NOSSAS REDES SOCIAIS -

Booster de UHF e VHF (ART1942)

Se você tem problemas de recepção de sinais de TV porque eles chegam com pouca Intensidade à sua antena, ou ainda porque usa um cabo longo com forte atenuação até o televisor, a solução pode estar na montagem de um simples booster. O circuito proposto tem um bom ganho tanto na faixa de UHF como de VHF e usa componentes de baixo custo.

Se os sinais não chegam até sua antena então não há como recebê-los bem, pois se tentarmos alguma amplificação não haverá o que amplificar. No entanto, se algum sinal chega a sua antena e sua intensidade é maior do que a do ruído, podemos obter uma melhora da recepção amplificando este sinal.

Lembramos que o ruído é amplificado junto com o sinal, daí a necessidade de que o que chega a sua antena tenha no mínimo uma certa intensidade para cobrir o chuvisco, que também pode ser amplificada!

O circuito apresentado deve ser instalado junto à antena, como todo booster, e sua alimentação enviada pelo cabo, conforme sugere a fig. 1.

 

Figura 1 – Instalação do booster junto à antena
Figura 1 – Instalação do booster junto à antena

 

Com uma boa localização da antena e o ganho proporcionado pela configuração descrita você pode ter uma considerável melhora a recepção de TV em sua localidade.

Conforme os elementos do filtro de entrada podemos usar o booster tanto na faixa de UHF como de VHF e até mesmo na faixa de FM.

 

Características:

Faixa de operação: 50 a 800 MHz

Tensão de alimentação: 12 V

Corrente consumida: 10 mA (tip)

 

COMO FUNCIONA

A base do circuito é um transistor de alta frequência BF970, da Philips Components, que tem um ganho de 4,7 dB numa frequência de 800 MHz e é usado justamente em seletores de canais de UHF.

Os sinais provenientes da antena são aplicados à base deste transistor depois de passarem por um filtro passa-altas formado por C1, C2 e L1.

A bobina deste filtro pode ser alterada de modo a permitir maior ganho em VHF ou UHF. Com as características dadas no projeto temos o maior ganho na faixa de UHF.

Para VHF basta aumentar as espiras para 8 ou 9 e os capacitores para 12 pF ou 15 pF cada um.

O sinal amplificado é obtido no coletor do transistor e, via C3, é aplicado à linha de descida para o televisor. O mesmo cabo que conduz o sinal até o televisor também conduz a alimentação para o booster.

Esta alimentação vem de uma fonte comum estabilizada, mas com um sistema que permite separar o sinal amplificada do componente continua para a polarização dos elementos junto à antena.

No booster, a bobina L3 deixa passar a corrente de alimentação mas impede que o sinal se misture com ela. Da mesma forma, C3, deixa passar o sinal, mas impede que a corrente contínua chegue por esta via ao coletor do transistor.

D1 serve para evitar problemas com o circuito em caso de inversão da polaridade da alimentação.

 

MONTAGEM

Na figura 2 temos o diagrama do booster.

 

   Figura 2 – Diagrama do booster
Figura 2 – Diagrama do booster

 

Na figura 3 temos a disposição dos componentes numa placa de circuito impresso. Observe que o transistor usado tem um invólucro SOT37, para a soldagem do lado cobreado da placa.

 

Figura 3 – Placa de circuito impresso para a montagem
Figura 3 – Placa de circuito impresso para a montagem

 

Os capacitores devem ser todos cerâmicos, e as bobinas têm as seguintes características:

L1 tem 4 espiras de fio 18 a 22 AWG em forma de 0,5 cm sem núcleo.

L2 tem 4 espiras de fio 18 a 22 AWG em forma de 0,5 cm sem núcleo.

L3 é enrolada com fio 26 ou 28 AWG num anel de ferrite de aproximadamente 0,5 cm, conforme mostra a figura 4.

 

Figura 4 – Enrolando L3
Figura 4 – Enrolando L3

 

Na entrada do circuito tanto podemos colocar conectores para cabo coaxial como para a linha paralela de 300 ohms.

Na figura 5 temos a fonte de alimentação.

 

   Figura 5 – Fonte de alimentação para o booster
Figura 5 – Fonte de alimentação para o booster

 

A disposição dos componentes desta fonte numa pequena placa de circuito impresso é mostrada na figura 6.

 

   Figura 6 – Placa para a fonte
Figura 6 – Placa para a fonte

 

O transformador pode ter secundário de 50 a 250 mA, e o circuito integrado não precisa de radiador de calor dado o baixo consumo do aparelho. O eletrolítico de 470 pF tem uma tensão de trabalho de 25 V, e o outro de 16 V.

O capacitor C3 é cerâmico e a bobina L1 consiste em, 10 espiras de fio de 18 a 24 AWG numa forma de 0,5 cm sem núcleo.

Tanto a fonte como o booster devem ser instalados em, caixas apropriadas.

Para o booster devemos usar uma caixa metálica a prova do tempo, já que o aparelho vai ficar junto à antena de TV.

Para a fonte uma caixa plástica, ficando junto ao televisor (ou receptor de FM).

 

Prova e Uso

Na figura 7 temos o modo de fazer a instalação do conjunto.

 

   Figura 7 –Instalação do booster
Figura 7 –Instalação do booster

 

Observe com atenção a polaridade da alimentação que vai da fonte ao circuito do booster, o que pode ser conferido com ajuda de um multímetro.

Feita a conexão, é só ligar a fonte e verificar os resultados. Dependendo do canal ou canais em que se deseja fazer o reforço, pode ser tentada uma modificação, primeiramente em L1 e depois em L2, de modo a se obter maior rendimento.

Se a imagem for amplificada mas ao mesmo tempo houver também maior intensidade de chuviscos, só o booster não é a solução para o seu caso, devendo também ser usada uma antena de maior ganho.

Desligando a alimentação o booster fica inativo e os sinais deixam de chegar ao televisor. Na figura 8 temos uma opção em que um relé adicional comuta o sinal da antena quando o booster estiver desligado.

 

   Figura 8 – Usando um relé comutador
Figura 8 – Usando um relé comutador

 

 

Semicondutores:

Q1 - BF970 - transistor de UHF

 

Resistores (1/8 W, 5%):

R1 - 100 k ohms

R2 - 1 k ohms:

R3 - 10 ohms

 

Capacitores:

C1, C2 - 4,7 pF - disco cerâmico ou plate

C3 - 3,9 pF - disco cerâmico ou plate

C4 - 1 nF - disco cerâmico

 

Diversos:

L1, L2, L3 - bobinas - ver texto

D1 - 1N4148 - diodo de silício

Placa de circuito impresso, caixa para montagem, conectores de antena, fios, solda etc.

 

 

Fonte de alimentação:

 

Semicondutores:

Cl1 - 7812 - circuito integrado regulador de tensão

D1, D2 - 1N4002 ou equivalentes - diodos de silício

LED1 - LED vermelho comum

 

Resistores:

R1 - 2.2 k ohms

 

Capacitores:

C1 - 470 uF - eletrolítico de 25 V

C2 - 10 uF - eletrolítico de 16 V

C3 - 100 nF - disco cerâmico

C4 - 1 nF - disco cerâmico ou plate

 

Diversos:

F1 - Fusível de 200 mA

S1 - interruptor simples

T1 - Transformador com primário de acordo com a rede local e secundário de 12+12 V com 50 mA ou mais

L1 - bobina - ver texto

Placa de circuito impresso, cabo de alimentação, caixa. para montagem, suporte para o fusível, conectores de antena, fios, solda etc.

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Em busca de novos tempos

Em nossos últimos artigos, participações em lives, podcasts e vídeos temos ressaltado que estamos rapidamente caminhando para uma mudança de hábitos. São os novos tempos que estão chegando e que, em vista da pandemia estamos buscando para que sejam melhores e que nos tragam esperanças, paz e novos graus de compreensão, principalmente em nível mundial.

Leia mais...

Velhice
A velhice é prêmio para uns e castigo para ouros.
Marques de Maricá (1773 - 1848) - Máximas - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)