Cuidado! Som alto demais!

Você pode estar ficando com seu ouvido irremediavelmente comprometido. É o que revelam os relatórios médicos que constatam que a maioria dos jovens já sofre de problemas de audição, causados pelo hábito de ouvir música com volume elevado demais. Discotecas, shows e os MP3 players são os vilões da história. Atenção especial é exigida de todos, principalmente dos pais que têm filhos que usam de modo descontrolado os tocadores de música com fones de ouvido. Na verdade, o fato não é recente.
Um documento emitido pelo governo da Suécia há mais de 20 anos revelava que, examinando jovens que íam para o exército, constatou-se que mais de metade estava com a audição comprometida de modo irreversível pelo hábito de freqüentar discotecas, onde o volume da música era excessivo. Hoje, o problema continua e, infelizmente, não existe uma legislação que proíba a potência excessiva dos equipamentos de som em shows e outros locais, preocupando-se antes, com o excesso de barulho em recintos de trabalho e outros locais.
A coisa é muito mais perigosa do que parece. Um simples fone de ouvido pode afetar sua audição pelo resto de sua vida e você não está percebendo isso. Quando perceber, será tarde demais para se fazer alguma coisa. O que ocorre é que nossos ouvidos são uma maravilha da natureza, projetados para ter uma curva de resposta logarítmica. O que é isso?
Eles estão perfeitamente adaptados para o ambiente em que vivemos. Têm uma alta sensibilidade aos sons baixos, permitindo-nos ouvir o simples ruído das folhas quando alguém caminha sobre elas, e ao mesmo tempo baixa sensibilidade aos sons fortes, como uma trovoada ou uma explosão, protegendo-nos contra a dor que esses sons causariam.
A resposta dinâmica de nossos ouvidos abrange 100 dB, ou sons que estão numa faixa de intensidades de 1 a 10 000 000 000! O problema maior é que, a intervenção da tecnologia está tornando a faixa dinâmica dos nossos ouvidos inadequada aos sons que passamos a encontrar no nosso meio ambiente e um deles é justamente a música tocada alta.
Os sons acima de 100 dB que são alcançados pelos fones de ouvido dos tocadores de música  (players) e outros ambientes, podem causar problemas graves que vão desde a perda gradual da capacidade auditiva até a redução da tolerância aos sons. As pessoas passam a sentir dor mesmo com sons baixos, passam a ouvir sons distorcidos, chiados e pequenos estalos.
 Para que o leitor tenha uma idéia de onde chegamos, basta dizer que uma simples conversação chega aos 60 db, enquanto que no volume 5 de um aparelho de som, a música chega a 85 db de intensidade o que pode causar danos irreversíveis com apenas 1 dia de audição”. Um tiro chega a 150 dB enquanto que um motor de jato a pequena distância chega a 130 dB.
Um som de 95 dB, que corresponderia ao máximo de um equipamento de som, causa danos irreversíveis com apenas 1 hora de audição enquanto que para 100 dB bastam 15 minutos de exposição, segundo tabela elaborada pelo NIOSH (**).
Aparelhos modernos como iPod já possuem recursos que permitem aos pais estabelecer o volume máximo para a música, mas e para os próprios pais que não observam isso, também ouvindo som alto demais, como fica? Comece a se policiar. Se você tem o costume de ouvir música alto, por muito tempo, verifique se sua audição está normal. Se a conversa de seus amigos começam a ter um tom esquisito e distorcido, as pessoas precisam falar mais alto quando conversam com você e os sons comuns de seu ambiente, mesmo de coisas comuns lhe incomodam, que tal um exame de audiometria. Você já pode ter sido afetado.


(**) NIOSH significa National Institute for Occupational Safety and Health ou Instituto Nacional para Segurança e Saúde Ocupacional. É o órgão de segurança e saúde oficial do governo dos Estados Unidos.



Este artigo foi publicado originalmente na revista Novitá de Guarulhos na edição de Julho de 2008.
                              _________________________


Localizador de Datasheets


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Opinião

Entrando em dezembro (OP207)

Estamos nos aproximando do último mês desse ano de pandemia (2020), com esperanças para que a vacina chegue logo e possamos voltar à normalidade. Há muito a ser feito a partir de agora e, como temos informados aqueles que nos seguem, nunca paramos. De fato, nosso trabalho tem sido contínuo, com a produção constante de material para o nosso site, lives, livros, vídeos, podcasts e muito mais. Na verdade, a única mudança que tivemos em nossas atividades foi a suspensão dos eventos presenciais. Esperamos que no próximo ano eles voltem, talvez com algumas modificações, mas que possamos estar juntos daqueles que nos acompanham.

Leia mais...