Testando Diodos Zener (INS571)

Um problema encontrado por muitos profissionais no dia-a-dia é a identificação da tensão de um diodo zener que não tenha um código conhecido. Neste caso, é preciso retirar o zener do circuito e, através de um circuito de teste, determinar a sua "tensão zener" (ou se ele está queimado). O modo de fazer isso de duas formas simples é o que nos propomos a descrever neste artigo.

Se um diodo zener não tem um código óbvio (como os da série BZX ou BZY em que a terminação 4V7), por exemplo, já indica que se trata de um diodo de 4,7 V, fica difícil para o profissional saber qual é a sua tensão e se ele está em estado bom.

As provas com o multímetro podem revelar apenas se ele está em curto, mas nada informam sobre sua tensão zener.

Assim, se o diodo é da série “2N" e o leitor não possui uma tabela, ou não tem acesso à internet naquele momento para uma consulta, ele pode estar em apuros.

Para facilitar a solução para esses leitores damos dois processos simples de teste de diodos zener de uma forma não destrutiva, usando circuitos facilmente implementáveis e um multímetro digital (ou mesmo analógico comum de boa sensibilidade)

A ideia básica é que, aplicando-se uma tensão maior do que a do diodo zener e tendo-se uma limitação apropriada de corrente, conforme mostra a figura 1, devemos medir a tensão zener entre os terminais do diodo.

 

 

 Figura 1 – Comportamento de um diodo zener
Figura 1 – Comportamento de um diodo zener

 

 

Podemos fazer isso de diversas formas, mas descreveremos duas que permitem testar diodos até uns 50 ou 60 V com potências acima de

 

O CIRCUITO

O primeiro circuito destina-se aos que têm acesso à rede de energia e, portanto, podem usar os 110/127 V dessa rede para os testes.

O circuito consiste então num simples retificador com resistores limitadores de corrente, conforme ilustra a figura 2.

 

 

   Figura 2 – O circuito de teste
Figura 2 – O circuito de teste

 

 

Usamos a posição da chave que coloca o resistor de 22 k ohms se o diodo zener for de 400 mW a 1 W, e a chave na posição com o resistor de 10 k ohms para zeners de maior potência.

O multímetro é ligado em paralelo com o zener em uma escala aproximada de tensões

O capacitor deve ter uma tensão de trabalho de 200 V ou mais.

Alterações nos componentes podem ser feitas para operação na rede de 220 V como, por exemplo, dobrar os valores dos resistores e substituir o diodo por um 1N4007.

A tensão de trabalho do capacitor deverá ser de pelo menos 350 V.

 

D1 - 1N4004 - diodo retificador

R1 - 10 k ohms x1 W – resistor

R2 - 22 ohms x 1 W - resistor

C1 - 2,2 uF x 200 V - capacitor eletrolítico

F1 - 500 mA -fusível

M1 - Multímetro digital

Diversos:

Placa de circuito impresso, cabo de força, suporte para fusível, garras de teste, fios, solda, etc.

 

 

O TESTE

 O procedimento de teste é simples: ligue o diodo zener e o multímetro na escala de tensões apropriada, observando a polaridade.

 Depois, selecione o resistor limitador de corrente conforme o diodo.

Ligue o aparelho e leia a tensão zener no multímetro.

 

 


Opinião

Eventos e muito mais (OP212)

Nosso grande destaque deste mês é o nossa Jornada do Desenvolvimento, que ocorrerá em três etapas sendo a primeira a que foi realizada entre 9 e 13 de agosto. Ela foi uma preparação para as demais que devem ocorrer em setembro e outubro, com oficinas de desenvolvimento com o Edukit SigFox e a Franzininho, numa jornada com os próprios criadores.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia