Flash Integrado (ART2246)

Configurações de sinalizadores de potência normalmente usam transistores de potência no estágio final, para excitar lâmpadas de maior brilho. Esta configuração, entretanto, é diferente e apresenta características que merecem ser analisadas numa aplicação prática: a excitação final da lâmpada é feita por um integrado regulador de tensão com capacidade para 1A e de custo muito baixo.

O circuito que apresentamos opera com tensão de alimentação de 12 V de uma bateria servindo para sinalização com lâmpadas de até 1 A, com características interessantes: na condição de espera pelos flashes, ou nos intervalos entre as piscadas, a lâmpada não apaga totalmente mas fica simplesmente com o brilho reduzido.

Desta forma, o filamento não se encontrando totalmente frio, não há o “impacto" da corrente que reduz a durabilidade da lâmpada.

Ao mesmo tempo, na vinda da corrente maior de acionamento temos uma transição mais rápida para o brilho total com maior rendimento na sinalização.

A principal inovação deste circuito, entretanto, está na utilização somente de circuitos integrados, com a excitação da lâmpada feita, inclusive, através de um regulador de tensão.

O circuito pode controlar lâmpadas até 1 A e com algumas modificações, até potências maiores e sua montagem é extremamente simples dado o número reduzido de componentes.

 

COMO FUNCIONA

A velocidade das pulsações é determinada por um 555 que funciona na configuração de astável.

O tempo de carga do capacitor é dado pelo ajuste de P1 e pelas resistências R1 e R2.

A descarga que leva a saída ao nível alto é determinada por R2.

Com base nos valores destes componentes o leitor pode determinar o ciclo ativo do circuito, alterando-o dentro dos limites permitidos pelas características do 555.

Tanto a resistência entre o positivo da alimentação como entre os pinos 6 e 7 não podem ser menores que 1k9 nem maiores que 1M9.

O capacitor, por outro lado, não deve ser maior que 1000 uF.

Para os valores dados, temos uma piscada em cada aproximadamente 3 segundos no ajuste de resistência máxima para P1.

A saída do 555 controla a polarização de um integrado regulador de tensão 7805 através de um transistor NPN de uso geral.

Com a saída em nível alto no pino 3 do 555, o transistor conduz e apresenta uma baixa resistência entre o pino 2 do CI-2 e a terra, com o que a saída de tensão deste integrado estará em torno de 5 V.

Com a saída do integrado em nível baixo, o transistor não conduz, e o integrado é polarizado no sentido de apresentar tensão máxima de saída, ou seja, os 12 V da alimentação (figura 1).

 

Figura 1 – Sinal no circuito
Figura 1 – Sinal no circuito

 

 

Desta forma, a tensão de saída no 7805 oscila entre 5 e 12 V, alimentando uma lâmpada de sinalização.

A corrente máxima admitida pelo integrado é de 1 A.

Com a tensão de 5 V aplicada à lâmpada seu brilho é mínimo, ficando o filamento apenas aquecido. Com a alimentação máxima, o brilho é total.

 

MONTAGEM

Na figura 2 temos o diagrama completo deste aparelho.

 

Figura 2 – Diagrama do aparelho
Figura 2 – Diagrama do aparelho

 

 

Na figura 3 temos a disposição dos componentes numa placa de circuito impresso.

 

Figura 3 – Disposição numa placa de circuito impresso
Figura 3 – Disposição numa placa de circuito impresso

 

 

Observe que o integrado CI-2 deve ser dotado de um bom radiador de calor.

Para o CI-1 sugerimos a utilização de um soquete DIL de 8 pinos.

Para o ajuste definitivo pode ser usado um trimpot, mas para aplicações em que se necessita variar constantemente a velocidade das piscadas, sugerimos a utilização de um potenciômetro.

Os capacitores eletrolíticos são para 16 V ou mais e os resistores são todos de 1/8 ou ¼ W.

O fusível de proteção é importante para garantir a integridade do sistema em caso de curto-circuito.

A lâmpada X1 pode ser do tipo usado em automóveis, com corrente máxima de 1A.

Obs. Numa versão moderna, podem ser usados LEDs de alta potência em série com resistores apropriados.

 

Uma lâmpada de lanterna de carro serve.

 

PROVA E USO

Basta colocar o fusível no suporte e alimentar a unidade com tensão de uma bateria ou fonte.

Ajustando-se P1 deve-se conseguir que a lâmpada pisque na frequência desejada.

Para alterar o intervalo ou duração podemos modificando resistor R2, que terá valores na faixa de 4,7 a 100 k ohms.

 

CI-1 - 555 - circuito integrado

CI-2 - 7805 - circuito integrado

Q1 - BC548 ou equivalente - transistor NPN de uso geral

F1 - fusível de 2 A

X1 - lâmpada de 12 V - ver texto

P1 – 47 k ohms - potenciômetro

C1 – 22 uF - capacitor eletrolítico

C2 – 100 uF - capacitor eletrolítico

R1 - 4,7 k ohms - resistor (amarelo, violeta, vermelho)

R2 – 47 k ohms - resistor (amarelo, violeta, laranja)

R3 - 2,2 k ohms - resistor (vermelho, vermelho, vermelho)

Diversos: placa de circuito impresso, caixa para montagem, suporte para fusível, soquete para lâmpada, fios, solda etc.

 


Opinião

Eventos e muito mais (OP212)

Nosso grande destaque deste mês é o nossa Jornada do Desenvolvimento, que ocorrerá em três etapas sendo a primeira a que foi realizada entre 9 e 13 de agosto. Ela foi uma preparação para as demais que devem ocorrer em setembro e outubro, com oficinas de desenvolvimento com o Edukit SigFox e a Franzininho, numa jornada com os próprios criadores.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia