Dentes Eletrônicos (CUR007)

Escrito por Newton C Braga

 A novidade de um telefone celular embutido nos dentes não é muito nova. Excitando diretamente o nervo auditivo, as pessoas não precisariam ter fones para ouvir e bastaria falar, pois o microfone estaria dentro de sua própria boca. O número seria discado por comando de voz, pois o circuito seria inteligente o suficiente para entender isso... Já se testa essa novidade no Japão, como uma alternativa tecnológica que mostra a tendência da eletrônica começar a fazer parte do próprio corpo humano.

É o que denominamos biônica, ou seja, a aplicação de eletrônica na biologia e vice-versa, com uma integração entre o vivo e o tecnológico de maneira muito íntima, a ponto de já não podermos saber exatamente onde termina um e começa outro.

Indo um pouco além, parece que em breve os dentistas precisarão ser formados em tecnologia eletrônica, pois mais coisas estão sendo anunciadas para os dentes implantáveis do futuro.

É o caso de uma empresa que está anunciando um dente dotado internamente de um reservatório de medicamentos, para pessoas que precisam deles de forma constante, que não se lembram de tomá-los na hora certa (ou não podem) ou ainda em situações de emergência.

O dente, dotado de recursos eletrônicos e mecatrônicos avançados, possui um chip microcontrolador com a programação da dose e o horário em que ela deve ser ministrada.

No momento certo, o microcontrolador dispara o dispositivo de dosagem interno ao dente, determinando quanto do medicamento deve ser liberado. Assim, o medicamento é liberado e absorvido diretamente pela mucosa da boca do paciente, que eventualmente nem percebe o que ocorre, se o medicamento não tiver gosto.

Mais do que isso, já se prevê que esse mesmo dente pode ser dotado de sensores que determinam quando a pressão arterial do paciente, o nível de açúcar se altera ou ocorra algum outro evento que exija uma injeção imediata do medicamento. O dente, com seu circuito interno de controle, se encarregará de injetar o medicamento, intervindo imediatamente numa situação que poderia ser perigosa para o paciente, exigindo socorro imediato.

Só falta agora inventar o dente que libera remédio para dor de dentes quando ele mesmo tiver problemas...