NOSSAS REDES SOCIAIS -

Motor Transmissor (MIN586)

Monte um simples projeto experimental de um transmissor de ondas de rádio que utiliza um motor para produzi-las. O circuito é baseado em experimentos do início da era do rádio.

No início da era do rádio, quando ainda não existiam componentes como válvulas e transistores para gerar ondas, uma primeira estação em Nova Iorque usava um motor como transmissor.

O motor que girava numa rotação muito alta produzia uma tensão alternada de algumas centenas de quilohertz que, depois de passar por um circuito de modulação, era levada a uma antena.

É claro que o sistema não é mais utilizado, mas podemos fazer um pequeno transmissor experimental que usa um motor, funcionando como dínamo para gerar sinais de rádio.

Uma configuração como a mostrada na figura 1 poderia ser usada num primeiro projeto.

 

     Figura 1 – O motor como transmissor
Figura 1 – O motor como transmissor

 

Na versão original é usado um dínamo que gera uma corrente de 100 kHz.

No nosso caso, podemos usar um pequeno motor e o que se aproveita é a rápida comutação das escovas que, tendo como carga um circuito indutivo, gera um sinal rico em harmônica, o qual aplicado a uma antena resulta em ondas de rádio.

No nosso caso, vamos utilizar uma configuração melhorada que é mostrada na figura 2.

 

   Figura 2 – Nosso circuito transmissor
Figura 2 – Nosso circuito transmissor

 

Neste circuito, a comutação das escovas do motor gera um sinal rico em harmônicas, o qual aplicado a um circuito sintonizado faz com que apenas um sinal de determinada frequência seja levado a uma antena.

O circuito transmite ondas contínuas (CW), podendo ser usado em transmissões telegráficas (veja outros artigos no site).

O alcance é de alguns metros, e a recepção do sinal pode ser feita num radinho de ondas médias.

A montagem pode ser feita utilizando-se uma pequena ponte de terminais isolados, conforme mostra a figura 3.

 

   Figura 3 – Montagem em ponte de terminais
Figura 3 – Montagem em ponte de terminais

 

A bobina consta de 60 a 100 espiras de fio esmaltado fino (28 ou 30 AWG) num bastão de ferrite.

O capacitor variável CV pode ser aproveitado de qualquer radinho de ondas médias fora de uso.

A antena consiste num pedaço de fio comum de 1 a 5 metros de comprimento.

O motor pode ser de qualquer tipo para 2 ou 4 pilhas pequenas.

 

M1 – Motor de 3 ou 6 V

CV – capacitor variável – ver texto

L1 – Bobina – ver texto

B1 – 3 ou 6 V – 2 ou 4 pilhas pequenas

T – manipulador

C1 – 100 nF – capacitor cerâmico

 

Diversos:

Ponte de terminais, suporte de pilhas, fios, solda, etc.

 

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Em busca de novos tempos

Em nossos últimos artigos, participações em lives, podcasts e vídeos temos ressaltado que estamos rapidamente caminhando para uma mudança de hábitos. São os novos tempos que estão chegando e que, em vista da pandemia estamos buscando para que sejam melhores e que nos tragam esperanças, paz e novos graus de compreensão, principalmente em nível mundial.

Leia mais...

Tecnologia
O grande perigo da tecnologia é implantar no homem a convicção enganosa de que é onipotente, impedindo-o de ver sua imensa fragilidade.
Hermógenes - Mergulho na Paz - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)