Iluminação de Emergência (ART2155)

Este circuito mantém em carga constante um acumulador e em caso de corte de energia acende uma lâmpada de 12 V. O circuito é bastante simples e com o uso de uma bateria de 6 ampères/hora uma lâmpada de 12V x 500 mA permanecerá acesa por 12 horas.

Obs. O artigo é de 1991. Nada impede que melhorias sejam feitas como, por exemplo, o uso de LEDs brancos de alto brilho em lugar das lâmpadas.

 

A possibilidade de cortes de energia em locais em que existem muitas pessoas e haja o perigo de tumultos deve ser levada em conta por leitores que possuam casas de espetáculos, salões de festas, clubes, etc.

A solução ideal para estes casos é a colocação em pontos estratégicos (saídas e corredores) de lâmpadas de emergência que em caso de corte de energia possam iluminar o caminho de saída.

O circuito apresentado é ideal para esta finalidade e bastante simples de montar.

Utilizando um transformador, ele ao mesmo tempo detecta o corte de energia e quando ela está presente a usa para uma carga lenta constante do acumulador usado.

Podem ser usados acumuladores chumbo-ácido de pequeno porte ou mesmo bateria de carro dependendo da utilização pretendida. No circuito original damos a colocação de apenas uma lâmpada de 500 mA, mas o circuito admite mais lâmpadas (até 4) ligadas em paralelo, sem que isso sobrecarregue o SCR.

 

Características:

Tensão de entrada: 110 V ou 220 V

Carga máxima (lâmpadas): 12 V x 2 A

Tipo de acumulador: 12 V

 

 

COMO FUNCIONA

Com a tensão presente no enrolamento primário do transformador, o SCR se mantém desligado e ao mesmo tempo através de D1 e R2 circula uma corrente de carga para o acumulador.

R2 deve ser dimensionado de acordo com a corrente de carga exigida pelo acumulador em uso. Para um acumulador de 12 V x 6 Ah, um resistor de 150 Ω x 1W é o indicado.

Na falta de tensão no enrolamento primário do transformador, o acumulador dispara o SCR através de R2 fazendo com que seja conduzida uma corrente que acende a lâmpada.

O capacitor C2 dá uma certa inércia ao disparo evitando que a lâmpada pisque na presença de transientes ou cortes muito rápidos. O ponto de disparo pode ser melhor ajustado com a substituição de R2 por um trimpot de 47k.

 

MONTAGEM

Na figura 1 temos o diagrama completo do aparelho.

 

   Figura 1 – Diagrama do sistema
Figura 1 – Diagrama do sistema

 

Como são usados poucos componentes e para correntes elevadas em alguns pontos, a disposição em uma ponte de terminais é a mais indicada para o caso, conforme mostra a figura 2.

 

   Figura 2 – Montagem usando uma ponte de terminais
Figura 2 – Montagem usando uma ponte de terminais

 

O SCR deve ser dotado de um radiador de calor, principalmente se mais de uma lâmpada for alimentada pelo circuito.

Os resistores são comuns com as dissipações mínimas indicadas na lista de materiais e o capacitor eletrolítico deve ter uma tensão de trabalho de pelo menos 25 V.

O transformador tem enrolamento primário de acordo com a rede local e secundário com correntes entre 350 e 1 000 mA.

Os diodos são comuns podendo ser usados equivalentes de maior tensão e o SCR é um TlC1 O6 para 5oV ou mais.

A bateria pode ser automóvel, moto ou um acumulador de 6 Ah para 12V.

Também podem ser usadas pilhas de Nicad em série, no caso 8 unidades.

Para pilhas grandes, ou mesmo um pack de videocassete o resistor R2 deve ser aumentado para 330 Ω.

A conexão do aparelho a lâmpada pode ter até 10 metros e para maior rendimento na iluminação a lâmpada de 12 V de lanterna de carro pode ser dotada de um pequeno refletor.

 

PROVA E USO

Basta ligar o aparelho à rede e conectar a bateria.

A lâmpada deve permanecer apagada. Desligue momentaneamente a alimentação; a lâmpada leve acender.

Uma pequena redução e brilho é devida a queda de 2 V que ocorre no SCR com a condução da corrente.

Comprovado o funcionamento é só fazer a instalação definitiva do aparelho.

Lembre-se de verificar sempre o nível de eletrólito da bateria se ela não for do tipo selado.

 

SCR - T'I106 - Diodo controlado de silício

D1 e D2 - 1N4002 - diodos retificadores de silício

X1 - 12 V - 500 mA - lâmpada incandescente.

T1- 12 V x 500 – transformador com primário de acordo com a rede local.

F1 - 500 mA - fusível

B1 - 12 V - acumulador - ver texto

C1 - 220 µF x 25 V - capacitor eletrolítico

R1 – 1 k x 1/2 W - resistor (marrom, preto, vermelho)

R2 - 150 Ω x 1 W – resistor (marrom, verde, marrom)

R3 - 100 Ω x 1/2 W – resistor (marrom, preto, marrom)

Diversos: caixa para montagem, suporte para fusível, radiador de calor para o SCR, refletor para a lâmpada, fios solda, etc.

 

 


Opinião

Eventos e muito mais (OP212)

Nosso grande destaque deste mês é o nossa Jornada do Desenvolvimento, que ocorrerá em três etapas sendo a primeira a que foi realizada entre 9 e 13 de agosto. Ela foi uma preparação para as demais que devem ocorrer em setembro e outubro, com oficinas de desenvolvimento com o Edukit SigFox e a Franzininho, numa jornada com os próprios criadores.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia