Carregador de bateria automotiva (ART040)

Nada pior do que tentar dar a partida no carro depois de um longo período de parada (depois de uma viagem em que o carro tenha ficado na garagem) e não haver sinal algum de funcionamento. Veja neste artigo como montar um simples carregador para ser utilizado em situações de emergência e que também serve para carregar baterias chumbo-ácido para outras aplicações.

Para o caso de baterias automotivas descarregadas, quando o carro não dá partida, a solução mais adotada é a popularmente chamada  "chupeta" que consiste em se aproveitar a bateria de um outro carro ou de uma bateria que tenha sido trazida com carga total e que será ligada apenas pelo tempo suficiente para se dar a partida, conforme mostra a figura 1.

 

 


Figura 1 – A chamada “chupeta” – ligar em paralelo uma bateria carregada somente para dar a partida.

No entanto, se não houver carro ou bateria próxima o problema se complica.
Se o leitor puder esperar algumas horas antes de tentar nova partida, a solução pode estar num carregador de emergência. Na figura 2 temos o diagrama de um carregador que, ligado à bateria permite que a partida seja dada depois de 2 a 3 horas de funcionamento.

 


Figura 2 – Diagrama completo do carregador.

A montagem deste carregador é mostrada na figura 3.

 


Figura 3 – Na montagem observe a polaridade de C1. O negativo fica do lado do fio da garra preta.

O resistor R1 determina a corrente de carga e deve aquecer bastante durante o funcionamento, mas isso será perfeitamente normal. O transformador deve ter enrolamento secundário de 12+12 V com pelo menos 3A de corrente e primário de acordo com a rede local de energia.Para usar o aparelho, deve-se desconectar o pólo positivo da bateria do carro (para que a tensão do carregador não afete os equipamentos ligados do carro). O modo de se fazer isso é mostrado na figura 4.

 


Figura 4 – Desligue o conector positivo (+) antes de conectar o carregador à bateria.

Observe que os fios de conexão a bateria são grossos e têm em suas extremidades garras que se adaptam aos topos dos pólos da bateria. O aparelho deve ser ligado pelo menos 2 horas para se tentar a partida. O leitor deve antes verificar se a solução da bateria está no nível correto. Se, depois do tempo previsto, ao se tentar dar a partida não houver sinal algum é porque a bateria não está retendo a carga e, portanto, o carregador não vai solucionar o problema. Para uma carga mais completa, o aparelho pode ser deixado em funcionamento de um dia para outro. Somente baterias de 12V de carro e de motos podem ser carregadas com este aparelho.

Obs: Este carregador é bastante simples, mas eficiente. No entanto não é automático, ou seja, continua ligado mesmo depois da bateria carregada. Para tipos mais sofisticados, automáticos e com sistemas de proteção existem circuitos mais avançados que traremos aos nossos leitores futuramente neste site.



LISTA DE MATERIAL

 

Semicondutores:
D1, D2 - 1N5404 - diodos de silício
LED - LED vermelho comum

Resistores:
R1 - 10 ? x 10 watts - fio
R2 - 2,2 k? x 1/2W

Capacitores:
C1 - 1 000 ?F x 50V - eletrolítico

Diversos:
T1 - Transformador com primário de acordo com a rede local (110/220V) e secundário de 12+12V com pelo menos 3A
S1 - Interruptor simples
F1 - 2A - fusível de entrada
G1, G2 - Garras vermelha e preta
Caixa para montagem, suporte de fusível, fios, solda, cabo de força, etc.


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia