Amplificador 6 V com 1 W (ART2164a)

Este amplificador é indicado para os projetos de pequenos receptores de AM, VHF, intercomunicadores e outros dispositivos onde se necessita de áudio a partir de pilhas numa potência que não ultrapasse 1 W. O projeto é sugerido pela National Semiconductor e tem por base o circuito integrado LM1895.

Obs. O artigo é de 1992. O integrado usado não é mais comum no mercado em nossos dias.

O circuito integrado LM1895 consiste num amplificador de áudio projetado para fornecer 1 W de potência em carga de 4 ohms a partir da alimentação de 6 V.

A faixa de tensões de alimentação, entretanto pode variar de 3 a 9 V o que torna o circuito ideal para aplicações em que temos pilhas ou bateria como fonte de alimentação.

O circuito integrado LM1895 é fornecido em invólucro DIL de 8 pinos e não necessita de radiador de calor.

Os poucos elementos externos ao circuito integrado facilitam o projeto e garantem um excelente desempenho.

O ganho de tensão do circuito apresentado é 500 o que é bastante elevado e permite sua utilização com fontes de sinal muito fracas.

Bastam apenas 4,2 mV de entrada para se obter plena potência de saída.

 

CARACTERÍSTICAS

Faixa de, tensões de alimentação: 3 a 10 V

Corrente quiescente: 8 mA (tip)

Distorção harmônica total: 0,27 % (tip)

Potência de saída:

(6 V,4 ohms) -1,1W

(9 V,8 ohms )-1,1W

Impedância de entrada: 150 k ohms (tip)

 

MONTAGEM

Na figura 1 temos o diagrama completo do amplificador.

 

   Figura 1 – Diagrama completo do amplificador
Figura 1 – Diagrama completo do amplificador

 

Na figura 2 temos a disposição dos componentes numa placa de circuito impresso.

 

   Figura 2 – Placa para a montagem
Figura 2 – Placa para a montagem

 

Os resistores são de 1/8 W ou mais e os capacitores eletrolíticos para 12 V.

Os demais capacitores podem ser cerâmicos ou de poliéster.

Para o circuito integrado recomendamos a utilização de um soquete DIL de 8 pinos, o que elimina o problema de calor no processo de soldagem e facilita a troca.

O alto-falante deve ser de boa qualidade e sua impedância mínima de 4 ohms.

O capacitor Cs deve ser montado o mais próximo possível do pino 8 do circuito integrado.

 

PROVA E USO

Para provar o aparelho podemos fazer uso de fonte estabilizada e bem filtrada ou de 4 pilhas como alimentação.

Na entrada aplicamos o sinal e observamos a fidelidade de reprodução.

Operando com sinais pouco intensos, o cabo da entrada deve ser blindado para se evitar a captação de zumbidos.

Um potenciômetro de 100 K ohms pode ser usado como controle de volume na configuração convencional de divisor de tensão.

R1, C1 e R5 determinam o ganho sendo os valores indicados o que permite a operação na região estável, indicada pelo fabricante, no entanto, pequenas alterações podem ser feitas, observando-se que a fórmula:

R1 x C1= 1/B

Onde B é a faixa passante que permite dimensionar estes componentes conforme a aplicação.

 

CI-1 - LM1895 - cilrcuito Integrado National Semiconductor

 

Resistores: (1 /8 W, 5%)

R1 - 100 k ohms

R2 - 51 ohms

Ro - 1 ohm2

R5 - 200 S2

 

Capacitores: (eletrolíticos para 12 V ou mala)

C1 - 330 pF - cerâmico

C2 - 150 uF - eletrolítico

C3 - 100 uF - eletrolítico

C4 - 100 nF - cerâmico ou poliéster

C5 - 10 uF - eletrolítico

C6 - 470 uF - eletrolítico

Ca - 470 uF - eletrolítico

Co - 100 nF - cerâmico ou poliéster

 

Diversos:

FTE - 4 ohms - alto-falante

Placa de circuito impresso, caixa para montagem, nos, solda, etc.

 


Opinião

O que vem pela frente (OP210)

Uma das características do Instituto Newton C. Braga é a manutenção do ritmo de suas realizações, independentemente do que se passa no nosso mundo. Não foi a pandemia, nem crises de qualquer tipo que alteraram nosso ritmo de trabalho.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)