STK075 a STK086 (ART2242)

Circuitos híbridos simplificam bastante o projeto de amplificadores de áudio de alta potência. Exigindo um mínimo de componentes externos, estes amplificadores permitem a realização de projetos muito compactos, além de também simplificar a parte térmica do projeto. A Sanyo possui uma ampla linha de amplificadores híbridos, muitos dos quais disponíveis em nosso mercado, pois são empregados em muitos equipamentos comerciais. Neste artigo abordamos as características dos STK da série 075 a 086 com potências de 20 a 80 watts.

A série STK075 da Sanyo, que começa com o STK075 e termina com o STK086, permite a realização de amplificadores de potência monofônicos de alta qualidade com potências de 20 a 80 watts.

A utilização de um par destes amplificadores, alimentados por fonte única permite a elaboração de sistemas estereofônicos com potências na faixa de 40 a 160 watts.

As tensões de alimentação variam de 18 a 42 V, dependendo da versão e da impedância de carga

O invólucro destes Circuitos híbridos permite sua fixação diretamente nos radiadores de calor, o que facilita muito o projeto no que se refere à parte térmica.

Na figura 1 temos o circuito equivalente dos elementos desta série.

 

Figura 1 – Circuito equivalente
Figura 1 – Circuito equivalente | Clique na imagem para ampliar |

 

 

Conforme podemos observar, são reunidos neste circuito 10 transistores que formam uma etapa amplificadora completa com ganho típico de 26,4dB (com realimentação).

Os transistores de saída TR9 e TR10 são de potência, com acoplamento térmico direto ao invólucro, o que permite um excelente rendimento na transferência de calor para o dissipador.

TR7 e TR8 formam a etapa de excitação e os demais transistores as etapas de pré-amplificação e regulagem de polarização (estabilização).

As características dos circuitos híbridos desta série são as seguintes:

 

STKO75

Vcc máxima: 28 V

Tc máxima: 85°C

Tensão de alimentação recomendada com carga de 8 ohms: 20V

Tensão de alimentação recomendada com carga de 4 ohms: 18 V

Potência máxima com carga de 8 ohms: 15 W(THD : 0,3%)

Potência máxima com carga de 4 ohms: 20 W(THD : 0,05°/o)

 

STK077

Vcc máxima: 32 V

Tc máxima: 85°C

Tensão de alimentação recomendada com carga de 8 ohms: 22 V

Tensão de alimentação recomendada com carga de 4 ohms:20 V

Potência máxima com carga de 8 ohms: 20 W (THD : 0,3°/o)

Potência máxima com carga de 4 ohms: 24 W (THD : 0,05%)

 

STK0 78

Vcc máxima: :35 V

TC máxima: 85°C

Tensão de alimentação recomendada com carga de 8 ohms: 25 V

Tensão de alimentação recomendada com carga de 4 ohms: 22.5 V

Potência máxima com carga de 8 ohms: 20 W (THD : 0,2%)

Potência máxima com carga de 4 ohms: 24 W (THD : 0,05%)

 

STK080

Vcc máxima: 39 V

Tc máxima: 85°C

Tensão de alimentação recomendada com carga de 8 ohms 27 V

Tensão de alimentação recomendada com carga de 4 ohms:24 V

Potência máxima com carga de 8 ohms: 20 W (THD : 0,2%)

Potência máxima com carga de 4 ohms: 24 W (THD : 0,05%)

 

STK082

Vcc máxima:43 V

Tc máxima: 85°C

Tensão de alimentação recomendada com carga de 8 ohms: 30 V

Tensão de alimentação recomendada com carga de 4 ohms:26 V

Potência máxima com carga de 8 ohms: 20 W(THD = 0,2%)

Potência máxima com carga de 4 ohms: 24 W (THD : 0,05%)

 

STK084

Vcc máxima: 50 V

Tc máxima: 85°C

Tensão de alimentação recomendada com carga de 8 ohms :35 V

Tensão de alimentação recomendada com carga de 4 ohms : 30 V

Potência máxima com carga de 8 ohms: 20 W (THD = 0,2%)

Potência máxima com carga de 4 ohms: 24 W (THD : 0,05%)

 

STK086

Vcc máxima: 55 V

Tc máxima: 85°C

Tensão de alimentação recomendada com carga de 8 ohms:42 V

Tensão de alimentação recomendada com carga de 4 ohms: 35 V

Potência máxima com carga de 8 ohms 20 W (THD : 0,2%)

Potência máxima com carga de 4 ohms 24 W(THD : 0,05%)

 

Obs. As tensões recomendadas são de fonte simétrica.

 

Na figura 2 temos o circuito para todos os elementos desta família.

 

Figura 2 – Circuito geral
Figura 2 – Circuito geral | Clique na imagem para ampliar |

 

 

Observe que a fonte de alimentação deve ser simétrica e as tensões de operação dos eletrolíticos são indicadas junto ao diagrama.

O uso de uma configuração complementar de saída com fonte simétrica elimina a necessidade do grande eletrolítico no acoplamento do alto-falante.

As correntes de repouso dos elementos desta série são tipicamente de 100 mA.

Na figura 3 temos as dimensões do invólucro com as separações entre pinos, observando-se que a numeração começa do zero.

 

   Figura 3 – Invólucro e pinagem
Figura 3 – Invólucro e pinagem

 

 

Os furos de 3,4 mm permitem a fixação do circuito híbrido diretamente no radiador de calor, que deve ter superfície compatível com a potência de cada versão.

As fontes de alimentação devem ter correntes compatíveis com as potências exigidas por cada versão.

Estas correntes devem ser dobradas no caso das versões estereofônicas.

Para a filtragem devem ser utilizados eletrolíticos de pelo menos 4 700 uF, no caso de fontes de onda completa com dois diodos (transformadores com tomada central) ou 4 pilhas (transformadores com secundário simples).

No layout devem ser previstas ligações curtas para a passagem do sinal de entrada e o desacoplamento da fonte deve ser feito com a montagem do capacitor de 10 uF/35 V ligado o mais próximo possível do pino 8 e, da mesma forma, o capacitor de 220 uF x 35 V montado o mais próximo possível do pino 0.

Para a excitação do circuito deve ser usada uma fonte de sinal apropriada.

A faixa de resposta de freqüência destes amplificadores vai de 10 Hz até 100 kHz.

 

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia