Transmissor para sinalização (TEL215)

Escrito por Newton C Braga

O transmissor que apresentamos nesse artigo serve tanto para sinalização como para rádio-localização podendo alcançar até mais de 1 km se for alimentado com 12 V e operar na faixa de VHF com um receptor sensível. O circuito é bastante compacto podendo ser instalado num veículo para sua localização. O transmissor pode operar tanto na faixa de VHF baixa como na faixa de FM.

O que o transmissor descrito faz é emitir bips intervalados numa frequência fixa da faixa de VHF. O alcance dependerá da alimentação, podendo ficar entre 6 e 12 V, sendo que, com maior tensão também teremos maior alcance.

Diversas são as utilidades para esse transmissor:

 

Localizador – podemos localizar um veículo ou um objeto em que ele seja instalado seguindo seus sinais com um receptor comum.

Sinalizador – podemos usar seus sinais para monitorar eventos, colocando um dispositivo que o desative caso algo ocorrer ou ainda controlando o próprio oscilador de áudio.

Caça à Raposa – podemos esconder o transmissor em algum lugar de um clube ou sitio e desafiar os competidores a encontrá-lo usando rádios comuns de FM.

 

O circuito é bastante simples, já que usa componentes comuns de baixo custo. Os leitores não terão dificuldades em montá-lo.

 

Como Funciona

Na figura 1 temos os três blocos que correspondem a esse transmissor.

 


 

 

 

Os dois primeiros blocos geram o sinal intermitente de áudio para a modulação. Esse sinal consiste em bips intervalados.

O intervalo entre os bips ou modulação é determinado por R1, R2 e C1. Esses componentes podem ter seus valores alterados caso o leitor deseje uma modulação diferente.

O tom do bip é determinado por R3, R4 e C2, componentes que o leitor também pode alterar. O primeiro bloco controla o segundo bloco.

Os sinais desses dois blocos são aplicados a uma etapa osciladora de alta frequência que é o transmissor de VHF. L1 e CV determinam a frequência desse oscilador.

Daremos uma tabela com as espiras de L1 que permitem escolher frequências de operação de 30 MHz a 110 MHz, lembrando que entre 88 e 108 MHz teremos a operação na faixa de FM.

Os sinais de oscilador são aplicados a uma antena que tanto pode ser um pedaço de fio rígido como do tipo telescópico de 50 cm a 1 metro de comprimento. Essa antena deverá ser posicionada verticalmente longe de qualquer objeto que cause interferências, para maior rendimento do transmissor.

Para uma operação fixa o transmissor também pode ser alimentado por uma fonte de alimentação. Na figura 2 mostramos uma fonte que pode ser usada com esse circuito.

 


 

 

 

Montagem

O circuito completo do transmissor para sinalização é mostrado na figura 3.

 


 

 

 

A disposição dos componentes numa placa de circuito impresso é mostrada na figura 4.

 


 

 

 

O trimmer pode ser de qualquer valor máximo entre 15 e 40 pF. A bobina depende da frequência, devendo ser enrolada com fio de 24 a 28 AWG num lápis como referência, sem núcleo. O capacitor C5 também tem seu valor na dependência da faixa de frequências.

 

A tabela abaixo dá as características da bobina e de C5:

Faixa de Frequências

(MHz) Número de espiras Capacitor C5
30 a 40 12 22 pF
40 a 60 8 15 pF
60 a 80 6 10 pF
80 a 100 4 4,7 pF
100 a 110 2 ou 3 2,2 pF

 

Para alimentação de 9 a 12 V o transistor deverá ser dotado de um radiador de calor. Esse radiador consiste numa chapinha de metal dobrada em U e fixada no componente por um pequeno parafuso com porca.

Os capacitores não indicados como eletrolíticos (C1) devem ser obrigatoriamente cerâmicos. O leitor deve tomar cuidado com os códigos de marcação, por exemplo, para não confundir 10 pF com 10 nF (10K com 10k).

Para alimentação com pilhas numa versão de 6 V, por exemplo, recomendamos o uso de pilhas médias, grandes ou mesmo tipos recarregáveis. O consumo do circuito é algo elevado e como o transmissor opera ligado constantemente, o desgaste de pilhas pequenas será rápido.

O conjunto pode ser instalado numa pequena caixa de madeira ou plástico para maior facilidade de uso ou instalação.

 

Ajuste e Uso

Ligue nas proximidades do transmissor um receptor de VHF ou FM que sintonize a faixa que foi escolhida para a transmissão. Sintonize um ponto da faixa livre, ou seja, em que não existam estações operando.

Ligue o transmissor e vagarosamente, de preferência com uma chavinha não metálica, ajuste C V até captar o sinal do transmissor.

Afaste-se com o receptor. Se o sinal desaparecer logo é porque ele consiste num espúrio ou harmônica. Procure outra frequência do ajuste de CV, onde o sinal seja mais forte.

Comprovado o funcionamento, é só usar o aparelho.

 

CI-1, CI-2 – 555 - circuito integrado, timer

Q1 – BD135, 137 ou 139 – transistor NPN de média potência

CV – trimmer – ver texto

L1 – Bobina – ver texto

A – antena – ver texto

R1 – 82 k ohms x 1/8 W – resistor – cinza, vermelho, laranja

R2 – 15 k ohms x 1/8 W – resistor – marrom, verde, laranja

R3, R4, R5 – 10 k ohms x 1/8 W – resistor – marrom, preto, laranja

R7 – 47 ohms x 1 W – resistor – amarelo, violeta, preto

C1 – 10 uF ou 22 uF x 12 V – capacitor eletrolítico

C2, C6 – 100 nF – capacitor cerâmico

C 3 – 470 nF – capacitor cerâmico

C4 – 10 nF – capacitor cerâmico

C5 – capacitor cerâmico conforme frequência – ver tabela

 

Diversos:

Placa de circuito impresso, caixa para montagem, suporte de pilhas, bateria ou fonte de alimentação, fios, solda, etc.

 

Artigo Publicado originalmente em 2012