Provador de Controle Remoto (INS289)

Diante de um sistema de controle remoto por infravermelhos inoperante, inicialmente fica difícil saber se o problema está no transmissor ou no sistema receptor. Com o aparelho simples que descrevemos a comprovação da emissão do transmissor é imediata possibilitando assim que o técnico vá diretamente a verdadeira causa do problema. Montado numa caixinha de reduzidas dimensões e alimentado por pilhas ele pode ser levado em qualquer parte.

Não podemos ver a radiação infravermelha e isso nos impede de saber se um transmissor de controle remoto está ou não operando.

Mesmo se o problema for simplesmente um diodo emissor queimado, não podemos saber disso sem um teste que exija a abertura do aparelho e a medição de tensões.

A posse na oficina de um simples comprovador de transmissores de controle remoto por infravermelho pode ser muito útil na economia de tempo e de serviço, compensando plenamente o pequeno investimento em componentes.

Nosso projeto usa apenas um circuito integrado e dá uma indicação visual do funcionamento do controle remoto, facilitando assim a rápida localização da origem do problema.

Basta apontar o transmissor para o aparelho e se "apitar" e porque o defeito está certamente no receptor.

Pequenas modificações no projeto original podem levá-lo a outras utilidades como, por exemplo, a indicação visual e também a outros tipos de prova como:

Alarmes por infravermelhos

Detectores de objetos e passagem que usem emissores infravermelho.

CARACTERÍSTICAS

Tensão de alimentação: 6 V

Corrente consumida: 0,5 mA (espera) 5 mAh (emitindo som)

Número de integrados: 1

 

COMO FUNCIONA

O sensor pode ser qualquer diodo infravermelho sensível, de grande superfície como os usados em receptores de controle remoto e alarmes.

Quando este diodo recebe radiação infravermelha uma corrente circula fazendo sua resistência cair e com isso levando o nível lógico da porta CI-1a inicialmente no 1 para o 0.

O resultado é que esta porta, funcionando como inversora tem sua saída passando do nível lógico 0 para o nível lógico 1 e com isso ativa-se um oscilador de áudio formado por Cl-1b.

A freqüência deste oscilador é dada pelo capacitor C1 e o resistor R2 e pode ser alterado conforme a vontade do leitor.

O sinal de áudio é levado a um buffer-amplificador digital formado por CI-1c e Cl-1d.

O sinal retangular deste amplificador e levado ao transdutor que consiste numa cápsula piezoelétrico, que tem bom rendimento para a finalidade proposta.

Se o leitor não conseguir a cápsula, pode usar em seu lugar um pequeno alto-falante excitado por um transistor conforme circuito mostrado na figura 1.

 

Figura 1 – Usando um alto-falante
Figura 1 – Usando um alto-falante

 

A montagem com alto-falante fica um pouco maior, mas o volume do som obtido também será um pouco maior.

O único ajuste do aparelho é feito em P1 para que, sem iluminação no ponto de máxima sensibilidade.

O circuito integrado Cl-1A reconheça a tensão no diodo como nível lógico alto.

Um pequeno tubinho para instalação do foto-diodo ajudará a manter o componente livre da interferência da luz ambiente e levando-o ao máximo de sensibilidade.

 

MONTAGEM

Na figura 2 temos o diagrama completo do teste de controles remotos.

 

Figura 2 – Diagrama completo do aparelho
Figura 2 – Diagrama completo do aparelho

 

Na figura 3 temos a disposição dos componentes numa placa de circuito impresso.

 

Figura 3 – placa para a montagem
Figura 3 – placa para a montagem

 

 

Para o circuito integrado sugerimos a utilização de um soquete DIL de 14 pinos que evita o calor no processo de soldagem, atingindo o componente, e facilita sua troca em caso de necessidade.

Os resistores são de 1/8 a 1/4 watt com tolerâncias de 5 a 20% e o capacitor C1 é de poliéster ou cerâmico e seu valor não é crítico podendo situarse entre 22 nF e 100 nF conforme a tonalidade do som desejado.

O capacitor eletrolítico C2 é um de 6 V ou mais e também seu valor não é crítico já que sua função é simplesmente desacoplar a fonte.

Valores entre 10 nF e 220 nF podem ser usados sem problemas.

O transdutor X1 é um "buzzer" passivo (sem Oscilador) piezoelétrico comum ou mesmo um fone de cristal.

Um tweeter piezoelétrico sem o transformador interno também poderá ser usado.

Na figura 4 temos uma sugestão da caixa para montagem, observando-se a colocação externa do potenciômetro de ajuste.

 

Figura4 – Sugestão de caixa
Figura4 – Sugestão de caixa

 

Este potenciômetro pode incluir o interruptor geral, caso o leitor assim deseje.

Na ligação do suporte das pilhas deve ser observada a sua polaridade.

O aparelho também funcionará com bateria de 9 V.

O sensor pode ser qualquer foto- diodo comum, dos tipos usados em receptores de controle remoto de TV e vídeo.

 

PROVA E USO

Para provar basta ligar o aparelho e inicialmente com o sensor apontado para algum objeto escuro, ajustar P1 até que ele fique no limiar da oscilação.

Depois, apontando o sensor para qualquer objeto claro, deve ocorrer a produção de som.

Altere C1 se quiser modificar o som emitido. Para usar, ajuste P1 para que o aparelho fique no limiar da oscilação e aponte para o sensor o transmissor de controle remoto a uma distância de 20 cm a 1 metro, conforme mostra a figura 5.

 

Figura 5  - Modo de usar
Figura 5 - Modo de usar

 

Se houver emissão, deve ocorrer a produção de som. Para isso, o leitor deve ativar qualquer tecla de controle remoto para que ocorra a ativação do circuito.

 

CI-1 - 4093B - circuito integrado CMOS

D1 - qualquer foto-diodo receptor infravermelho (PSUS34OO ou equivalente)

B1 - 6 ou 9 V - 4 pilhas ou bateria

S1 - interruptor simples

P1 - 1 M Ω - potenciômetro

X1 - transdutor piezoelétrico – ver texto

R1 - 10 k Ω - resistor (marrom, preto, laranja)

R2 - 47 k Ω - resistor (amarelo, violeta, laranja)

C1 - 47 nF (473 ou 0,047) capacitor cerâmico ou de poliéster)

C2 - 100 µF x 6 V – capacitor eletrolítico (9 V se a alimentação for com bateria)

Diversos: caixa para montagem, placa de circuito impresso, soquete DIL para o integrado, suporte de pilhas ou conector de bateria, botão para o potenciômetro, fios, solda, etc.

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Novembro chegando (OP197)

Novembro é o mês de encerramento das aulas e com isso, diferentemente do que muitos pensam, as atividades estudantis não terminam. Alguns curtirão suas férias, mas outros ficam para exames e mais ainda, precisam terminar seus TCCs.

Leia mais...

Vencedor
Os que vencem, seja lá de que modo, nunca disso se envergonham. (Coloro Che vincono, in qualche modo vincano, mal non ne riportano vergogno.)
Maquiavel (1469 - 1527) - As Histórias Florentinas - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)