Amplificador Estéreo de 30 W (ART2308)

Partindo de um kit de fácil montagem, você pode acrescentar alguns componentes e instalá-lo numa bela caixa, obtendo assim um excelente amplificador para uso doméstico com 30 W de potência. Se você ainda não tem um bom amplificador de áudio e não quer partir para um projeto trabalhoso e caro, mas algo realmente funcional, de custo acessível e fácil de montar, está aqui a solução ideal.

Obs. Este artigo é de 1988. O circuito integrado usado não é mais comum em nossos dias.

O primeiro ponto a ressaltar neste artigo é que a qualidade de um sistema de som não reside em sua potência.

De nada adianta você ter amplificadores de 100 ou 200 W se você não pode usá-los, ou não usa toda sua potência.

Se você tem um amplificador de áudio de 100 W e normalmente o escuta com 1/4 de seu volume, então provavelmente você não estará “usando" mais do que 20 W deste aparelho, o que significa que você “desperdiçará" 80 W, pelos quais você deve ter pago muito dinheiro.

Seria muito mais interessante ter um amplificador que você realmente pudesse usar toda a potência, ou em torno de 70% dela, e com isso aproveitar melhor seu investimento.

O circuito proposto pode ser ideal para estudantes que desejam um primeiro amplificador de fácil montagem mas excelente desempenho, com 3 entradas e controle de tom, usando integrados de fácil obtenção e baixo custo.

Partimos então de um kit que pode ser adquirido montado ou não, e que consiste num excelente amplificador de áudio de 15+15 W utilizando circuitos integrados TBA810.

Com algumas adaptações acrescentamos um pré-amplificador com 3 entradas, um controle de tom com graves e agudos independentes e uma fonte de alimentação.

Chegamos então a um equipamento de ótima qualidade de som, baixo custo e fácil montagem.

Uma caixa universal para amplificadores poderá alojar com facilidade todos os componentes, isso sem se falar na possibilidade de utilização do aparelho no carro, já que sua alimentação pode ser feita com tensões de 9 a 18 V.

No carro, ele vai constituir-se num excelente amplificador auxiliar, aumentando em 30 W a potência do sistema já existente, alimentando dois conjuntos a mais de alto-falantes.

 

CARACTERÍSTICAS

- Sensibilidade das entradas

1: 500 mV em 1M

2: 200 mV em 500 k

3: 18 mV em 50 k

Resposta de frequência: 40 Hz a 20 kHz

Distorção harmônica total: 1% (8 ohms/15 W)

Tensões de alimentação: 9 a 18 V

Potência IHF total: 30 W

Corrente sob máxima potência por canal: 2,5 A (pico)

Corrente consumida (pot. máx.): 1,2 A

 

O CIRCUITO

O amplificador de potência baseia-se no integrado TBA810AS, que possui aletas perfuradas para fixação do radiador de calor (figura 1).

 

Figura 1 – O TBA810AS
Figura 1 – O TBA810AS

 

 

Observe que os tipos S e DS não possuem as aletas perfuradas, pois são soldados na placa de circuito impresso por onde é feita a dissipação de calor.

Este integrado consiste num amplificador de áudio completo que tem uma potência IHF de saída de 15 W quando alimentado com 18 V.

Com tensões menores a potência cai ligeiramente. Com 12 V em carga de 4 ohms temos uma potência RMS de 5,5W, que resulta em perto de 9 W por canal (IHF).

Uma característica importante deste integrado é o reduzido número de componentes externos necessários à constituição do sistema completo.

Acrescentamos então primeiramente um controle de tonalidade formado pelos potenciômetros P2 e P3, que ajustam os níveis de graves e agudos dados pelos componentes de uma rede de resistores e capacitores.

Este controle é excitado diretamente por uma etapa de pré-amplificação com um único transistor BC548. Esta etapa tem um ganho elevado para garantir a excitação por fontes de baixa intensidade.

Temos então 3 entradas que podem ser usadas com microfones ou cápsulas magnéticas, fonocaptores de cristal ou então rádios, sintonizadores e gravadores.

A fonte de alimentação pode ser a bateria de um carro ou então a rede local através de transformador, retificador e filtro.

 

MONTAGEM

Na figura 2 temos o diagrama completo de um dos canais do sistema.

 

   Figura 2 – Diagrama de 1 canal
Figura 2 – Diagrama de 1 canal | Clique na imagem para ampliar |

 

Os números entre parênteses neste circuito correspondem aos componentes do segundo canal do amplificador que já fazem parte do kit (NK - 15+15 W da NOVOKIT *). Assim, devemos repetir somente a montagem do pré-amplificador e controle de tom.

(*) O artigo é de 1988 – A empresa não mais existe

O controle de tom único do kit não será utilizado.

Na figura 3 temos a placa de circuito impresso do setor de pré-amplficação e controle de tom.

 

Figura 3 – Placa para montagem
Figura 3 – Placa para montagem | Clique na imagem para ampliar |

 

Os resistores são todos de 1/8 W com 5 ou 10°/o de tolerância e os capacitores menores são cerâmicos ou de poliéster.

Os eletrolíticos são para 16 V ou mais e os potenciômetros de tom são lineares de 100 k.

O transistor tanto pode ser um BC548 como um equivalente de maior ganho como o BC549 ou BC239.

Os fios de conexão às entradas, potenciômetros de tom e volume devem ser blindados com as malhas aterradas para se evitar a captação de zumbidos.

Recomenda-se a utilização de caixa metálica para facilitar a blindagem, ligando-a diretamente ao negativo da fonte.

Para as entradas podemos usar jaques RCA ou de acordo com as fontes de sinal.

Na figura 4 damos a interligação dos diversos elementos, ou seja, a placa do amplificador às placas dos dois canais pré-amplificadores e à fonte de alimentação.

 

Figura 4 – Montagem do sistema
Figura 4 – Montagem do sistema | Clique na imagem para ampliar |

 

A fonte de alimentação tem seu circuito mostrado na figura 5.

 

   Figura 5-  Fonte de alimentação
Figura 5- Fonte de alimentação

 

O transformador deve ter enrolamento secundário de 12 V, com pelo menos 2,5 A de capacidade de corrente.

O enrolamento primário deve ser de acordo com a rede local ou de duas tensões. Os diodos são de 50 V x 2 A ou mais, e o eletrolítico de filtro deve ser de 4700 uF x 25V (ou maior).

Nesta etapa podemos acrescentar um LED vermelho em série com um resistor de 2k2 para indicar a operação do aparelho.

Para o alto-falante devemos prever um par de bornes de ligação, já que normalmente usaremos caixas externas.

Os alto-falantes devem ser de pelo menos 20 W para cada canal e no caso do uso de tweeter devemos prever a utilização de um filtro divisor de frequência.

 

PROVA E USO

Para provar o aparelho basta ligá-lo à rede e acionar o interruptor geral.

Depois, aplique nas entradas um sinal de qualquer fonte como um microfone, rádios, toca-fitas, e ajuste os controles para verificar sua atuação.

Na saída dos alto-falantes devem estar ligadas duas caixas, cada uma capaz de suportar pelo menos 15 W de potência.

A impedância pode ser tanto 4 como 8 ohms.

Comprovado o funcionamento é só utilizar o aparelho, respeitando as suas características de entrada e saída.

Para instalação no carro como amplificador auxiliar damos na figura 6 o modo de fazer as ligações.

 

Figura 6 – Ligação no carro
Figura 6 – Ligação no carro

 

Os alto-falantes do rádio ou amplificador já existentes devem ser mantidos, sendo acrescentados novos alto-falantes para este amplificador reforçador.

 

Pré-amplificador e controle de tom (fora do kit):

Q1 - BC548 ou equivalente - transistor NPN de uso geral

P2, P3 - 1ook - potenciômetros lineares

R9 – 820 ohms - resistor (cinza, vermelho, marrom)

R10 - 2k2 - resistor (vermelho, vermelho, vermelho)

R11 – 120 ohms - resistor (marrom, vermelho, marrom)

R12 - 2M2 - resistor (vermelho, vermelho, verde)

R13 - 1M - resistor (marrom, preto, verde)

R14 – 470 k - resistor (amarelo, violeta, amarelo)

R15, R18 - 4k7 - resistores (amarelo, violeta, vermelho)

R16 – 27 k - resistor (vermelho, violeta, laranja)

R17 - 2k7 - resistor (vermelho, vio1eta, vermelho)

C25 - 100 uF - capacitor eletrolítico

C26 - 10 uF - capacitor eletrolítico

C27 - 2n2 - capacitor Cerâmico ou de poliéster

C28 - 6n8 - capacitor cerâmico ou de poliéster

C29 – 68 nF - capacitor cerâmico ou de poliéster

C3O – 22 nF - capacitor cerâmico ou de poliéster

C31 – 470 nF - capacitor cerâmico ou de poliéster

 

Kit NK 15 + 15W - dois canais:

C1-1, CI-2 - TBA810 - circuitos integrados

P1 a P4 – 100 k - potenciômetros log duplos

R1, R2 – 1 ohm - resistores (marrom, preto, dourado)

R3, R4 – 470 ohms - resistores (amarelo, violeta, marrom)

R5, R6 – 100 ohms - resistores (marrom, preto, marrom)

R7, R8 – 56 ohms - resistores (verde, azul, preto)

Cl a C8 – 100 nF - capacitores cerâmicos

C9, C1O - 3n3 - capacitores cerâmicos ou de poliéster

C11, C12 – 47 nF - capacitores cerâmicos ou de poliéster

C13, C14 – 820 pF - Capacitores cerâmicos

C15 a C20 – 100 uF – capacitores eletrolíticos

C21, C22 – 470 uF - capacitores eletrolíticos

C23, C24 – 1000 uF – capacitores eletrolíticos

 

Fonte de alimentação:

D1, D2 – 50 V x 2 A - diodos retificadores

C1 – 2 200 uF x 25 V - capacitor eletrolítico

T1 - transformador com enrolamento primário de 110/220 V e secundário de

12 + 12 V X 2,5 ou 3 A

S1 - interruptor simples

S2 - chave de tensão 110/l220 V

LED - LED vermelho comum

R1 - resistor de 2k2 X ½ W

Diversos: cabo de alimentação, fusível de 1 A, suporte para fusível, fios, solda, caixa para montagem, knobs para os potenciômetros, jaques de entrada, bornes de saída para os alto-falantes, placas de circuito impresso, radiadores

de calor para os integrados etc.

 

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia