Fonte e Amplificador Experimental (V1049)

Esta montagem antiga, de meu caderno de anotações, quando eu ainda era iniciante, tem objetivo tanto histórico como também experimental para os que querem fazer algo diferente, para uma exposição, por exemplo. O projeto é do final dos anos 50.

Como já expliquei em vídeos e artigos, comecei cedo anotando meus experimentos e criação em um caderno que mantenho até hoje.

Neste caderno, escrito com caneta e com desenhos do meu próprio punho, descrevi uma grande quantidade de experimentos, muitos dos quais originaram minha primeira contribuição para uma revista técnica.

De fato, muitos projetos foram selecionados deste meu caderno e de outros que ainda tenho, originando a seção “Eletrônica Para Juventude” da revista Eletrônica popular, além de diversos artigos nesta mesma revista e em outras.

 

O projeto

A ideia deste projeto é simples: iniciando meus experimentos com circuitos valvulados desejava ter uma configuração em que eu pudesse testar várias ideias.

O que imaginei então seria um circuito contendo uma válvula única (um triodo, na realidade um duplo triodo) em que eu pudesse ligar componentes externos para testar configurações como, por exemplo, amplificador de áudio, oscilador, rádio, transmissor, etc.

Assim, simplesmente usando uma ponte externa eu poderia fazer experimentos de forma simples e rápida. O primeiro deles está justamente em V1050 em que descrevo um rádio simples que montei em seguida.

O circuito deveria ser prático (com poucos componentes baratos) e ter uma versatilidade que permitisse modificar as entradas e saídas com facilidade.

O resultado descrevo a seguir, com desenhos do meu próprio punho feito naquela época, no final dos anos 50 e começo dos anos 60.

 

Fonte e Amplificador

Começamos pelo circuito que é mostrado na figura 1, em que temos duas válvulas (retificadora 35W4 e amplificadora 12AU7).

 

Figura 1 – O circuito
Figura 1 – O circuito

 

 

Conforme podemos ver, trata-se de um circuito sem transformador em que os filamentos são ligados em série.

Este circuito, antigamente tenha o resistor redutor no próprio cabo de força (600 ohms), o que significava que ele trabalhava levemente aquecido. Por esse motivo, os circuitos com esta configuração receberam o apelido de “rabo quente”.

O nosso usa o resistor, daí não ser um “rabo quente” já que o cabo de alimentação é comum.

Os resistores tem os valores padronizados da época, que podem ser substituídos pelos equivalentes atuais, assim como o capacitor de filtro.

Desta forma, o resistor de 600 ohms pode ser de 560ohms e o de 2000 ohms pode ser de 2k2. O capacitor de 20 + 20 uF pode ser dois de separados de 22 uF ou mesmo dois de 16 uF.

A montagem é feita num chassi de alumínio. Não me lembro se comprei o chassi (na época existia) ou fiz o chassi usando uma pequena “marmita” de alumínio.

Na figura 2 temos a vista superior do chassi mostrando o suporte das válvulas e a ponte de saída.

 

Figura 2 – Chassi visto por cima
Figura 2 – Chassi visto por cima

 

Na figura 3 temos a disposição dos componentes no chassi.

 

Figura 3 – Montagem no chassi
Figura 3 – Montagem no chassi

 

A saída A fornece uma tensão de aproximadamente 150 V (pico da rede de 110 V, onde o aparelho deve ser ligado).

Em B temos o acesso a grade da válvula (que comparativamente a um transistor seria a base) e em C temos a placa que seria o coletor do transistor.

Com as conexões de circuitos externos nestes três pontos podemos fazer os experimentos.

Na figura 4, de meu caderno de anotações temos os três fios ligados a uma ponte de terminais parafusada no chassi.

 

Figura 4 – Ponte de saída
Figura 4 – Ponte de saída

 

 

Prova e Uso

Como todo aparelho valvulado, depois de ligado à tomada ele precisa de 2 a 4 minutos de aquecimento para poder ser usado. Vemos as válvulas “acenderem” e então podemos fazer um teste inicial simples.

Tocando o fio A no chassi, o capacitor ligado e este ponto descarrega dando um forte estalo. Não toque no fio, pois o choque é forte!

A figura 5 também do meu caderno mostra como fazer isso.

 

Figura 5 – Testando o circuito
Figura 5 – Testando o circuito

 

É claro que se o leitor tiver um multímetro, a maneira mais correta de fazer o teste é medindo a tensão, que deve ser da ordem de 150 V. Não use o aparelho em outra rede que não seja a de 110 V.

Nas montagens seguintes daremos experimentos com este circuito. O primeiro é o V1050 em que temos um rádio valvulado.

 

V1 – 35W4 – válvula retificadora

V2 – 12AU7 – Válvula - duplo triodo

C1, C2 - capacitores de 22 uF (20 uF no original) ou duplo com 200 V ou mais

R1 – 2k2 (2k) x 2 W – resistor

R2 – 560 ohms (600) x 15 W – resistor de fio

Diversos: chassi de alumínio, fios, cabo de força, soquetes para as válvulas, fios, solda, etc.

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia