Carregador de bateria automotiva (ART040)

Nada pior do que tentar dar a partida no carro depois de um longo período de parada (depois de uma viagem em que o carro tenha ficado na garagem) e não haver sinal algum de funcionamento. Veja neste artigo como montar um simples carregador para ser utilizado em situações de emergência e que também serve para carregar baterias chumbo-ácido para outras aplicações.

Para o caso de baterias automotivas descarregadas, quando o carro não dá partida, a solução mais adotada é a popularmente chamada  "chupeta" que consiste em se aproveitar a bateria de um outro carro ou de uma bateria que tenha sido trazida com carga total e que será ligada apenas pelo tempo suficiente para se dar a partida, conforme mostra a figura 1.

 

 


Figura 1 – A chamada “chupeta” – ligar em paralelo uma bateria carregada somente para dar a partida.

No entanto, se não houver carro ou bateria próxima o problema se complica.
Se o leitor puder esperar algumas horas antes de tentar nova partida, a solução pode estar num carregador de emergência. Na figura 2 temos o diagrama de um carregador que, ligado à bateria permite que a partida seja dada depois de 2 a 3 horas de funcionamento.

 


Figura 2 – Diagrama completo do carregador.

A montagem deste carregador é mostrada na figura 3.

 


Figura 3 – Na montagem observe a polaridade de C1. O negativo fica do lado do fio da garra preta.

O resistor R1 determina a corrente de carga e deve aquecer bastante durante o funcionamento, mas isso será perfeitamente normal. O transformador deve ter enrolamento secundário de 12+12 V com pelo menos 3A de corrente e primário de acordo com a rede local de energia.Para usar o aparelho, deve-se desconectar o pólo positivo da bateria do carro (para que a tensão do carregador não afete os equipamentos ligados do carro). O modo de se fazer isso é mostrado na figura 4.

 


Figura 4 – Desligue o conector positivo (+) antes de conectar o carregador à bateria.

Observe que os fios de conexão a bateria são grossos e têm em suas extremidades garras que se adaptam aos topos dos pólos da bateria. O aparelho deve ser ligado pelo menos 2 horas para se tentar a partida. O leitor deve antes verificar se a solução da bateria está no nível correto. Se, depois do tempo previsto, ao se tentar dar a partida não houver sinal algum é porque a bateria não está retendo a carga e, portanto, o carregador não vai solucionar o problema. Para uma carga mais completa, o aparelho pode ser deixado em funcionamento de um dia para outro. Somente baterias de 12V de carro e de motos podem ser carregadas com este aparelho.

Obs: Este carregador é bastante simples, mas eficiente. No entanto não é automático, ou seja, continua ligado mesmo depois da bateria carregada. Para tipos mais sofisticados, automáticos e com sistemas de proteção existem circuitos mais avançados que traremos aos nossos leitores futuramente neste site.



LISTA DE MATERIAL

 

Semicondutores:
D1, D2 - 1N5404 - diodos de silício
LED - LED vermelho comum

Resistores:
R1 - 10 ? x 10 watts - fio
R2 - 2,2 k? x 1/2W

Capacitores:
C1 - 1 000 ?F x 50V - eletrolítico

Diversos:
T1 - Transformador com primário de acordo com a rede local (110/220V) e secundário de 12+12V com pelo menos 3A
S1 - Interruptor simples
F1 - 2A - fusível de entrada
G1, G2 - Garras vermelha e preta
Caixa para montagem, suporte de fusível, fios, solda, cabo de força, etc.

Buscar Componentes

Informativo Mensal

 Para se manter atualizado com nossas novidades e notícias, Siga-nos pelo:
Twitter
Facebook
Linkedin

ou torne-se membro de nosso grupo:
Google Group 
Yahoo Group


Velhice
A velhice é prêmio para uns e castigo para ouros.
Marques de Maricá (1773 - 1848) - Máximas

Instituto Newton C Braga - 2014 - Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site
+conexões

Seja mais um amigo facebook
Siga-me twitter
Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)