NOSSAS REDES SOCIAIS -

Alarme de Baixíssimo Consumo (ART156)

A corrente de repouso deste alarme é da ordem de microampères o que permite sua utilização com alimentação por pilhas que durarão uma eternidade. O circuito é muito simples de montar, instalar e utiliza componentes de baixo custo.

O alarme simples que descrevemos tem uma característica que pode ser muito importante em determinadas aplicações: consumo muito baixo.

A baixa corrente de espera (sem disparar) permite que pilhas sejam utilizadas na alimentação, ou mesmo uma fonte de pequena capacidade de corrente.

O retardo é um ponto importante a ser considerado em alguns casos, pois ele impede a ação imediata do alarme fazendo com que o intruso tente desativar o circuito.

Se o alarme disparar quando o intruso estiver longe do sensor, psicologicamente ele não terá condições de voltar e desarmá-lo, pensando unicamente em escapar do local.

O retardo no nosso circuito pode ser fixado entre alguns segundos até alguns minutos, dependendo exclusivamente do valor de um capacitor.

O relé usado pode controlar sirenes e dispositivos de aviso de altas correntes.

 

Como Funciona

Para o acionamento do relé temos dois transistores ligados numa etapa Darlington de alto ganho.

A impedância de entrada desta etapa é muito alta, da ordem de milhões de Ω, o que significa a necessidade de uma corrente muito pequena de base para acionar um relé no seu coletor.

Assim, conforme mostra a figura 1, o que fazemos é desviar a corrente de base muito pequena para a terra através dos sensores ligados nos pontos A e B, o que impede o disparo do relé.

 

Figura 1 – Polarizando a etapa Darlington
Figura 1 – Polarizando a etapa Darlington

 

Quando o sensor entre A e B é interrompido a corrente polariza a base do transistor Q1, mas demora um certo tempo para atingir a plena condução, dada a presença do capacitor de retardo.

Valores entre 10 µF e 470 µF podem ser utilizados para o capacitor de retardo.

Como a corrente no sensor é muito baixa, podem ser usados fios muito finos na sua ligação, o que facilita sua ocultação.

Diversos sensores podem ser ligados em série e a distância grandes um do outro, protegendo assim uma grande área, conforme mostra a figura 2.

 

Figura 2 – Ligando sensores em série
Figura 2 – Ligando sensores em série

 

Existem diversas possibilidades para a utilização de sensores.

A mais simples consiste em se utilizar preguinhos pequenos colocados em portas e janelas conforme mostra a figura 3.

 

Figura 3 – O sensor de fio fino
Figura 3 – O sensor de fio fino

 

Quando o fio for interrompido, pela abertura da janela ou porta, o alarme dispara.

A outra solução consiste em se utilizar sensores tipo reed que são mantidos fechados pela ação de um imã, conforme mostra a figura 4.

 

Figura 4 – Utilizando sensores reed
Figura 4 – Utilizando sensores reed

 

A vantagem desses sensores é que eles podem ser adquiridos prontos e têm uma aparência melhor quando instalados.

Quando o imã se afastar do sensor, ele abre seus contatos, disparando o alarme.

 

Montagem

O diagrama completo do alarme é mostrado na figura 5.

 

Figura 5 – Diagrama completo do alarme
Figura 5 – Diagrama completo do alarme

 

Temos duas possibilidades de montagem que dependem dos recursos do montador.

Para os que desejam uma aparência melhor e maior confiabilidade temos a placa de circuito impresso mostrada na figura 6.

 

Figura 6 – Placa de circuito impresso para a montagem
Figura 6 – Placa de circuito impresso para a montagem

 

Esta placa prevê o uso de relés com base DIL. Se forem usados relés de outras bases o desenho deve ser alterado.

O relé deve ser de 6 V com corrente de disparo máxima d 100 mA.

Para uma montagem em ponte de terminais temos a disposição de componentes da figura 7.

 

Figura 7 – Montagem em ponte de terminais
Figura 7 – Montagem em ponte de terminais

 

 

Uso

Na figura 8 temos o modo de se fazer a ligação de uma carga para teste.

 

Figura 8 – Ligação de teste
Figura 8 – Ligação de teste

 

 

Interligue os pontos A e B do alarme e alimente o circuito.

Desconectando os pontos A e B depois de algum tempo, que depende do capacitor, o alarme deve disparar.

Na figura 9 temos o modo de se fazer a instalação de uma cigarra e uma lâmpada.

 

Figura 9 – Conexão de um sistema de aviso
Figura 9 – Conexão de um sistema de aviso

 

 

Q1, Q2 – BC548 – transistores NPN de uso geral

D1 – 1N4148 – diodo de silício

S1 – Interruptor simples

B1 – 6 V – 4 pilhas pequenas

K1 – Relé de 6 V x 100 mA ou menos

C1 – 10 µF a 470 µF x 6 V ou mais – eletrolítico

C2 – 220 µF x 12 V ou mais – eletrolítico

R1 – 220 k Ω x 1/8 W – resistor – vermelho, vermelho, amarelo

R2 – 47 k Ω x 1/8 W – resistor – amarelo, violeta, laranja

R3 – 100 Ω x 1/8 W – resistor – marrom, preto, marrom

Diversos:

Placa de circuito impresso ou ponte de terminais, suporte de pilhas, sensores, fios, solda, etc.

 

 

 

 

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Novembro chegando (OP197)

Novembro é o mês de encerramento das aulas e com isso, diferentemente do que muitos pensam, as atividades estudantis não terminam. Alguns curtirão suas férias, mas outros ficam para exames e mais ainda, precisam terminar seus TCCs.

Leia mais...

Exemplo
O caminho da sabedoria é longo através de preceitos, breve e eficaz através de exemplos. (Longum iter est per pr?cepia, breve er efficax per exempla.)
Seneca (Epístolas) - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)