Dois Projetos Para o Hobista (ART2282)

A principal preocupação deste site são os projetos dedicados a profissionais e estudantes de eletrônica. No entanto, neste artigo, damos uma atenção especial ao hobista, que constitui um público não muito pequeno de nossos artigos. Projetos recreativos podem servir, às vezes, para demonstrações, brincadeiras e aplicações domésticas, com resultados surpreendentes. Por isso, damos a seguir dois projetos dedicados ao hobista.

 

Obs.: este artigo é de 1989.

 

SINTONIZADOR DE AM

Se você tem um amplificador de áudio potente, mas sem sintonizador de AM, eis a oportunidade de também ouvir música das emissoras locais de modo simples e barato.

Descrevemos um sintonizador ultra simples para a faixa de AM que permite captar com excelente qualidade de som as emissoras locais ou mais potentes.

O circuito emprega apenas um transistor e é alimentado com tensões de 1,5 a 9 V.

 

O CIRCUITO

Temos simplesmente uma etapa de amplificação direta depois de um detector com diodo.

O sinal da estação é captado pela antena e selecionado no circuito formado por L1/CV, passando então pelo detector.

O sinal de áudio resultante é levado a um transistor na configuração de emissor comum.

A amplificação é suficiente para excitar a maioria dos amplificadores de áudio com toda a potência.

A fidelidade obtida é excelente, já que não existem elementos no circuito que possam causar distorções.

Desta forma, a qualidade de áudio depende exclusivamente do amplificador usado.

 

MONTAGEM

Na figura 1 temos o diagrama completo deste sintonizador.

 

   Figura 1 – Diagrama do sintonizador
Figura 1 – Diagrama do sintonizador

 

Sua montagem numa pequena placa de circuito impresso, que pode ser alojada numa caixa plástica juntamente com as pilhas ou bateria, é dada na figura 2.

 

Figura 2 – Placa para a montagem
Figura 2 – Placa para a montagem | Clique na imagem para ampliar |

 

O consumo de corrente da unidade é muito baixo, o que possibilita o uso de baterias de 9 V.

Os resistores são de 1/8 W e a bobina L1 deve ser enrolada num bastão de ferrite de aproximadamente 0,8cm de diâmetro com 10 a 20 cm de comprimento.

Enrolamos 100 voltas de fio 28 AWG com derivação na 25° ou 30ª espira do lado de terra.

O variável é do tipo de rádio AM com capacitância máxima da ordem de 300 pF e o diodo D1 deve ser, obrigatoriamente, de germânio, como o 1N34, para maior sensibilidade.

Os capacitores são todos cerâmicos.

A ligação do sintonizador ao amplificador deve ser feita por meio de fio blindado.

Um jaque RCA neste cabo permite a conexão na entrada AUX do amplificador.

Uma aplicação interessante consiste na utilização de gravadores cassete como rádios, já que podemos ligar este circuito na entrada do microfone e colocar o gravador na posição de monitoria, quando então teremos a reprodução (sem gravar) do som da estação.

 

PROVA E USO

Para estações locais mais fortes a antena consiste num pedaço de fio de 2 a 3m, estendido.

A ligação à terra pode ser feita em qualquer objeto de metal, inclusive o terra do amplificador, se ele não for alimentado por pilhas.

Para estações fracas deve ser usada uma antena externa mais longa.

Ligando a unidade na entrada de um amplificador e atuando sobre o variável as estações locais mais fortes devem ser captadas com clareza.

Se houver ronco, verifique a blindagem do fio de conexão ao amplificador.

Se houver distorção altere o valor de R2 até obter um som puro.

Ajuste o volume do amplificador para a melhor qualidade de som possível.

 

Q1 - BC548 - transistor NPN de uso geral

D1 - 1N34 ou equivalente - diodo de germânio

L1 - bobina - ver texto

CV - variável para AM - ver texto

B1 - 6 ou 9 V - pilhas ou bateria

C1, C3 – 100 nF - capacitor cerâmico

C2 - 1n2 - capacitor cerâmico

R1 - 2M2 x 1/8 W - resistor (vermelho, vermelho, verde)

R2 - 10k x 1/ 8W - resistor (marrom, preto, laranja)

Diversos: placa de circuito impresso, caixa para montagem, suporte de pilhas ou conector de bateria, antena, bastão de ferrite, fios esmaltados 28 AWG para enrolar a bobina, solda, etc.

 

 

AMPLIFICADOR DE MÉDIA POTÊNCIA

Esta excelente etapa transistorizada pode fornecer alguns watts de saída num alto-falante de 4 ohms, servindo de base para diversos aplicativos, tais como um reforçador para gravadores cassete, um intercomunicador ou porteiro eletrônico, reforçador para walkman etc.

É claro que existem integrados dedicados que podem fazer o mesmo que este circuito, mas sua divulgação justifica-se pelo fato de podermos aproveitar componentes de sucata ou mesmo transistores que são mais fáceis de serem encontrados e admitem equivalentes.

O circuito pode ser alimentado com tensões de 9 a 12 V o que permite sua utilização inclusive no carro.

 

O Circuito

O circuito consiste numa etapa de saída em simetria complementar com 4 transistores, sendo o 5º (Q1) usado na estabilização de corrente, em função da temperatura.

Este transistor deve ser montado junto ao radiador de calor dos transistores Q4 e Q5 para compensar o circuito com a elevação da temperatura.

Para excitação temos P1, que controla o nível de sinal (que deve ser relativamente alto).

Isso significa que devemos usar este circuito com fontes de alguma potência, como nas aplicações indicadas, e para o caso de fontes de baixa intensidade precisaremos de um pré-amplificador.

 

MONTAGEM

Na figura 3 temos o diagrama completo deste amplificador.

 

   Figure 3 – Diagrama do amplificador
Figure 3 – Diagrama do amplificador

 

Na figura 4 temos a nossa sugestão de placa de circuito impresso.

 

   Figura 4 – Placa para a montagem
Figura 4 – Placa para a montagem

 

Os resistores são todos de 1/8 W exceto R6 e R7, que devem ser de ½ W.

Os transistores Q4 e Q5 devem ser dotados de radiadores de calor e admitem equivalentes como o TIP29 e TIP30.

Os capacitores eletrolíticos são para 16 V ou mais e C2 pode ser de poliéster ou cerâmica.

 

AJUSTE E USO

Na saída do amplificador deve ser ligado um alto-falante de 4 ohms de boa qualidade (pelo menos 10 cm), numa pequena caixa acústica.

A fonte de alimentação deve ser capaz de fornecer pelo menos 500 mA.

Ligue em série com a alimentação um miliamperímetro (multímetro na escala mais alta de corrente) e ajuste P2 para uma corrente de repouso da ordem de 500 mA.

Depois é só aplicar o sinal na entrada e ajustar P1 para obter a maior potência de saída sem distorção.

O volume passará a ser controlado no próprio aparelho que servir de fonte de sinal como, por exemplo, o gravador, rádio ou walkman.

Para uma versão estéreo devem ser montadas duas unidades alimentadas pela mesma fonte (de 9 a 12 V).

 

Q1, Q2 - BC548 ou equivalentes transistores NPN de uso geral

Q3 - BC558 ou equivalente - transistor PNP de uso geral

Q4 - BD136 - transistor PNP de média potência

QS - BD135 - transistor NPN de média potência

P1, P2 - 47k - trimpots

R1 – 10 k x 1/8 W - resistor (marrom, preto, laranja)

R2, R3 - 22k x 1/8 W – resistores (vermelho, vermelho, laranja)

R4, R5 - 4700 x 1/8 W – resistores (amarelo, violeta, marrom)

R6, R7 - 2,2 ohms x ½ W – resistores (vermelho, vermelho, dourado)

C1 – 100 uF x 16 V - capacitor eletrolítico

C2 – 10 nF - capacitor cerâmico ou de poliéster

C3 – 1 000 uF x 16 V - capacitor eletrolítico

FTE - alto-falante de 4 ou 8 ohms

Diversos: placa de circuito impresso, radiadores de calor, caixa para montagem, fonte de alimentação, fios, cabo de entrada com plugue segundo a fonte de sinal etc.

 

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia