LEDs hipnóticos (ART504)

Escrito por Newton C Braga

Uma forma bastante comum de se obter relaxamento ou mesmo um estado hipnótico é através de luzes piscantes. A venda de óculos com LEDs que piscam alternadamente com a finalidade de se obter relaxamento é algo comum nos Estados Unidos. Mas, se o leitor não quer gastar muito com a compra de um óculos hipnótico ou ainda desejar outras configurações a solução pode estar nos circuitos que descrevemos neste artigo. São 4 versões simples de montar, alimentadas por pilhas e que podem ser usadas de diversas maneiras.


Muito cuidado deve ser tomado com o uso deste dispositivo que é puramente experimental, mas tem efeitos perigosos em pessoas com tendência a epilepsia.

 

A interrupção ritmada da luz que incide em nossos olhos pode ter efeitos hipnóticos importantes. Sabemos do caso de acidentes graves provocados quando o motorista passa por uma fila de árvores tendo ao fundo o sol de modo que elas produzam um efeito de luz pulsante em sua visão. O efeito hipnótico que isso causa pode "apagar" o motorista que então se envolve em acidentes.

De uma forma menos perigosa, luzes pulsantes de pequena potência podem ser usadas para levar uma pessoa a um estado de relaxamento, sono ou mesmo hipnose, como encontramos em diversas publicações especializadas.

O que descrevemos neste artigo é a montagem de 4 circuitos simples para se obter hipnose através do piscar das luzes de LEDs. Os dois primeiros fazem dois LEDs piscar alternadamente, caso em que eles podem ser montados, um em cada lado de óculos, conforme mostra a figura 1.

 

Os LEDs aplicados ao óculos.
Os LEDs aplicados ao óculos.

 

O terceiro, que admite o mesmo tipo de montagem faz com que os LEDs pisquem aleatoriamente.

Finalmente temos um quarto circuito mais sofisticado que faz 4 LEDs piscarem sequencialmente.

É claro que a forma de se fazer a montagem pode variar, conforme mostra a figura 2.

 

Uma segunda versão para a <b>MONTAGEM</b>.
Uma segunda versão para a MONTAGEM.

 

Todos os circuitos possuem controles de freqüência possibilitando assim ao usuário escolher a velocidade do efeito que lhe leve ao estado de concentração ou hipnose desejado.

Os circuitos são alimentados por pilhas e têm baixo consumo. Isso os torna totalmente portáteis e permite que eles tenham uso prolongado.

 


Circuito 1

Acionamento Alternado

O primeiro circuito consiste num multivibrador astável com o conhecido circuito integrado 555, o qual alimenta alternadamente dois LEDs em série. Quando a saída do CI está no nível baixo acende o LED1 e quando a saída está no nível alto, acende o LED2.

A freqüência das oscilações dos LEDs é ajustada em P1 e depende do valor de C1. Este capacitor pode ser alterado numa ampla faixa de valores, conforme a faixa de velocidades desejada pelo leitor.

Na figura 3 temos o diagrama completo do primeiro sistema de LEDs Hipnóticos.

 

Diagrama de blocos do circuito.
Diagrama de blocos do circuito.

 

A placa de circuito impresso para sua montagem é mostrada na figura 4.

 

LEDs hipnóticos na place de circuito impresso.
LEDs hipnóticos na place de circuito impresso.

 

Os LEDs podem ser ambos da mesma cor ou de cores diferentes. Eventualmente os resistores R3 e R4 devem ser alterados para que os LEDs pisquem com a mesma intensidade de modo a compensar as suas tolerâncias.

A alimentação do circuito pode ser feita com 4 pilhas pequenas ou uma bateria de 9 V.

Para provar o circuito basta colocar as pilhas no suporte ou conectar a bateria e acionar S1. Os LEDs devem piscar alternadamente. A freqüência será controlada pelo potenciômetro P1.

 

 

Semicondutores:

CI-1 - 555 - circuito integrado

LED1, LED2 - LEDs comuns - ver texto

 

Resistores: (/18W, 5%)

R1 - 10 k ? - marrom, preto, laranja

R2 - 4,7 k ? - amarelo, violeta, vermelho

R3, R4 - 470 ? - amarelo, violeta, marrom

P1 - 1 M ? - marrom, preto, verde

 

Capacitor:

C1 - 10 µF x 6 V ou mais - eletrolítico

 

Diversos:

S1 - Interruptor simples

B1 - 4 pilhas pequenas ou bateria de 9 V

Placa de circuito impresso, suporte de pilhas ou conector de bateria, fios, caixa para MONTAGEM, solda, etc.

 

 

 


Circuito 2

Acionamento Alternado

Este segundo circuito opera da mesma forma que o anterior mas usa uma configuração diferente, baseada no circuito integrado 4093.

Uma porta NAND do circuito integrado é configurada como oscilador onde a freqüência depende de C1 e é ajustada em P1. O sinal deste oscilador é aplicado a um inversor para acionamento do LED1 e, ao mesmo tempo, a dois inversores em série de modo a acionar o LED 2.

Isso significa que os LEDs piscarão alternadamente na freqüência ajustada por P1.

O circuito completo desta versão de acionamento alternado é mostrado na figura 5.

 

Diagrama do acionamento alternado.
Diagrama do acionamento alternado.

 

A placa de circuito impresso para sua MONTAGEM é dada na figura 6.

 

Placa de circuito impresso do sistema alternado.
Placa de circuito impresso do sistema alternado.

 

Da mesma forma que no circuito anterior os LEDs podem ser da mesma cor ou diferentes e para casar seus brilhos os resistores R2 e R3 podem ser alterados.

Para testar o aparelho, basta colocar as pilhas no suporte ou conectar a bateria e acionar S1. Os LEDs devem piscar alternadamente numa velocidade controlada por P1.

 

Semicondutores:

CI-1 - 4093 - circuito integrado CMOS

LED1, LED2 - LEDs comuns - ver texto

 

Resistores: (1/8 W, 5%)

R1 - 100 k ? - marrom, preto, amarelo

R2, R3 - 470 ? - amarelo, violeta, marrom

P1 - 1 M ? - potenciômetro

 

Capacitor:

C1 - 1 µF - cerâmico ou poliéster

 

Diversos:

S1 - Interruptor simples

B1 - 4 pilhas ou bateria

Placa de circuito impresso, suporte de pilhas ou conector de bateria, caixa para MONTAGEM, botão para o potenciômetro, fios, solda, etc.

 


Circuito 3

LEDs Aleatórios

Nesta versão os dois LEDs piscam aleatoriamente e sua velocidade de acionamento é controlada por dois potenciômetros independentes. A freqüência das piscadas é determinada basicamente pelos valores de C1 e C2.

Na figura 7 temos o diagrama completo desta versão dos LEDs Hipnóticos.

 

Diagrama do circuito com LEDs aleatórios.
Diagrama do circuito com LEDs aleatórios.

 

A disposição dos componentes numa placa de circuito impresso é mostrada na figura 8.

 

Leds aleatórios numa placa de circuito impresso.
Leds aleatórios numa placa de circuito impresso.

 

Os LEDs podem ser da mesma cor ou diferentes. Os resistores R2 e R4 eventualmente devem ser alterados para que os LEDs pisquem com a mesma intensidade de modo a compensar suas características.

Os capacitores também podem ser alterados, lembrando que aumentando os seus valores os LEDs piscam numa velocidade menor.

Para testar o aparelho, basta colocar as pilhas no suporte ou conectar a bateria e ligar S1. Os LEDs devem piscar e suas velocidades devem ser controladas independentemente pelos potenciômetros.

 

Semicondutores:

CI-1 - 4093 - circuito integrado CMOS

LED1, LED2 - LEDs comuns

 

Resistores: (1/8W, 5%)

R1, R3 - 47 k ? - amarelo, violeta, laranja

R2, R4 - 470 ? - amarelo, violeta, marrom

P1, P2 - 1 M ? - potenciômetros

 

Capacitores:

C1, C2 - 1 µF - cerâmicos ou poliéster

Diversos:

S1 - Interruptor simples

B1 - 4 pilhas ou bateria

Placa de circuito impresso, suporte de pilhas ou conector de bateria, caixa para MONTAGEM, botões para os potenciômetros, fios, solda, etc.

 

 


Circuito 4

Quatro LEDs Seqüenciais

Nesta versão temos 4 LEDs que acendem seqüencialmente, ou seja, um após outro. Os LEDs podem ser montados num pequeno painel ou dois a dois num par de óculos adaptado, conforme mostra a figura 9.

 

Os LEDs dispostos em seqüência.
Os LEDs dispostos em seqüência.

 

Na figura 10 temos o diagrama completo do sistema seqüencial de LEDs hipnóticos.

 

Diagrama completo do circuito de LEDs sequenciais.
Diagrama completo do circuito de LEDs sequenciais.

 

A disposição dos componentes numa placa de circuito impresso é mostrada na figura 11.

 

Placa do circuito de LEDs seqüenciais.
Placa do circuito de LEDs seqüenciais.

 

Observe que, apesar do desenho mostrar os LEDs soldados na própria placa, eles podem ser ligados através de fios comuns longos aos LEDs montados num par de óculos. Na montagem, a polaridade da ligação desses LEDs deve ser observada, pois se eles forem invertidos, não acenderão.

A velocidade do efeito é controlada por P1 e se o leitor desejar alterar a faixa de efeitos pode mudar o valor de C1. Capacitores menores fazem com que os LEDs corram mais lentamente.

Para provar o aparelho, basta colocar as pilhas no suporte, conectar a bateria e acionar S1. Os LEDs devem imediatamente começar a correr.

Se algum LED não acender verifique se não foi ligado invertido.

 

Semicondutores:

CI-1 - 555 - circuito integrado

CI-2 - 4017 - circuito integrado CMOS

LED1 a LED4 - LEDs da mesma cor

 

Resistores: (1/8W, 5%)

R1, R2 - 10 k ? - marrom, preto, laranja

R3 - 470 ? - amarelo, violeta, marrom

 

Capacitor:

C1 - 1 µF - eletrolítico, cerâmico ou poliéster

 

Diversos:

S1 - Interruptor simples

B1 - 4 pilhas ou bateria

Placa de circuito impresso, suporte de pilhas ou conector de bateria, botão para o potenciômetro, caixa para MONTAGEM, fios, solda, etc.