Ohmímetro Econômico (INS548)

Dependendo da precisão dos componentes usados e da calibração da escala, este instrumento pode medir resistências de 10 ohms a 1 M ohms com facilidade. Utilizando componentes comuns ele é simples de montar e usar.

O que descrevemos é na realidade uma simples ponte de resistências utilizando o utilíssimo amplificador operacional 555.

O circuito não precisa de fonte simétrica, sendo alimentado por uma única bateria de 9 V.

Com ele, podemos medir resistências na faixa de 10 ohms a 1 M ohms em duas escalas.

Será um útil aparelho para quem possui apenas um multímetro analógico comum de baixo custo que, normalmente não é muito preciso na medida de baixas resistências.

Na figura 1 temos o aspecto da montagem.

 

   Figura 1 – Aspecto da montagem
Figura 1 – Aspecto da montagem | Clique na imagem para ampliar |

 

 

Como Funciona

O que temos é um circuito comparador em que a resistência desconhecida e a resistência variável da escala formam um divisor de tensão.

Quando este divisor está desequilibrado, ou seja, a resistência desconhecida é maior ou menor do que a ajustada na referência variável, a tensão de saída do operacional é maior ou menor que metade da tensão de alimentação e com isso, um ou outro LED acende, conforme mostra a figura 2.

 

   Figura 2 – O comparador desequilibrado
Figura 2 – O comparador desequilibrado | Clique na imagem para ampliar |

 

Quando ajustamos o potenciômetro de equilíbrio de tal modo que sua resistência se iguale à resistência desconhecida, conseguimos levar a saída do operacional à metade da alimentação e com isso ela se guala ao divisor de 4,5 V de referência.

O resultado disso é que os dois LEDs apagam.

Assim, na operação do medidor, tudo o que temos de fazer é ligar o resistor desconhecido e ajustar o potenciômetro da escala até que os dois LEDs apaguem.

Bastará então ler o valor da resistência em que isso ocorre na escala do potenciômetro.

Um ponto importante do circuito é o resistor R6 que determina o ganho do comparador.

Se ele for muito pequeno, a faixa em que o LED apaga é ampla e não temos precisão de leitura.

Por outro lado, se for alto, a faixa se estreita e obtemos maior precisão, mas em compensação, o ajuste fica mais crítico. A figura 3 mostra o que ocorre. Os LEDs usados podem ser vermelhos comuns.

 

 Figura 3 – A influência do resistor R6.
Figura 3 – A influência do resistor R6. | Clique na imagem para ampliar |

 

 

Montagem

Na figura 4 mostramos o diagrama completo do ohmímetro.

 

   Figura 4 – Diagrama do ohmímetro
Figura 4 – Diagrama do ohmímetro | Clique na imagem para ampliar |

 

Na figura 5 mostramos a placa de circuito impresso para a montagem.

 

   Figura 5 – Placa para a montagem
Figura 5 – Placa para a montagem | Clique na imagem para ampliar |

 

Na montagem, observe a posição do circuito integrado.

Os resistores podem ser de 1/8 W.

Na figura 6 damos duas escalas para a medida de resistências, conforme o potenciômetro selecionado.

 

   Figura 6 – As escalas para o aparelho
Figura 6 – As escalas para o aparelho | Clique na imagem para ampliar |

 

É muito importante que os potenciômetros usados sejam lineares, para que a escala tenha validade.

Para usar, basta conectar o resistor desconhecido, selecionar a escala conforme a ordem de valor e ajustar o potenciômetro até o ponto em que os dois LEDs fiquem apagados.

Depois é só ler o valor na escala.

 

CI-1 – 741 – circuito integrado

LED1, LED2 – LEDs vermelhos comuns

S1 – Interruptor simples

S2 – Chave de 1 pólo x 2 posições

B1 – 9 V – bateria

PP1, PP2 – pontas de prova

P1 – 1 M ohms – potenciômetro linear

P2 – 100 k ohms – potenciômetro linear

P3 – 10 k ohms – trimpot

R1, R3, R7, R8 – 1 k ohms – resistores – marrom, preto, vermelho

R2, R4 – resistores – marrom, preto, laranja

R5 - 15 k ohms – resistor – marrom, verde, laranja

R6 – 1 M ohms – resistor – marrom, preto, verde

 

Diversos:

Placa de circuito impresso, conector de bateria, botões com indicador para os potenciômetros, escala, caixa para montagem, fios, solda, etc.

 


Opinião

O que vem pela frente (OP210)

Uma das características do Instituto Newton C. Braga é a manutenção do ritmo de suas realizações, independentemente do que se passa no nosso mundo. Não foi a pandemia, nem crises de qualquer tipo que alteraram nosso ritmo de trabalho.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)