Comics na Eletrônica (ART4962)

Nas páginas das publicações técnicas, mesmo as mais sérias, momentos de descontração nunca foram esquecidos e isso desde que as primeiras revistas saíram já na década de 1920. Hugo Gernsback, em especial tinha um senso de humor muito grande e até se sobressaiu com a criação de sua famosa série de artigos de “primeiro de abril”. Mas, muitos cartunistas marcaram época nas páginas das revistas antigas e mesmo das modernas como relatamos neste artigo.

Revistas como a Popular Electronics, Radio Craft, Radio News, Radio Electronics e muitas outras tinham bons espaços dedicados ao humor e nesses espaços se destinavam alguns cartunistas. As próprias revistas nacionais também tinham seus cartunistas, inclusive eu.

Pesquisando em nossas coleções de revistas e mesmo na Internet, encontramos vários desses cartunistas, destacando alguns de seus desenhos, em traços que até hoje são adotados.

O primeiro que destacamos é Frank Beaven, ilustrador de uma seção denominada Radio Term Illustrated (Termos de rádio ilustrados) da Revista Radio Craft e Radio News, atuando entre 1939 e 1947. Na figura 1 temos um desenho desse ilustrador. O que ele fazia era tomar um termo técnico comum e fazer uma charge, como a mostrada.

 

“Perdas de transmissão”
“Perdas de transmissão”

 

 

Outro cartunista que encontramos é Buz Holand da revista Popular Electronics, escolhendo um desenho de 1966, mostrado na figura 2.

Nele, o cartunista se aproveita da miniaturização que seria possível com os recém-chegados transistores, e que estaria até mesmo nos seus manuais.

 

Figura 2 - “Estou estudando este manual de transistores”
Figura 2 - “Estou estudando este manual de transistores”

 

Um outro cartunista que tinha seus desenhos nas publicações técnicas era Dave Harbaugh, talvez um dos mais frequentes com uma enorme quantidade de cartuns, e até mesmo seções. Na figura 3 uma piadinha de uma Eletrônica Popular Brasileira de abril de 1967.

 

Figura 3 – Robô trocador de pneus furados
Figura 3 – Robô trocador de pneus furados

 

Outra do Dave Harbaugh encontrada numa Eletrônica Popular de julho de 1967, edição brasileira. Figura 4.

 

Figura 4 – Para os radioamadores
Figura 4 – Para os radioamadores

 

 

Walt Philips foi outro cartunista que apareceu em revistas dos anos 50 e 60, como as de Hugo Gernsback. Na figura 5 um desenho deste artista. Os robôs começavam a se tornar assunto das publicações técnicas já naquela época.

 

Figura 5 - “Abra sua boca sensora e tussa”
Figura 5 - “Abra sua boca sensora e tussa”

 

 

Aparecendo nas revistas da mesma época podemos também citar Henry Nelson, dando como exemplo o desenho da figura 6. Já se falava nos anos 60 em Inteligência Artificial.

 

Figura 6 - “Estou tão deprimido. Minha inteligência artificial é a única coisa em mim que é real.”
Figura 6 - “Estou tão deprimido. Minha inteligência artificial é a única coisa em mim que é real.”

 

 

Outra do mesmo autor na figura 7. Robôs como tema central.

 

Figura 7 - “Aí está o problema, Doutor Shapiro. Exatamente aí! Na região lombar inferior.”
Figura 7 - “Aí está o problema, Doutor Shapiro. Exatamente aí! Na região lombar inferior.”

 

 

No Brasil, poderíamos dizer que se trata de um robô com problema de “lumbago”, como dizem as pessoas mais antigas.

Mais um dos Estados Unidos. Harry Nelson, que também teve participação nas revistas dos anos 40 e 50. A ilustração da figura 8 é bem atual, numa época de falta de chips.

 

Figura 8 - “Esqueça o dinheiro. Apenas encha este saco com chips 486.”
Figura 8 - “Esqueça o dinheiro. Apenas encha este saco com chips 486.”

 

 

Alguns até inspiraram algumas das minhas piadinhas do Eltron como a o cartunista Cork dos anos 50 mostrada na figura 9.

 

   Figura 9 – Usando computador como torradeira
Figura 9 – Usando computador como torradeira

 

Já naquela época, os jovens ensinavam os mais velhos a usar o computador. Problema que encontramos até hoje com a resistência das velhas gerações em aceitar as novas tecnologias. Veja no desenho de Cliff Johns dos anos 50.

 

Figura 10 - “Desculpe Larry, não posso brincar agora. Preciso ficar e mostrar ao meu pai como usar o novo computador.”
Figura 10 - “Desculpe Larry, não posso brincar agora. Preciso ficar e mostrar ao meu pai como usar o novo computador.”

 

 

E, é claro temos os nacionais. Começamos comigo mesmo.

. Este interessante artigo humorístico foi publicado na revista Eletrônica Popular de Julho de 1965. Os desenhos foram feitos por Kempner que era o desenhista da revista na ocasião, mas as piadas são minhas. Eles utilizaram os primeiros esboços do meu personagem Eltron para desenhar as piadas que agora levo aos leitores escaneadas de um exemplar da minha coleção. Figura 11

 

 

Figura 11 – Página da Eletrônica Popular de 1967
Figura 11 – Página da Eletrônica Popular de 1967 | Clique na imagem para ampliar |

 

 

Neste tipo de desenho temos personagens gerais, sem nome e que não se repetem nas piadas. No entanto, existem personagens que são constantes e que, por esse motivo, passam a ter nome e ser muito conhecidos.

No cartunismo histórico, podemos citar nos velhos tempos o “Amigo da Onça” da revista O Cruzeiro que marcou época nos anos 60. Criado por Pericles, o nome “pegou”, pois era um sujeito que “aprontava” com os outros que sempre eram vítimas de alguma pegada. O nome passou a ser sinônimo daquele que, em caso de algum problema não é o que te ajuda, mas sim ajuda o inimigo. Numa caçada, por exemplo, em que a onça te encurrala e ele aparece, ele não te ajuda, mas sim a onça. Amigo da onça, por esse motivo. Na figura 12 temos um exemplo.

 

Figura 12 - O amigo da onça de Péricles. (de ilustração na internet)
Figura 12 - O amigo da onça de Péricles. (de ilustração na internet)

 

 

Mas, indo para a tecnologia. Dois personagens do mundo da tecnologia fizeram parte da revista Mecatrônica Fácil da Editora Saber, cuja imagem foi criada por Paulo Gomes e para os quais sugeri os nomes. Lembrando que robôs normalmente tem seus nomes compostos por letras e nomes. Vejam os exemplos de Elon Musk com seu filho, assim sugeri os nomes para os dois robozinhos como 1-Berto e 0-Berto o que, em suma, resultou em Um-berto e Zero-berto (Zé Roberto). Os personagens pegaram e frequentaram as páginas da revista por vários anos.

 


 

 

 

E, agora alguns personagens que criamos ainda se encontram na ativa, com aparecimento tanto em estórias narradas, como também em quadrinhos e tiras.

O primeiro é o Professor Ventura, Beto e Cleto que apareceram na revista Eletrônica Total nos anos 80, mas tiveram sua origem bem antes, quando nos inspiramos nas aventuras de Juca e Chico da Eletrônica Popular, aparecendo a partir dos anos 50. Saiba mais sobre esses personagens e vejam suas estórias na seção no site e em NVENT000.

 


 

 

 

Além das estórias no site, diversos livros contendo suas aventuras foram elaborados, inclusive com edições em espanhol e inglês.

 


| Clique na imagem para ampliar |

 

Finalmente, temos o nosso personagem que anima diversos vídeos para iniciantes e jovens makers, o Eltron.

Eltron é um personagem que criei nos anos 60 para ilustrar alguns de meus artigos e também para fazer piadinhas com amigos, professores e outras pessoas. Utilizava em tirinhas que publicava no jornal da escola quando ainda estava no ginásio. O personagem se mantém, pois, a simplicidade do traço, quase um rascunho, permitia que fizesse as piadas até mesmo em guardanapos de restaurantes, o que ocorreu muitas vezes. É claro que não tenho todas as piadinhas que fiz com eles, mas nesta seção coloco as novas que certamente vão fazer o leitor rir. Abaixo um exemplo de piada que pode ser encontrada no sei (TRAPA061)

 


| Clique na imagem para ampliar |

 

 

E se quiser ver um vídeo vá em:

https://www.youtube.com/watch?v=UvyuOxfno20

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia