Receptor de FM e VHF com o TDA7052 (ART1552)

Um circuito simples de detector super-regenerativo possibilita a recepção de sinais de 50 a 150 MHz com boa sensibilidade. Poderemos captar canais baixos de TV, FM, comunicações de aviões e serviços públicos com facilidade.

O receptor apresentado se caracteriza pela sua simplicidade e não necessidade de ajustes ou componentes especiais.

Com uma pequena antena telescópica poderemos captar estações que, dependendo das condições locais, podem estar a mais de 100 km de distância, como o caso de aeronaves em vôo.

O circuito é alimentado por pilhas e tem a reprodução dos sons num pequeno alto-falante.

Pela simplicidade, o circuito apresenta algumas limitações como a baixa seletividade (capacidade de captar estações próximas) e a instabilidade que impede que antenas longas sejam usadas.

 

Como Funciona

O circuito tem por base uma etapa super-regenerativa que é um circuito que oscila na frequência que deve captar.

Sua oscilação é sincronizada pelos sinais a serem captados de modo a se obter uma enorme amplificação.

No nosso circuito L1 e CV determinam a frequência do sinal a ser captado que é então detectado, aparecendo em R4 o sinal de áudio a ser amplificado.

A bobina determina a faixa de frequências que então é ajustada no capacitor CV.

O sinal de áudio recebe uma pré-amplificação no transistor Q2 para depois ser aplicado a um circuito integrado amplificador de áudio.

No projeto original utilizamos um circuito integrado TODA 7052, mas podem ser usados outros, inclusive o sinal retirado do curtos de P1 pode ser aplicado à entrada de um amplificador externo.

 

Montagem

Na figura 1 temos o diagrama completo do receptor de VHF.

 

  Figura 1 – Diagrama do receptor
Figura 1 – Diagrama do receptor

 

O choque de RF XRF é um componente de construção caseira, sendo fabricado enrolando-se umas 50 a 60 voltas de fio esmaltado fino num palito ou resistor de 1M, conforme mostra a figura 2.

 

   Figura 2 – Construindo XRF
Figura 2 – Construindo XRF

 

Também existe a opção de encontrar este componente pronto, podendo ser usado um choque de 47 µH a 100 µH.

Uma versão puramente experimental pode ser elaborada com base numa ponte de terminais, se bem que deve-se tomar muito cuidado para manter os terminais dos componentes bem curtos.

Esta versão não inclui o amplificador que deve ser montado em placa de circuito impresso ou ainda ser externo.

Esta versão em ponte de terminais é mostrada na figura 3.

 

Figura 3 – Montagem em ponte de terminais
Figura 3 – Montagem em ponte de terminais

 

Para a montagem em placa de circuito impresso, utilizamos duas placas, sendo uma para o receptor e a outra para o amplificador, ambas mostradas na figura 4.

 

  Figura 4 – Montagem em placa de circuito impresso
Figura 4 – Montagem em placa de circuito impresso

 

Os capacitores devem ser cerâmicos quando de valores baixos e os maiores são eletrolíticos para 6 V ou mais.

Os resistores podem ser de 1/8 W e em lugar do trimmer CV podemos usar um capacitor variável obtido de um velho rádio de FM.

A bobina tem suas espiras determinadas pela faixa de frequência que se pretende captar, conforme mostra a figura 5.

 

Figura 5 – A bobina L1
Figura 5 – A bobina L1

 

A antena pode ser um pedaço de fio rígido de 40 a 80 cm ou ainda uma antena telescópica obtida de um radio FM fora de uso.

 

Prova e Uso

Será interessante fazer os testes iniciais com a bobina para a faixa de FM onde existem mais estações e elas são mais potentes.

Ajuste CV para captar uma estação, mantendo a antena sempre em posição vertical.

Depois, se desejar coloque bobinas para outras faixas, lembrando que em muitos casos, como na faixa aeronáutica, as comunicações são esparsas e curtas, exigindo paciência para se encontrar suas frequências.

 

Q1 –BF494 – transistor NPN de RF

Q2 – BC548 – transistor NPN de uso geral

CI-1 – TDA7052 – circuito integrado

XRF – choque de RF – ver texto

S1 – Interruptor simples

B1 – 6 V – 4 pilhas pequena

CV – trimmer ou capacitor variável de rádio FM

L1 – Bobina – ver texto

P1 – 10 k Ω – potenciômetro

FTE – 4 ou 8 Ω – alto-falante de 5 a 10 cm

R1 – 47 k Ω – resistor – amarelo, violeta, laranja

R2, R8 – 100 k Ω – resistor – marrom, preto, amarelo

R3 – 2,2 k Ω – resistor – vermelho, vermelho, vermelho

R4 – 3,3 k Ω – resistor – laranja, laranja, vermelho

R4 – 1,5 M Ω – resistor – marrom, verde, verde

R5 – 10 k Ω x 1/8 W – resistor – marrom, preto, laranja

R7 – 330 Ω – laranja, laranja, marrom

C1 – 22 µF – eletrolítico

C2 – 4,7 nF – capacitor cerâmico

C3 – 1 nF – capacitor cerâmico

C4 – 1 a 10 pF – conforme a faixa

C5 – 33 nF – cerâmico ou poliéster

C6 – 100 nF – capacitor cerâmico

C7 – 10 µF – eletrolítico

C8 – 100 µF – eletrolítico

Diversos:

Ponte de terminais ou placa de circuito impresso, suporte de pilhas, caixa para montagem, fios, solda, etc.

 

 

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Novembro chegando (OP197)

Novembro é o mês de encerramento das aulas e com isso, diferentemente do que muitos pensam, as atividades estudantis não terminam. Alguns curtirão suas férias, mas outros ficam para exames e mais ainda, precisam terminar seus TCCs.

Leia mais...

Trabalho
O trabalho é a melhor e a pior das coisas: a melhor se é livre; a pior se é escravo. (Le travail est La meilleure et la pire dês choses; La meilleur sil est libre; la pire sil est serf.)
Alain (1868 - 1931) - Considerações Sobre a Felicidade - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)