NOSSAS REDES SOCIAIS -

Os simetrizadores para recepção de TV (TEL024)

A preocupação com a qualidade de uma recepção de TV por meios convencionais ainda está presente na maioria das pessoas, principalmente naquelas que moram em locais de difícil recepção e que não podem contar com a ajuda de um sistema de TV via satélite (antena parabólica). No entanto, a disponibilidade de dezenas de dispositivos simples, e de baixo custo, que podem ser agregados a qualquer sistema de antenas comuns permite que uma recepção satisfatória seja conseguida, sempre que o sinal chegar ao local sem problemas. Um desses dispositivos é o simetrizador, que muitos antenistas e técnicos não conhecem e que será analisado neste artigo.

 

O tipo mais conhecido de cabo de conexão da antena à entrada do televisor é a linha paralela de 300 ?, que também é conhecida como linha balanceada.

Este nome é dado pelo fato de que não há uma polaridade para a condução dos sinais, pois os dois lados ou pólos do fio são ligados aos elementos do dipolo que forma a antena, que têm as mesmas características, conforme mostra a figura 1.

 

Linha balanceada utilizada em antenas cujo dipolo possui elementos de características iguais.
Linha balanceada utilizada em antenas cujo dipolo possui elementos de características iguais.

 

Por outro lado, a impedância de 300 ?, que é confundida por muitos técnicos como a resistência que o fio apresenta, indica apenas a maneira como se comporta o sistema na transferência do sinal.

Assim, independentemente do comprimento do fio paralelo de 300 ?, ele terá uma "entrada" que representa uma impedância de 300 ? e uma "saída" de igual impedância. Como a antena tem esta impedância e a entrada do televisor também, temos um casamento de impedâncias perfeito e o sinal poda passar da antena ao televisor sem sofrer perdas ou reflexões que causam fantasmas, conforme mostra a figura 2.

 

Fantasmas na imagem do televisor devido ao
Fantasmas na imagem do televisor devido ao "mau" casamento de impedância.

 

No entanto, as linhas paralelas de 300 ? não são muito boas para se transferir o sinal de uma antena a um televisor em locais muito sujeitos a interferências e ruídos ou ainda quando a distância entre os dois é grande.

Esta linha, por ter os dois condutores praticamente expostos, e os dois condutores são "vivos" ou seja, conduzem sinais, pode funcionar como uma antena, captando ruídos e interferências, conforme mostra a figura 3.

 

Linha paralela de 300 ohms funcionando como antena captadora de ruídos e intereferências.
Linha paralela de 300 ohms funcionando como antena captadora de ruídos e intereferências.

 

 

Nas instalações modernas de TV, entretanto, a ligação da antena ao televisor não mais é feita com cabo paralelo de 300 ?, salvo os casos menos compromissados com a qualidade de recepção quer seja pela pequena distância da antena ou pela intensidade do sinal.

Muito melhor que este tipo de cabo é o cabo coaxial de 75 ?.

Entretanto, este cabo não é balanceado, ou seja, não tem os dois condutores equivalentes em polaridade. Um deles é o condutor do sinal (mais interno) e o outro funciona como blindagem, conforme mostra a figura 4.

 

Cabo coaxial de 75 ohms
Cabo coaxial de 75 ohms

 

Isso significa que na conexão deste tipo de cabo deve ser observada a polaridade e mais que isso, deve ser feito um casamento de suas características com a da antena e da entrada do televisor, se quisermos ter uma correta transferência de sinais.

Se ligarmos um cabo coaxial de 75 ? diretamente numa antena de 300 ?, ou na entrada de um televisor de 300 ? teremos dois problemas graves a considerar:

O primeiro é que não teremos a total transferência de sinais da antena para o cabo e do cabo para o televisor, ocorrendo perdas que afetam a qualidade da recepção.

O segundo é que ocorrem reflexões nos pontos de conexão, ou seja, o sinal que não passa "volta" refletindo-se várias vezes no cabo causa o aparecimento de "fantasmas" que são imagens superpostas ou sombras, conforme mostra a figura 5.

 

Problema ocasionado pela ligação de um cabo coaxial de 75 ohms diretamente a uma antena de 300 ohms.
Problema ocasionado pela ligação de um cabo coaxial de 75 ohms diretamente a uma antena de 300 ohms.

 

 

Para fazer o casamento de impedâncias e também transformar uma saída/entrada não balanceada em balanceada e vice-versa são usados dispositivos denominados simetrizadores.

 

 

O SIMETRIZADOR

Em inglês balanceado é balanced e não balanceado é unbalanced, e o simetrizado também passou a receber o nome de Balanced-To-Unbalanced ou abreviadamente Balun.

Trata-se de um pequeno transformador, com a aparência mostrada na figura 6.

 

Aparência do transformador que constitui o simetrizador.
Aparência do transformador que constitui o simetrizador.

 

Existem basicamente dois tipos de Simetrizadores para uso com antenas de TV.

Na figura 7, por exemplo, temos o simetrizador para sinais de VHF e UHF da Thevear Código 809-2-E indicado para uso interno, ou seja, para acoplar um cabo de 75 ? à entrada de 300 ? de um televisor.

 

Simetrizador Thevear 809-2-E
Simetrizador Thevear 809-2-E

 

Evidentemente, este simetrizador é usado nos televisores que não possuam entradas de 75 ?. Este tipo de entrada já é comum na maioria dos televisores modernos.

Na figura 8 temos um simetrizador para uso externo, ou seja, para ser ligado próximo da antena, quando o cabo de conexão a antena (que deve ser o mais curto possível) for to tipo paralelo de 300 ?.

 

Simetrizador Thevear 809-2-E
Simetrizador Thevear 809-2-E

 

Este simetrizador, modelo 809-1E, também da Thevear, tem uma construção com características que permitam trabalhar nas condições climáticas adversas que reinam junto à uma antena externa.

É interessante observar que muitos Boosters, que são ligados junto às antenas com a finalidade de amplificar seus sinais, já possuem um balun interno que permite a conexão tanto de antenas de 300 ? como de 75 ?.

Na escolha de um simetrizador é muito importante observar suas características.

Além das impedâncias de 300 e 75 ? que são obrigatórias, também devemos verificar se este dispositivo não atenua muito o sinal na sua passagem. A finalidade do simetrizador é apenas modificar as características do sinal que passa, sem entretanto reduzir sua intensidade. Na prática sempre ocorre uma pequena perda, e o melhor simetrizador é o que apresenta menores perdas.

Os dois tipos indicados da Thevear tem perdas menores que 0,5 dB na faixa de 20 a 900 MHz, o que é excelente.

 

CAIXAS PARA SIMETRIZAR

Um outro tipo de dispositivo com a mesma função e que é utilizado junto a uma antena é a caixa para simetrizar.

Na figura 9 temos uma caixa para ser usada na própria antena.

 

Caixa para simetrizar utilizada junto à antena.
Caixa para simetrizar utilizada junto à antena.

 

A finalidade desta caixa é permitir a conexão de uma antena de 300 ? de impedância a uma linha de 75 ?, o que é muito comum em sistemas de antenas coletivas.

Estes dispositivos são fixados na própria gôndola da antena de modo a ficarem os mais próximos possíveis dos elementos ativos da antena, evitando-se assim uma conexão com cabo de 300 ? até a antena.

A Thevear possui 3 modelos de caixas para simetrizar.

A primeira, Código 814-E é a que mostramos na figura 9 e é utilizada com antenas de VHF.

A segunda, é mostrada na figura 10 e tem o código 814-E e é empregada em antenas de UHF modelos 418C, 419C e 420C.

 

Caixa para simetrizar Thevear 814-2 para antena de UHF.
Caixa para simetrizar Thevear 814-2 para antena de UHF.

 

Finalmente, temos o modelo 814-E que inclui um misturador que combina os sinais captados por uma antena de UHF com os sinais captados por uma antena de VHF, jogando-os numa saída única de 75 ?.

 

Este modelo é mostrado na figura 11.

 

Caixa para simetrizar Thevear 814-5E para antenas de VHF e UHF.
Caixa para simetrizar Thevear 814-5E para antenas de VHF e UHF.

 

Nos três modelos as atenuações que ocorrem pela passagem do sinal são inferiores a 0,2 dB.

Artigos Relacionados

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Mundo diferente (OP203)

Em plena pandemia já estamos nos preparando para o mundo diferente que teremos a partir de agora. A disruptura que está ocorrendo está mudando nossos hábitos de uma forma que sabemos ser irreversível. Os hábitos de compras, os eventos, festas, o ensino, tudo mais deve mudar com o uso predominante da tecnologia.

Leia mais...

Poderosos
Nunca é segura a sociedade com os poderosos. (Nunquan est Fidelis cum potente societas"
Pedro (15 a.C. 50 d.C) - Fábulas - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)