Alto-Falantes Analógicos e Modernos – Problemas com Amplificadores (DUV464)

Esse assunto tem gerado inclusive briga desde os tempos do orkut , fato que eu tenho a razão.

Antigamente só se faziam alto falantes com duas camadas na bobina. eram feitos para 3,2, 4, 6, 8 ou 16, 25 Ω e etc., enfim... tinham só duas camadas de enrolamento na bobina e pronto.

Modernamente, se fazem com 4 camadas de fio na bobina. talvez para se obter maior ganho.... São bobinas grossas pesadas e mais indutivas pelo que posso crer... mesmo assim, a dita "impedância" com que muitos batem o pé e afirmam teimosamente ser a única grandeza relevante ali é compatível...

O que ocorre: ao usar esses alto falantes em amplificadores antigos ocorrem situações as quais descrevo:

A- em amplificadores de fonte assimétrica com capacitor na saída, geralmente STKs, o som fica um espetáculo, muito ganho, muitos graves, mas com um aquecimento assustador, violentíssimo do amplificador a parecer ferro de passar no dissipador...

B- já nos de fonte assimétrica que não usam capacitor em série com o falante o resultado é "pior" ainda. não se pode abrir um pouco mais o volume, porque racha! ao invés de música temos cráác cráác tráác.

O que se passa? o amplificador convencional não se entende direito com a indutância do falante? O fator de amortecimento do amplificador torna- se inútil ante a suposta tensão gerada pelo retorno do cone? O amplificador acaba interpretando o falante como se fosse um curto? Como são então os amplificadores modernos feitos para esses falantes? qual a diferença que existe entre ambos e o que poderia ser feito, ( se há

solução) para compatibilizar as coisas? já experimentei capacitor em serie e "ajudou" um pouco. qdo vou testar um alto falante para um cliente, geralmente de automóvel, 4 Ω, ponho em serie com ele um grande resistor de fio de 2R2, senão nem é possível ouvi- lo.

 

Resposta:

Os alto-falantes modernos usam uma tecnologia de construção totalmente diferente. São usados imãs muito mais poderosos e o formato da bobina concentra melhor as linhas do campo magnético de modo a se obter maior concentração das linhas de força.

Isso faz com que eles sejam capazes de reproduzir uma faixa muito mais ampla de frequências chegando aos graves mesmo com cones menores. O resultado disso é um deslocamento da frequência de ressonância que se reflete quando usamos amplificadores antigos.

Os amplificadores antigos possuem bootstraps que mantém a impedância do circuito em função das características dos alto-falantes antigos, onde a ressonância e, portanto, a impedância é dada geralmente para a 1 kHz. Para estes alto-falantes muda tudo daí o comportamento estranho sobrecarregando os circuitos ou ocorrendo distorções.

Uma possibilidade importante seria analisar o circuito amplificador a ser usado, analisar a curva de resposta do alto-falante moderno e eventualmente alterar o boostrap (capacitor e resistor na saída) para as novas características.

Veja que, não casando as características a energia que deveria ser convertida em som não vai para o alto-falante e aí temos o aquecimento constatado pelo leitor.

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Novembro chegando (OP197)

Novembro é o mês de encerramento das aulas e com isso, diferentemente do que muitos pensam, as atividades estudantis não terminam. Alguns curtirão suas férias, mas outros ficam para exames e mais ainda, precisam terminar seus TCCs.

Leia mais...

Pensar e Aprender
Pensar sem aprender nos torna caprichosos, e aprender sem pensar é um desastre.
Confúcio (552 - 479 a.C.) - citado em A Importância de Viver - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)