Amplitena (TEL132)

Se bem que as estações de TV analógica na faixa de VHF tendam a desaparecer, no interior, ainda temos uma predominância dos aparelhos deste tipo e com eles os problemas de recepção. Também temos o problema de recepção com estações de FM que ocorrem em regiões de sinais fracos. O circuito que propomos é uma antena amplificada para FM e VHF.

Sinais fracos na faixa de VHF causam problemas de imagens com chuviscos e outros problemas em TV analógicas.

Na faixa de FM temos problemas de distorções e mesmo sinais que oscilam, desaparecendo em certos momentos.

Se você tem estes problemas, descrevemos um pequeno amplificador que você intercala entre a antena e o receptor e que pode ajudar muito.

É claro que o circuito funcionará nos casos em que o sinal chega até uma antena, não resolvendo o problema se não tivermos nenhum sinal para amplificar.

O ideal é que o circuito seja posicionado junto à antena, com o fio de alimentação longo indo até o local em que fique a fonte.

O circuito apresenta um bom ganho na faixa de frequências de 50 a 150 Mhz.

 

Montagem

Na figura 1 temos o diagrama completo do amplificador de antena.

 

Figura 1 – Diagrama completo do amplificador
Figura 1 – Diagrama completo do amplificador

 

Na figura 2 temos uma sugestão de placa de circuito impresso para sua montagem.

 

Figura 2 – Placa de circuito impresso para a montagem
Figura 2 – Placa de circuito impresso para a montagem

 

Na montagem, observe a posição dos transistores e a polaridade dos diodos.

Os capacitores devem ser todos cerâmicos e os resistores de 1/8 W com qualquer tolerância.

A bobina L2 consiste em 3 espiras de fio rígido telefônico encapado com diâmetro de 1 cm sem núcleo.

L1 consiste em duas espiras do mesmo fio enlaçada em L2 conforme mostra a figura em que temos a placa de circuito impresso.

XRF1 é um choque de 1 µH ou pode ser “fabricado” enrolando-se umas 5 espiras de fio 32 ou próximo num palito de dentes.

Os trimmers podem ser de tipos mais modernos de 2-20 a 4-40 pF redondos de plásticos, devendo ser feitas modificações do desenho da placa para aceitar este tipo de componente, caso sejam usados.

Na figura 3 temos uma fonte de alimentação para o circuito, se bem que ele possa também ser alimentado por uma pequena bateria de 9 V.

 

   Figura 3 – Fonte de alimentação para o circuito
Figura 3 – Fonte de alimentação para o circuito

 

O consumo é muito baixo, podendo ser usado qualquer transformador com secundário a partir de 50 mA.

O LED indicador de que a fonte está ligada é opcional.

Na figura 4 temos o modo e de se ligar o circuito entre a antena e o receptor.

 

   Figura 4 – Conexão do circuito ao receptor e antena
Figura 4 – Conexão do circuito ao receptor e antena

 

Para usar, basta sintonizar a estação desejada e ajustar os trimmers e o trimpot para melhor recepção.

 

Se precisar de componentes originais e com o envio imediato, acesse mouser.com
.

Q1 – BF198 ou equivalente – transistor NPN de RF

Q2 – BFY90 – transistor NPN de RF

D1, D2 – 1N4148 – diodos de silício de uso geral

R1, R2, R3 – 10 k Ω – resistores – marrom, preto, laranja

R4 – 220 Ω – resistor – vermelho, vermelho, marrom

P1 – 4k7 Ω – trimpot

C1, C6 – 10 nF – capacitores cerâmicos

C1, C3, C4, C5 – 1 nF – capacitores cerâmicos

C7 – 100 nF – capacitor cerâmico

CV – trimmers – ver texto

XRF – 1 µH – choque - ver texto

L1, L2 – Bobinas – ver texto

 

Diversos:

Placa de circuito impresso, caixa para montagem, fonte de alimentação ou bateria, fios, solda, etc.

 

 


Localizador de Datasheets


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Opinião

Mudanças realizadas (OP206)

Nas últimas semanas nosso site e mesmo nossa empresa passaram por diversas modificações, atualizações e lançamentos. Assim, muitos podem ter percebidos alguns problemas de instabilidade do site em certos momentos nas semanas passadas.

Leia mais...