No artigo anterior (AR1744) focalizamos diversos tipos de fontes de energia, dando uma pequena idéia sobre seu princípio de funcionamento. No ensino fundamental médio e técnico, podemos realizar alguns experimentos simples para demonstrar como elas funcionam.

Experiências simples podem ser usadas em aulas de laboratório, trabalhos para feiras de ciências abordando como tema os geradores e as transformações de energia como vimos no ART1744.

O material usado é de baixo custo e até pode ser aproveitado de sucata, brinquedos e eletro-eletrônicos quebrados.

 

Dínamo Experimental

Um pequeno dínamo, capaz de acender um LED, pode ser elaborado com um pequeno motor de corrente continua, conforme mostra a figura 1.

 

   Figura 1 – Dínamos com motor DC
Figura 1 – Dínamos com motor DC

 

Girando o eixo do motor com os dedos, convertemos a força mecânica dispendida para isso em energia elétrica.

Podemos acoplar um sistema de manivela ou mesmo uma hélice para obter um movimento contínuo e até o acionamento por um ventilador.

Neste caso, teremos um simples gerador eólico.

 

Pilhas Experimentais

Dois eletrodos de cobre e zinco num recipiente com ácido sulfúrico diluído formam uma pilha experimental, conforme mostra a figura 2.

 

   Figura 2 – Pilha experimental
Figura 2 – Pilha experimental

 

A tensão da ordem de 1 V obtida desta pilha pode ser verificada com a ajuda de um multímetro comum.

No site o leitor encontrará alguns circuitos simples que funcionam com a energia desta pilha como rádios e osciladores.

Uma outra maneira de se comprovar a presença de energia gerada com esta pilha é com um galvanômetro elementar, mostrado na figura 3.

 

   Figura 3 – Usando o galvanômetro
Figura 3 – Usando o galvanômetro

 

Detalhes de como construir um galvanômetro elementar o leitor encontrará nos artigos MIN104, MIN106 e MIN93.

Pressionando-se o interruptor a agulha do galvanômetro deve movimentar-se acusando a presença de uma corrente elétrica.

Um oscilador que emite um som contínuo, convertendo energia elétrica em som, pode ser alimentado pela pilha.

O circuito deste oscilador é mostrado na figura 4.

 

   Figura 4 - Oscilador
Figura 4 - Oscilador

 

O transformador deve ser obtido de um radinho transistorizado fora de uso, assim como o alto-falante e o transistor deve ser de germânio.

A montagem deste oscilador é mostrada na figura 5.

 

   Figura 5 – Montagem do oscilador numa matriz de contatos
Figura 5 – Montagem do oscilador numa matriz de contatos

 

Procure informações sobre a disposição correta dos terminais do transistor que está sendo utilizado.

Na figura 6 mostramos um gerador alternativo interessante que “extrai” energia da terra.

 

   Figura 6 – Gerador telúrico
Figura 6 – Gerador telúrico

 

Duas placas de metais diferentes em solo úmido formam um gerador químico que funciona segundo os mesmos princípios das pilhas comuns.

Tensões da ordem de 1 V podem ser obtidas, o suficiente para alimentar o oscilador que já descrevemos e também um rádio AM experimental cujo diagrama é dado na figura 7.

 

   Figura 7 – Rádio telúrico
Figura 7 – Rádio telúrico

 

Os transistores devem ser de germânio e a bobina é formada por 30 + 50 espiras de fio esmaltado 38 ou 30 num bastão de ferrite.

O capacitor variável é aproveitado de um rádio AM fora de uso.

A antena deve ser longa para melhor rendimento.

 

Pilha Solar

Nosso próximo projeto é de uma célula solar improvisada com um transistor de potência aproveitado de sucata.

Conforme mostra a figura 8, se tirarmos a cobertura do transistor expondo sua junção à luz temos a produção de energia elétrica que pode ser acusada pelo galvanômetro.

 

   Figura 8 – Célula solar experimental
Figura 8 – Célula solar experimental

 

A quantidade de energia é muito pequena, mas se ligarmos um fone ou um pequeno alto-falante, conforme mostra a figura 9, e passarmos rapidamente a mão, interrompendo a luz de uma fonte, teremos som.

 

   Figura 9 – Experimento com a célula solar
Figura 9 – Experimento com a célula solar

 

O ruído produzido atesta a produção de energia.

 

 


Opinião

Eventos e muito mais (OP212)

Nosso grande destaque deste mês é o nossa Jornada do Desenvolvimento, que ocorrerá em três etapas sendo a primeira a que foi realizada entre 9 e 13 de agosto. Ela foi uma preparação para as demais que devem ocorrer em setembro e outubro, com oficinas de desenvolvimento com o Edukit SigFox e a Franzininho, numa jornada com os próprios criadores.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia