Medidor de Isolamento (INS560)

Escrito por Newton C Braga

O instrumento que descrevemos faz testes com alta tensão para detectar problemas de isolamento em transformadores e eletro-eletrônicos. O circuito é alimentado por pilhas, mas usa um inversor para obter tensões acima de 600 V para o teste.

Problemas de isolamento são perigosos para eletro-eletrônicos ligados à rede de energia, pois podem causar choques perigosos.

O circuito que descrevemos mede resistências muito altas usando alta tensão obtida de um pequeno circuito inversor.

Desta forma, sua alimentação pode ser feita com pilhas comuns e a indicação feita tanto por um microamperímetro como pela escala mais baixa de correntes de um multímetro comum.

O inversor usa um transformador comum de 200 a 300 mA e todos os demais componentes são de fácil obtenção.

Com o uso de um triplicador de tensão, a tensão de prova atinge valores muito elevados, chegando aos 600 V.

 

Montagem

Na figura 1 temos o diagrama completo do medidor de isolamento.

 

Figura 1 – Diagrama do medidor de isolamento
Figura 1 – Diagrama do medidor de isolamento

 

Para uma versão simples, a montagem pode ser feita numa ponte de terminais com a disposição de componentes mostrada na figura 2.

 

Figura 2 – Montagem em ponte de terminais
Figura 2 – Montagem em ponte de terminais

 

Uma montagem melhor pode ser feita numa placa de circuito impresso com a disposição de componentes mostrada na figura 3.

 

   Figura 3 – Montagem em placa de circuito impresso
Figura 3 – Montagem em placa de circuito impresso

 

Qualquer pequeno transformador com primário de 220 V e secundário de 9 a 12 V com corrente entre 200 mA e 300 mA pode ser usado.

Alterações das dimensões da placa podem ser necessárias em função do tamanho do transformador.

O valor de C2 pode eventualmente ser mudado para se obter maior rendimento do circuito.

Na montagem, observe as posições dos transistores e dos diodos.

Os capacitores de C4 a C7 devem ter tensões de trabalho de pelo menos 400 V.

Os resistores são todos de 1/8 W com qualquer tolerância e o microamperímetro tem fundo de escala de 100 a 200 µA.

Pode ser utilizado um multímetro analógico comum na escala mais baixa de correntes.

 

Q1, Q2 – BC548 ou BD135 – transistores NPN

D1 a D4 – 1N4004 ou 1N4007– diodos retificadores

T1 – Transformador – ver texto

B1 – 3ou 6 V – 2 ou 4 pilhas

M1 – Instrumento indicador – ver texto

S1 – Interruptor simples

R1, R2 – 1 k Ω – resistores – marrom, preto, vermelho

R3 - 1M5 Ω- resistor – marrom, verde, verde

P1 – 1 M – trimpot

C1, C2 – 47 nF – capacitores de poliéster ou cerâmicos

C3 – 470 nF – capacitor de poliéster ou cerâmico

C4, C5, C6, C7 – 470 nF – capacitores de poliéster para 400 V ou mais

X1, X2 – pontas de prova

 

Diversos:

Ponte de terminais, caixa para montagem, suporte de pilhas, fios, solda, etc.