Rádio de 5 Transistores (ART2734)

Eis aqui um radinho que não necessita de qualquer tipo de ajuste e que pode captar perfeitamente com bom volume as estações de radiodifusão locais. Com uma etapa de amplificação potente, fornece um som de ótima qualidade.

Se o leitor pretende montar um radinho simples que não necessita de qualquer ajuste, mas que tenha um desempenho comparável a um rádio de tipo comercial, eis aqui o projeto ideal.

Com 5 transistores, temos uma sensibilidade bastante boa para o circuito o que garante a captação das estações locais mais fortes mesmo sem o uso de antena externa, e a captação de estações mais fracas ou afastadas com uma pequena antena interna, ou mesmo antena telescópica.

Como se trata de circuito sem necessidade de ajustes, o leitor não precisará de nenhum instrumental especial para realizar este projeto. Tudo que será necessário é facilmente obtido nas casas de material eletrônico, além das ferramentas normais.

Trata-se, portanto, não só de um circuito de bom desempenho como também uma excelente sugestão para os principiantes que estão em busca de uma primeira montagem atraente para se iniciarem na eletrônica.

 

CIRCUITO

Para que o leitor entenda bem como funciona este circuito, vamos dividi-lo em diversas etapas explicando como funciona cada uma e a sua função no nosso radinho (figura 1).

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

 

A primeira etapa é formada pelo circuito de sintonia que consta de uma bobina e de um capacitor variável.

A bobina e o capacitor variável formam um circuito ressonante, ou seja, um circuito que tem a propriedade de responder a sinais de uma única frequência. Assim, os sinais vindos da antena do rádio ao incidirem neste circuito podem ser admitidos ou rejeitados conforme seja sua frequência.

Os sinais rejeitados são desviados para a terra, enquanto que o sinal admitido cuja frequência coincide com a do circuito e enviado a etapa seguinte do rádio (figura 2).

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

Ajustando o capacitor variável podemos escolher qual o sinal que deve ser enviado a etapa seguinte e portanto qual a estação que deve ser ouvida.

A etapa seguinte a ser analisada é a formada pelo detector de envolvente cujo componente principal é um diodo semicondutor. A função desta etapa é a seguinte:

Os sinais que vem da etapa de sintonia são sinais de alta frequência modulados em amplitude, ou seja, sinais que não podem ser ouvidos pois tem frequência muito alta, mas que transportam sobreposto um sinal de baixa frequência que contém os sons que devem ser ouvidos (figura 3).

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

A etapa detectora o que faz é separar o sinal de baixa frequência correspondente aos sons do sinal de alta frequência que o transporta.

Uma vez separado, o sinal de baixa frequência passa para as etapas seguintes cuja função é amplifica-lo até que adquiram uma intensidade suficiente para poder ser aplicado a um alto-falante.

Na primeira etapa temos o potenciômetro de controle de volume que nos permite dosar a parcela do sinal que deve ser amplificado e portanto controlar o volume do som no alto-falante. (figura 4).

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

 

As duas primeiras etapas de amplificação são acopladas por meio de capacitores, enquanto que o acoplamento da terceira para a última etapa é direto.

Em especial interessa-nos descrever a etapa de saída usada que é em simetria complementar cujas características permitem não só a obtenção de um volume sonoro bom, como também uma excelente qualidade de som.

O transistor Q3 neste circuito atua como um impulsor, enviando o sinal aos dois transistores de saída. Esses dois transistores formam um par complementar, pois um é NPN e outro PNP de características semelhantes. Cada um desses transistores amplifica um semiciclo do sinal de áudio (figura 5).

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

 

Com esta configuração obtém-se além de boa fidelidade e potência, uma baixa impedância de saída que elimina a necessidade de se usar um transformador para acoplar ao alto-falante.

A alimentação deste circuito é fornecida por uma bateria de 6une pode ser obtida pela associação de 4 pilhas pequenas em série. O consumo de corrente do rádio dependerá do volume do sinal, situando-se tipicamente entre 10 e 50 mA o que garante uma boa durabilidade para as pilhas.

 

MONTAGEM

Sugerimos para os principiantes a montagem em ponte de terminais, se bem que uma montagem em placa de circuito impresso além de ser mais compacta elimina eventuais problemas de realimentações que podem ocorrer na primeira versão se não forem tomadas as devidas precauções.

Para a montagem o que o leitor necessitará será de um soldador de .pequena potência, solda, alicate de corte lateral, alicate de ponta e chave de fenda.

Na figura 6 temos o circuito completo do rádio, enquanto que na figura 7 temos a maneira como os componentes devem ser fixados na ponte de terminais.

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores | Haga click en la imagen para ampliar |

 

 

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores | Haga click en la imagen para ampliar |

 

 

A placa de circuito impresso (lado cobreado e lado dos componentes) é mostrada na figura 8.

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

 

Na versão em ponte de terminais as ligações entre os componentes devem ser as mais curtas possíveis para se evitar realimentações que possam tornar instável o funcionamento do rádio induzindo ruídos e apitos. A disposição dos componentes na medida do possível deve ser igual a representada na figura.

 

São os seguintes os principais cuidados a serem tomados com a montagem

a) Enrole a bobina cuidadosamente num bastão de ferrite que pode ser do tipo cilíndrico ou retangular de qualquer tamanho desde que comporte as voltas de fio empregadas. São enroladas 100 voltas de fio esmaltado 26 ou 28 com uma tomada na vigésima espira, correspondendo ao terminal 2 da figura 9. O leitor pode também enrolar esta mesma bobina com fio comum fino de capa plástica se tiver dificuldade em encontrar o fio esmaltado.

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

 

b) O variável pode ser do tipo miniatura usado em rádios transistorizados ou mesmo grande. Se o leitor tiver dificuldade em encontrar o tipo de uma seção pode usar o de duas, desprezando a ligação de uma delas. Observamos que preferivelmente deve ser adquirido um variável de eixo fino para fixação direta do knob de sintonia. Na figura a ligação representada é para o variável do tipo miniatura.

c) Na soldagem dos transistores observe sua polaridade, ou seja, a posição de ligação, evitando o excesso de calor que pode danifica-los. Cuidado para diferenciar bem Q5 que é diferente dos demais transistores quanto às características não podendo ser trocado.

d) Na soldagem dos diodos, tanto detector como de polarização D1, D2, D3, observe cuidadosamente sua polaridade e evite o excesso de calor, já que são componentes bastante delicados.

e) Na soldagem dos capacitores eletrolíticos C6 e C7 observe sua polaridade. Estes componentes tem uma tensão mínima de trabalho de 6V podendo ser usados em seu lugar qualquer capacitor de mesmo valor com tensões a partir deste valor.

f) Os demais capacitores usados são de poliéster metalizado devendo estes componentes ser identificados pelas cores. Cuidado na soldagem que pode danificá-los com facilidade. Capacitores equivalentes de cerâmica podem ser usados em seu lugar.

g) O potenciômetro de controle de volume não tem um valor crítico. Pode ser usado um de 4,7 k, 5,6 k ou mesmo 10 k. Este potenciômetro é conjugado ao interruptor que liga a alimentação do receptor. Na sua ligação deve ser observada a disposição dos fios que deve ser feita de modo que aumenta-se o volume girando-o para a direita.

h) Os resistores usados nesta montagem podem ser de 1/8, 1/4 ou mesmo ½ W. Sua tolerância pode ser de 10% ou 20%, e a identificação de seus valores é feita pelos seus anéis coloridos. Não deixe os seus terminais muito longos nem muito curtos.

i) O alto-falante usado dependerá do tamanho da caixa em que será instalado o rádio. Para uma caixa pequena pode ser usado um alto-falante miniatura de 2 ou 2,5 polegadas, enquanto que para caixas maiores podem ser usados alto-falantes maiores que permitirão melhor qualidade de som. Em todos os casos a única exigência a ser feita em relação a este componente é que sua impedância seja de 8 ohms.

 

Completada a montagem, o leitor antes de instalar o rádio definitivamente na caixa deve realizar um teste de funcionamento conforme se segue:

 

PROVA DE FUNCIONAMENTO E USO

Como antena o leitor pode usar provisoriamente um pedaço de fio comum de uns 5 metros de comprimento, esticado. A ligação à terra pode ser feita no polo neutro da tomada ou no encanamento de água, conforme sugere a figura 10.

 

Rádio de 5 Transistores
Rádio de 5 Transistores

 

 

Coloque as pilhas no suporte e ligue o aparelho acionando R2. Coloque este controle de volume em seu máximo.

Gire o capacitor variável até sintonizar alguma estação.

Se o rádio não captar nenhum sinal e emitir um ronco contínuo ou ainda.”pipocar" isto é sinal de ocorrem realimentações no circuito as quais devem ser eliminadas.

Para esta finalidade reduza as ligações que estiverem muito compridas, principalmente os terminais dos componentes ligados às bases dos transistores. Se com isso ainda se conseguir uma eliminação completa dos ruídos, troque o capacitor C3 e C5 por outros de maior valor.

Para C3 coloque inicialmente um capacitor de 22 nF e para C5 um de 220 pF ou mesmo 470 pF.

Para tornar o som do rádio mais grave, o componente a ser alterado é C5 que deve ter seu valor aumentado até um máximo de 1,5 k ohms.

Comprovado o funcionamento do receptor o leitor pode instalá-lo em definitivo numa caixa.

Se as estações locais forem fortes a antena externa pode ser eliminada e usada simplesmente uma antena telescópica. Para estações fracas deve ser usada a ligação a terra assim como uma antena de pelo menos 5 metros de comprimento.

 

Q1 Q2, Q3 Q4 - BC238 ou BC 548 - transistores

Q5 - BC308 ou BC558 - transistor

D1 - OA85.1N34 ou 1N60- diodo de cristal

D2. D3 - BA3 15 ou equivalente - diodo

L1 - Bobina de antena (ver texto)

CV - capacitor variável (Ver texto)

C1- 220 nF- capacitor de poliéster

C2 - 47 nF - capacitor de poliéster

C3 - 10 nF- capacitor de poliéster

C4 - 22 nF- capacitor de poliéster

C5 - 100 pF- capacitor de cerâmica

C6 - 470 uF x 12 V- capacitor eletrolítico

C7 - 220 uF x 12 V- capacitor eletrolítico

R1- 2,2 M ohm x 1/4 W- resistor (vermelho, vermelho. verde

R2- 5,6 k ohms x potenciômetro com chave

R3 - 2,2 M ohms x 1/4 W - resistor (vermelho, vermelho, verde)

R4 - 8 2 k ohm x 1/4 W- resistor (cinza, vermelho, vermelho)

R5 - 220 k ohm x 1/4 W- resistor (vermelho, vermelho, amarelo)

R6 - 1 k ohm x 1/4 W- resistor (marrom, preto, vermelho)

B1 - Bateria de 6 V

FTE alto falante de 8 ohms (ver texto)

Diversos: suporte para pilhas, ponte de terminais, fios solda caixa, knobs. terminal antena/terra, antena telescópica. Etc.

 

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia