Repetidor Telefônico (ART2237)

Com este circuito podemos acionar, a partir de uma chamada telefônica, uma cigarra ou campainha de alta potência. Trata-se de sistema ideal para locais de barulho intenso como oficinas, fábricas ou ainda quando as pessoas ficam distantes do aparelho telefônico não ouvindo a campainha no nível normal de um aparelho convencional. Também podemos usar este repetidor para acionar uma lâmpada de aviso, chamando a atenção de pessoas que tenham deficiência auditiva.

Obs. O circuito é para linhas analógicas antigas, pois o artigo foi escrito em 1990.

A ideia básica é simples: um sistema eletrônico seleciona os 68 V dos pulsos de chamada que passam para o disparo de um triac o qual pode, por sua vez, acionar cargas de alta potência.

Desta forma, quando temos os pulsos de chamada que ativam a campainha do telefone, ao mesmo tempo é ativado o triac que aciona uma carga de maior potência sonora como, por exemplo. uma cigarra ou campainha para a rede de 110 V ou 220 V.

O uso de um acoplador óptico no interfaceamento da linha telefônica com o circuito de potência torna o sistema seguro, além de haver um segundo isolamento proporcionado por um transformador de pulsos.

A conexão do sistema à linha é extremamente simples, se bem que, em alguns casos, existam restrições que exigem consulta à concessionária local.

Todos os componentes usados no projeto são de baixo custo.

 

COMO FUNCIONA

Para ativar o circuito com a corrente pulsante de 68 V da chamada usamos um filtro passa-altas que bloqueia a corrente contínua da alimentação normal de 48 V do sistema de fone.

O Sinal passa por R5 e C3 e, após a retificação por D5 e filtragem por C2, ativa o LED de um acoplador óptico.

Os diodos zener Z1 e Z2 funcionam como sistema de proteção contra transientes que podem ocorrer na linha e que poderiam causar dano ao LED do acoplador óptico.

Com o LED aceso somente na chamada, o foto-transistor no interior do acoplador óptico conduz dando passagem aos semiciclos da alimentação pulsante obtida de uma ponte de 4 diodos, os quais carregam C1 e provocam o disparo do transistor unijunção no início dos semiciclos da alimentação.

O potenciômetro (ou trimpot) P1 permite ajustar o ponto de disparo de modo a não termos nenhuma tensão na carga na ausência de sinal e máxima corrente com a chamada.

O pulso do disparo do transistor unijunção dispara o triac através de um transformador de pulsos TP 1:1 Thornton garantido assim o máximo rendimento para o circuito.

Em série com o triac está a carga alimentada que pode ser uma cigarra ou campainha.

Como se trata de carga indutiva pode ser necessário filtrar os picos de comutação com uma rede RC conforme mostra a figura 1.

 

   Figura 1 – Filtro RC
Figura 1 – Filtro RC

 

O capacitor é de poliéster para 600 V e o resistor de 1/2 W.

 

MONTAGEM

Na figura 2 damos o diagrama completo do aparelho.

 

Figura 2 – Diagrama completo do aparelho
Figura 2 – Diagrama completo do aparelho | Clique na imagem para ampliar |

 

A placa de circuito impresso para esta montagem é mostrada na figura 3.

 

   Figura 3 – Placa para a montagem
Figura 3 – Placa para a montagem | Clique na imagem para ampliar |

 

Observe que as ligações de alta corrente no triac não são feitas na placa, mas com fios mais grossos. Isso será importante se a corrente da carga acionada for maior que 1 A.

O triac deve ser dotado de um pequeno radiador de calor, e R4 deve ser montado um pouco afastado da placa, pois tende a aquecer um pouco.

Este resistor deve ser de fio com pelo menos 5 W de potência.

Para a maioria das aplicações o triac TIC226 serve, pois tem corrente de 8 A.

Sua tensão deve ser de 200 V se a rede for de 110 V e de 400 V se a rede for de 220 V.

O transformador de pulsos TP 1:1 é da Thornton: caso haja dificuldade de obtenção no comércio de sua localidade pode ser construído em casa.

Enrole 50 voltas de fio 32 AWG num bastão de ferrite com 1 cm de diâmetro e 5 cm de comprimento e depois mais 50 espiras do mesmo fio sobre a primeira bobina.

Se o circuito não disparar após a montagem, inverta as ligações de um dos enrolamentos.

Os diodos são todos comuns: os da ponte retificadora podem ser substituídos por equivalentes e os zener são de 6,8 V com 400 mW.

O transistor unijunção não deve ser substituído por equivalentes e o fusível depende da intensidade da corrente do sistema acionado.

O eletrolítico é para 12 V e tanto C1 como C2 podem ser de poliéster como cerâmicos com tensão de trabalho a partir de 25 V.

R1 e R2 são de 1/8 W enquanto que R6 deve ser de 1 W.

 

PROVA E USO

Basta conectar o circuito à linha telefônica em paralelo com o aparelho já existente.

Existem tomadas de acoplamento paralelo que podem ser adquiridas em casas especializadas que evitam o aglomerado de fios no mesmo terminal e facilitam a retirada do aparelho repetidor em caso de necessidade (nos fins de semana, por exemplo).

Com a ligação da cigarra ou campainha e conexão na rede, deve haver o toque simultâneo em qualquer chamada.

Telefone para um amigo e peça para que ele lhe ligue de modo a facilitar o teste do aparelho.

 

CI-1- 4N26 - acoplador óptico

Triac - TIC226 - ver texto

Q1 - 2N2646 - transistor unijunção

D1 a D4 - 1N4004 ou 14007 - diodos de silício 7

D5 - 1N4148 - diodo de uso geral

Z1, Z2 - 6V8 x 400 mW - diodos zener

TP - transformador de pulsos 1:1

F1 - 1 a 5 A - fusível - ver texto

P1 - 100 k ohms - trimpot ou potenciômetro

C1 - 22 nF - capacitor cerâmico ou de poliéster

C2 - 4,7 uF x 12 V - capacitor eletrolítico

C3 - 470 nF - capacitor de poliéster ou cerâmico

R1 – 470 ohms - resistor (amarelo, violeta, marrom)

R2 - 1 k ohms x 1/ 8 W - resistor (marrom, preto, vermelho)

R3 - 2,2 k ohms x 1/8 W - resistor (vermelho, vermelho, vermelho)

R4 – 10 k ohms x 5 W (110 V) ou 22 k ohms x 5 W (220 V ) - resistor de fio

R5 - 3,3 k ohms x 1/8 W - resistor ( laranja, laranja, vermelho)

R6 - 4,7 k ohms x 1 W - resistor (amarelo, violeta, vermelho)

S1 - interruptor simples

X1 - cigarra ou sirene para a rede local

Diversos: caixa para montagem, cabo de alimentação, placa de circuito impresso, radiador de calor para o triac, fios, solda, etc.

 

 


Opinião

Eventos e muito mais (OP212)

Nosso grande destaque deste mês é o nossa Jornada do Desenvolvimento, que ocorrerá em três etapas sendo a primeira a que foi realizada entre 9 e 13 de agosto. Ela foi uma preparação para as demais que devem ocorrer em setembro e outubro, com oficinas de desenvolvimento com o Edukit SigFox e a Franzininho, numa jornada com os próprios criadores.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia