NOSSAS REDES SOCIAIS -

Cromeação Simples (ART1540)

Pequenas jóias, peças de metal, chaves e outros objetos podem ser cromeados, adquirindo um novo aspecto. Também podemos usar este aparelho em demonstrações no laboratório de química. A montagem é muito simples e os componentes usados são comuns.

A galvanoplastia consiste no processo segundo o qual podemos depositar uma fina camada de metal num objeto usando para esta finalidade uma corrente elétrica.

Fazendo a corrente circular através de uma solução que contenha sais do metal que se deseja depositar, a corrente transporta esse metal na forma de íons e os deposita no objeto.

Com uma corrente controlada e sais apropriados podemos cromear, dourar, pratear ou trabalhar com qualquer outro metal.

O circuito que descrevemos neste artigo é uma fonte de corrente que pode ser usada neste processo de forma segura.

No laboratório de química, a mesma fonte poderá ser usada em outros experimentos de eletroquímica como, por exemplo, eletrólise.

 

O circuito

O que descrevemos é uma fonte de alimentação que fornece uma corrente algo intensa, que pode chegar a 1 A e que é forçada a circular numa cuba onde existe a solução eletrolítica e o objeto a ser recoberto de metal.

No nosso caso, para cromear, a solução consiste em ½ litro de água com 120 g de ácido crômico e 1 g de ácido sulfúrico.

A fonte utiliza um pequeno transformador, dois diodos para a retificação e um capacitor para a filtragem.

Após o capacitor podemos selecionar um entre dois resistores que determinarão a corrente que vai circular pela cuba.

Estes resistores são importantes, pois eles limitam a corrente em caso de curto ou algum outro problema, não sobrecarregando a fonte.

 

Montagem

Na figura 1 temos o diagrama completo da fonte para cromeação

 

   Figura 1 –Diagrama para a fonte de cromeação
Figura 1 –Diagrama para a fonte de cromeação

 

Como se trata de circuito simples, a montagem pode ser feita utilizando-se uma pequena ponte de terminais, como mostra a figura 2.

 

   Figura 2 – Montagem
Figura 2 – Montagem

 

O transformador tem secundário de 6 a 12 V com corrente de 1 A.

Podem ser utilizados transformadores com correntes menores, mas neste caso R1 e R2 devem ser suas resistências aumentadas proporcionalmente.

Os resistores são de fio e o restante do material não oferece maiores dificuldades para obtenção.

O eletrodo positivo é uma chapa de chumbo de aproximadamente 5 x 10 cm.

Outras soluções para prateação, cobreação, douração podem ser encontradas neste site na nossa “fonte galvanoplástica” (ART249).

 

D1, D2 – 1N4002 – diodos de silício

T1 – Transformador – ver texto

F1 – 1 A – fusível

C1 – 1 000 µF x 25 V – capacitor eletrolítico

S1 – Interruptor simples

S2 – Chave de 1 pólo x 2 posições

R1 – 4,7 Ω x 5 W – resistor de fio

R2 – 15 Ω x 5 W – resistor de fio

Diversos:

Cabo de força, caixa para montagem, cuba ou frasco de vidro, placa de chumbo, material para a solução, cabo de força, ponte de terminais, suporte para o fusível, etc.

 

 

 

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Novembro chegando (OP197)

Novembro é o mês de encerramento das aulas e com isso, diferentemente do que muitos pensam, as atividades estudantis não terminam. Alguns curtirão suas férias, mas outros ficam para exames e mais ainda, precisam terminar seus TCCs.

Leia mais...

Verdade
Platão é meu amigo, mas a verdade é mais minha amiga. (Amicus Plato, sed magis amica beritas.)
Atribuído a Aristóteles (384 - 322 a.C.) - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)