Acionamento Por Código Resistivo (ART2198)

Um resistor de valor secreto é o responsável pelo código de acionamento deste circuito. Se a entrada de código for aberta ou colocada em curto nada acontece e até mesmo um alarme pode ser ativado. O leitor pode usar este circuito como fechadura eletrônica codificada ou ainda para fazer o acionamento secreto de eletrodomésticos ou aparelhos eletrônicos.

Os leitores certamente já conhecem os sistemas de fechadura secreta que usam teclas que devem ser ativadas numa certa sequência para liberar uma fechadura ou acionar um relé.

Talvez o que muitos não saibam é que configurações de acionamento secreto podem ser realizadas de outras maneiras e a que sugerimos aqui é bastante interessante.

Temos então um jaque do tipo P2 que deve receber a 'chave' que nada mais é do que um plugue do mesmo tipo que tem um resistor ligado.

O valor deste resistor é que permite o acionamento do sistema, pois o circuito está programado para reconhecê-lo.

Resistores de outros valores, ou ainda a tentativa de colocar em curto o plugue não causam nenhum efeito sobre o circuito.

A vantagem do sistema é que diversas pessoas podem ter seus plugues com resistores programados e assim ter acesso ao sistema, conforme mostra a figura 1.

 

 Figura 1 – O plugue “programado”
Figura 1 – O plugue “programado”

 

O circuito é alimentado por uma tensão de 12V que pode vir de pilhas bateria ou fonte, o que permite seu uso tanto no carro como no lar.

O relé pode acionar cargas de 2 A mas alterações de tipo permitem que cargas maiores sejam controladas.

 

COMO FUNCIONA

A base do circuito é um 'discriminador de janela' com dois circuitos integrados 741.

Este circuito caracteriza-se por comparar tensões e somente fornecer uma saída se a tensão de entrada estiver dentro de uma faixa pré-determinada, conforme mostra a figura 2.

 

Figura 2 – O discriminador de janela
Figura 2 – O discriminador de janela

 

As tensões de acionamento são determinadas pelos resistores R2 e R3 além do ajuste de P1.

P1 permite deslocar a faixa de tensões de acionamento e, portanto, o valor da resistência a ser usada como chave, enquanto que R4 determina a largura da faixa ou seja, a precisão com que o sistema reconhece o valor do resistor usado como 'chave'.

A entrada do discriminador é ligada a um jaque e a R1. Sem chave introduzida (PX), o resistor R1 mantém a tensão próxima do valor da alimentação e portanto numa faixa em que não ocorre acionamento.

Com a introdução de Px (Chave) temos duas possibilidades de comportamento para o circuito.

Se a resistência Rx, estiver acima do valor previsto, o circuito não a reconhece e a saí da permanece no nível baixo, para um dos integrados, impedindo assim o acionamento do relé.

Com a resistência abaixo do valor previsto, é o outro integrado que se mantém com sua saída no nível baixo impedindo o acionamento do relé.

Se a resistência Rx, estiver na faixa programa, os dois integrados terão suas saídas levadas ao nível alto e com isso prevalece a ação de R5 na polarização da base de Q1 no sentido de ativar o relé.

Como carga para o relé podemos usar diversos dispositivos.

Uma possibilidade interessante é colocar ao lado da chave (Rx) um interruptor de pressão ligado aos pontos X e Y do circuito.

Os contatos NF do relé seriam então usados para acionar um alarme, conforme mostra a figura 3.

 

   Figura 3 – Acionando um alarme
Figura 3 – Acionando um alarme

 

Se a chave errada for introduzida e S1 pressionado, o alarme toca.

Se a chave estiver certa, ao ser pressionado S1 o aparelho liga e trava.

Na condição de espera, o circuito apresenta um consumo de corrente bastante baixo, o que permite o uso de pilhas mesmo em regime de funcionamento prolongado.

No entanto, para aplicações domésticas o ideal é contar com uma fonte de alimentação como a mostrada na figura 4.

 

Figura 4 – Fonte para o circuito
Figura 4 – Fonte para o circuito

 

 

MONTAGEM

Começamos por dar o diagrama completo do aparelho, sem a fonte de alimentação na figura 5.

 

Figura 5 – Circuito completo do aparelho
Figura 5 – Circuito completo do aparelho

 

A disposição dos componentes numa placa de circuito impresso é mostrada na figura 6.

 

 

Figura 6 – Placa para a montagem
Figura 6 – Placa para a montagem

 

Esta placa foi desenhada para relé com base DIL devendo ser feitas alterações de layout caso outro tipo de relé seja empregado.

Para os integrados sugerimos a utilização de soquetes DIL. Uma possibilidade interessante consiste na modificação do projeto para usar um duplo 741 (MC1458, por exemplo), o que simplificaria o circuito.

Os diodos são todos de uso geral de silício admitindo-se equivalentes como o 1N914 e até mesmo os 1N4002. Os resistores são de 1/8 W com tolerância de até 20% e o capacitor eletrolítico C1 é de 16 V ou 25 V de tensão de trabalho.

P1 é um trimpot que será montado na placa de circuito impresso e serve de ajuste para o ponto de disparo do relé com o resistor escolhido como chave.

O transistor Q1 também admite equivalente, podendo ser usados os 80237, BC238 ou BC547. Px é um plugue, P2 e o resistor usado como chave é de 1/8 W sendo montado como mostra a figura 7.

 

Figura 7 – Montagem do plugue
Figura 7 – Montagem do plugue

 

 

PROVA E USO

Para provar o aparelho, encaixe o resistor Rx (no nosso projeto sugerimos usar valores entre 8k2 e 12k no jaque J1 e ligue o aparelho.

Ajuste então P1 para obter o acionamento do relé. Se tiver dificuldades, altere o valor de Rx. Para um valor bem diferente, altere R1 na faixa de 1k a 22k. O resistor usado no acionamento poderá ter então o mesmo valor.

Feito o ajuste e comprovado o funcionamento é só fazer a instalação definitiva.

O aparelho poderá ficar longe do local de instalação de J1, e o fio de conexão pode ser comum, sem blindagem. Um LED pode ser acrescentado em série com um resistor de 1k para indicar que o circuito está sendo alimentado.

 

Cl-1 e Cl-2 - 741 – amplificadores operacionais - integrados

Q1 - BC548 ou equivalente - transistor NPN de uso geral

D1, D2 e D3 - 1N4148 ou equivalentes - diodos de silício de uso geral

S1 - Interruptor simples

B1 – 12 V - fonte, pilhas ou bateria

Px - Plugue - P2

J 1 - Jaque P2

Rx - resistor - ver texto

R1, R2 e R3 – 10 k - resistores (marrom, preto, laranja)

R4 – 2k2 - resistor (vermelho, vermelho, vermelho)

R5 - 4k7 - resistor (amarelo, violeta, vermelho)

C1 - 100 uF x 16V - capacitor eletrolítico

P1 - 47k - trimpot

Diversos: placa de circuito impresso, suporte para integrados (DlL) suporte para o relé (DlL), fios, conector para a carga, caixa para a montagem, fios, solda, etc.

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia