângulos de disparo

 

Este circuito, pela comutação rápida pode gerar algum ruído que interfere em aparelhos de rádio e TV. Podemos reduzir isso com o uso dos componentes tracejados.

C1 deve ser de poliéster para 400 V de trabalho pelo menos.

 

MONTAGEM

Na figura 2 temos o diagrama completo do dimmer.

 

   Figura 2- Diagrama completo do dimmer
Figura 2- Diagrama completo do dimmer

 

Na figura 3 temos a disposição dos componentes numa pequena placa de circuito impresso.

 

   Figura 3 – Placa para a montagem
Figura 3 – Placa para a montagem

 

Observe que o Triac precisa de radiador de calor, principalmente se operar com correntes acima de 1 A. Devemos usar Triacs sufixo B se a rede for de 110 V e sufixo D se a rede for de 220 V.

C1 deve ser de poliéster para 200 V ou mais de tensão de trabalho e R1 é de 1/2 W.

A lâmpada neon é comum de dois terminais (sem resistência interna).

 

PROVA E USO

Para provar o aparelho podemos usar como carga qualquer lâmpada comum a partir de 5 W.

Variamos P1 de modo que o brilho da lâmpada vá de zero ao máximo.

Caso não se consiga chegar ao zero, aumente o valor de C1 e caso não se conseguir chegar ao máximo, reduza este valor.

Comprovado o funcionamento é só fazer a instalação.

 

Semicondutores:

Triac: TIC226B ou D - ver texto

 

Resistores:

R1 - 22 k ohms x 1/2 W

P1 - 100 k ohms - potenciômetro linear

 

Capacitores:

C1 - 100 nF - poliéster - 400 V ou mais

 

Diversos:

F1 - 10 A - fusível

X1 - lâmpada de 5 a 800 W - ver texto

NE-1 - lâmpada neon comum

Placa de circuito impresso, radiador de calor para o Triac, caixa para montagem, soquete para a lâmpada, botão para o potenciômetro, fios, solda, etc.

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Chegada de novos tempos (OP205)

As primeiras indicações que uma volta a normalidade deve começar a ocorrer em breve anima muitas pessoas. De fato, estamos vislumbrando novos tempos, mas precisamos estar atentos para o fato de que tudo vai ser diferente, principalmente para o nosso mundo da tecnologia.

Leia mais...

Morte
Quando se morre, é por muito tempo. (Quando n est mort, cest pour long temps.)
Marc-Antoine Désaugiers (1772- 1827) Cançes - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)