Tendências em Elevadores (ART4580)

Um assunto que ocupa toda a média neste início de ano é a abordagem das tendências para este ano de 2021 e para o futuro. Os elevadores não escapam disso. Já fizemos em nossa publicação artigo semelhante tratando das tendências para 2021 e par o futuro para a tecnologia. É o momento de tratarmos de um assunto que interessa especificamente aos leitores desta revista. O que há de novo em perspectivas para os elevadores?

Se existe algo que no aspecto geral pouco mudou desde sua invenção é o elevador. Pelo menos, como no caso do carro em que temos um chassi sobre 4 rodas e um motor, o elevador segue a mesma lógica: uma caixa com um conjunto de cabos, movimentando-se na vertical através da força exercida por um motor?

Mas, será que isso vai mudar? No carro temos a tecnologia mudando, com a passagem do motor de combustão interna para o motor elétrico e a forma como a energia é fornecida.

No caso dos elevadores temos sim muitas mudanças de perspectivas. Além da tecnologia que se torna cada vez mais inteligente e com recursos que mal eram imaginados no casso, temos também a própria abordagem da mobilidade.

Será que um elevador pode unicamente movimentar as pessoas para cima e para baixo com uma gaiola única?

Esse conceito tem sido amplamente estudado pelas empresas que fabrica, elevadores e algumas ideias interessantes têm sido apresentadas. Algumas como conceitos e outras até mesmo implementadas.

Uma delas é dada por Mark Schroeder da Thyssenkrupp que consiste em se utilizar duas cabines em lugar de uma num único poço, com um controle inteligente do modo como eles se movimentam. Por exemplo, enquanto a cabine superior está movimentando alguém do sétimo para o vigésimo andar a outra, ao mesmo tempo está levando alguém do quinto para o térreo.

Na figura 1 temos esse conceito de instalação.

 

Figura 1 – Dois em um. Duas cabines movimentando-se no mesmo poço.
Figura 1 – Dois em um. Duas cabines movimentando-se no mesmo poço.

 

Veja que o uso de um único motor num sistema de compartilhamento de forças pode fazer com que energia seja economizada. A energia da descida de um é usada para movimentar o outro na subida.

Mas, algo que realmente é inovador e que pode ser uma tendência do futuro, é o elevador múltiplo que também se movimenta na horizontal. Teremos algo como um conjunto de veículos que trafegam numa via única implantada num edifício com caminhos planejados, conforme mostra a figura 2, também da Thyssenkrupp.

 

Figura 2 – Projeto MULTI da Thyssenkupp
Figura 2 – Projeto MULTI da Thyssenkupp

 

Neste sistema, você não indica apenas o andar para o qual deseja ir, mas também em que porta de saída de determinado andar deseja acessar.

O elevador sobe até o anda e depois desloca-se horizontalmente até a porta desejada, ou sobe num poço adicional para chegar no ar e saída desejados.

O prédio se torna um conjunto de vias onde o elevador não atende apenas determinados andares, mas endereços como, por exemplo, porta 3 do décimo quarto andar.

Vejam que em todas as tendências para o futuro, o uso inteligente da energia sempre é considerado. Segundo a Thyssenkrupp, esse sistema inteligente de acesso pode economizar até 25% de energia.

Outro fator é a própria economia de espaço já que, num único sistema de poços podem trafegar de forma independente muitas cabines. Evidentemente um sistema de gerenciamento de tráfego será muito importante no projeto.

E indo além, na figura dada como exemplo, o movimento ocorre apenas num plano. Nada impede que ele também tenha canais de deslocamento no sentido ortogonal a esse plano. Andares ou saída no fundo do prédio poderiam ser alcançados.

E é claro, associadas a essas tendências também teremos a tecnologia que deve usar motores mais leves, inteligência artificial, conectividade muito mais que com o tempo estará chegando.

Evidentemente, com todas essas perspectivas, os professionais de manutenção e instalação de elevadores devem estar preparados para um desafio constante: acompanhar essas novas tecnologias.

Estar sempre em dias com essas tecnologias, ter os recursos apropriados para trabalhar com os equipamentos e, evidentemente, conhecer os princípios de funcionamento de cada inovação serão fundamentais para se manter a competitividade num mundo de transformações que cada vez serão mais rápidas.

Vimos apenas duas tendências no mundo dos elevadores, mas a cada dia surgem outras.

(*) Este artigo foi publicado originalmente na revista Elevador Brasil

 

 

 

 

 


Opinião

O que vem pela frente (OP210)

Uma das características do Instituto Newton C. Braga é a manutenção do ritmo de suas realizações, independentemente do que se passa no nosso mundo. Não foi a pandemia, nem crises de qualquer tipo que alteraram nosso ritmo de trabalho.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)