Mixer Para 3 Guitarras (ART2312)

Se você possui um conjunto musical ou gosta de tocar com seus amigos, mas Seu amplificador só tem uma entrada, que tal montar este mixer, que possibilitará a ligação de 3 (ou mais) violões ou guitarras num mesmo amplificador? Utilizando um único integrado, e alimentado por pilhas, ele pode excitar a entrada de qualquer amplificador comum, sem problemas de perda de volume que ocorreria com a ligação direta dos instrumentos.

O nível pequeno dos sinais obtidos de captadores para violões e guitarras exige circuitos especiais para a elaboração de mixers ou pré-amplificadores. A utilização de um LM387 (metade) é uma solução interessante, tanto pela facilidade com que este integrado pode ser obtido como pelo resultado final do projeto.

Propomos então um mixer que, basicamente, tem três entradas, mas admite até mais duas, com a repetição das etapas constantes do capacitor, potenciômetro e resistor de cursor, sem problemas de sobrecargas, e que excita qualquer amplificador comum.

Como se trata de montagem de áudio que opera com sinais de muito baixa intensidade, é muito importante que todas as ligações sejam curtas e blindadas, principalmente para as entradas e saídas.

A utilização de uma caixa blindada é recomendável, bem como o uso de fonte, mas se não for muito bem projetada, pode trazer problemas de roncos.

Como o consumo de corrente é muito baixo, o uso de 8 pilhas pequenas é a melhor solução, principalmente porque torna a unidade totalmente portátil.

 

O LM387

O LM387 é um duplo amplificador da National (*), projetado especialmente para aplicações em áudio como pré-amplificador, disponível em invólucro DIL de 8 pinos. As características desse integrado são dadas na tabela abaixo.

 


 

 

(*) A National Semiconductor é agora uma empresa do grupo Texas Instruments.

Na figura 1 temos o invólucro do LIVI387 com a identificação dos seus terminais.

 

Figura 2 – O LM387
Figura 2 – O LM387

 

 

Na figura 2 temos o circuito básico do LM387 como amplificador inversor, com algumas fórmulas que permitem determinar suas características.

 

Figura 2 – Circuito básico
Figura 2 – Circuito básico

 

 

Em relação ao circuito final que propomos, podem ser feitas modificações em função do tipo de fonte de sinal (captadores), do ganho desejado e da sensibilidade do amplificador.

Em especial podem ser alterados R3, R4 e R5, numa ampla faixa de valores.

 

MONTAGEM

Começamos por dar o diagrama completo do aparelho na figura 3.

 

Figura 3 – Diagrama completo do aparelho
Figura 3 – Diagrama completo do aparelho

 

 

Os números de terminais entre parênteses no integrado correspondem aos dois canais, devendo-se optar somente pelo primeiro ou somente pelo segundo, já que o amplificador é duplo.

Apenas os pinos 6 e 3 de alimentação são comuns aos dois canais.

A placa de circuito impresso que sugerimos está na figura 4.

 

Figura 4 – Placa de circuito impresso
Figura 4 – Placa de circuito impresso

 

 

Os capacitores de 1uF podem ser de poliéster metalizado, e os eletrolíticos para 16 V ou mais. Os resistores são todos de 1/8 ou 1/4W com 5% ou 10% de tolerância.

Para os potenciômetros podem ser usados os tipos lineares ou logarítmicos, tanto rotativos como deslizantes, dependendo do tipo de montagem a ser feita.

Os jaques de entrada devem ser de acordo com os plugues dos captadores ou guitarras.

Para a saída pode ser usado um jaque comum, onde será ligado um cabo com dois plugues, sendo um de acordo com este jaque e o outro de acordo com a entrada do amplificador.

Outra opção é usar um cabo com plugue de acordo com a entrada do amplificador, diretamente.

Para as pilhas, usamos dois suportes de 4, pilhas (B1 e B2), ligados em série. O polo negativo da alimentação deve ser ligado à caixa, que deve ser metálica, para servir de blindagem, evitando assim a captação de zumbidos.

 

PROVA E USO

Efetue um teste, conectando o mixer à entrada do amplificador, e na entrada do mixer os instrumentos.

Ajuste em seguida o volume do amplificador e cada potenciômetro para que o instrumento tenha o volume desejado. Se quiser, pode ligar também microfones neste mixer, acrescentando entradas, caso seja necessário.

Se notar que o aparelho precisa de mais ganho, altere o valor de R4, aumentando-o, e se notar mudança de timbre, reduza R6, assim como R5.

 

CI-1 - LM387 - circuito integrado

P1, P2, P3 – 1 M – potenciômetros - ver texto

S1 - interruptor simples

Bl, B2 – 6 V - 2 conjuntos de 4 pilhas em série

R1, R2, R3 - 47k - resistores (amarelo, violeta, laranja)

R4 – 470 k - resistor (amarelo, violeta, amarelo)

R5 – 56 k - resistor (verde, azul, laranja)

R6 - 2k2 - resistor (vermelho, vermelho, vermelho)

Cl a C4 - 1 uF - capacitores de poliéster

C5 + 10 uF - capacitor eletrolítico

C6 - 100 uF - capacitor eletrolítico

C7 – 100 nF - capacitor cerâmico ou de poliéster

C8 – 10 nF - capacitor cerâmico ou de poliéster

Diversos: placa de circuito impresso, soquete para o integrado, suporte de

pilhas, jaques de entrada e saída, caixa metálica para montagem, fios, solda,

knobs para os potenciômetros etc.

 

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia