Determinação do fundo de escala de um instrumento analógico (INS665)

Um problema que pode surgir quando aproveitamos componentes de sucata ou mesmo compramos pela internet é a não especificação do fundo de escala de um galvanômetro, microamperímetro ou miliamperímetro. Como descobrir qual é essa corrente usando um multímetro comum é o que veremos neste artigo que também tem um vídeo associado.

Muitos instrumentos analógicos do tipo microamperímetro, miliamperímetro ou galvanômetro podem não apresentar indicações em sua escala da intensidade da corrente que provoca o movimento da agulha até o final da escala, ou seja, a corrente de fundo de escala.

 Instrumentos desse tipo podem ser encontrados à venda na internet, ou aproveitados de aparelhos de som ou de painel de muitos equipamentos, conforme mostra a figura 1.

 

Figura 1 – Instrumentos comuns
Figura 1 – Instrumentos comuns | Clique na imagem para ampliar |

 

 

Montamos então um circuito de prova em que ligamos em série com o medidor em teste uma fonte de 3 a 6 V (2 ou 4 pilhas), um potenciômetro de 100k ohms e um resistor de 1 k ohms. Na verdade, conforme o instrumento pode ser experimentado um valor menor para o potenciômetro de modo a facilitar o ajuste fino da corrente.

Na realidade, esses valores são para um instrumenro típico de 200 uA a 1 mA de fundo de escala. Se com esses calores não for possível medir os valores, conforme veremos, alteramos tanto o resistor como o potenciômetro, pois o fundo de escala do instrumento será maior do que 1 mA. Temos então o circuito mostrado na figura 2.

 

 

Figura 2 – O circuito de teste
Figura 2 – O circuito de teste

 

 

 

Procedimento:

 

a) Faça as conexões indicadas para o multímetro, colocando-o inicialmente numa escala mais elevada de correntes (DC mA). Observe a polaridade de sua conexão no circuito de teste. Se houver inversão, a agulha tende a deflexionar ao contráio do esperado.

 

b) Ligue o circuito e ajuste P1 até que a agulha do instrumento que está sendo testado vá até o final da escala.

 

c) Procure uma escala do multímetro ou do instrumento usado na leitura da corrente em que possa ser obtida uma leitura confortável.

 

Interpretação da Prova

A corrente indicada pelo multímetro usado no teste é a corrente de fundo de escala do instrumento que está sendo testado.

Para os instrumentos que possuem zero no centro da escala vale o mesmo. A agulha do instrumento em teste deve ir para os extremos à direita ou esquerda quando ajustamos o potenciômetro e então podemos ler no multímetro a corrente de fundo de escala.

Na foto, a montagem do autor, mostrando que para seu microamperímetro, o fundo de escala é obtido quando o potenciômetro de 100k é ajustado para se obter uma corrente de 200 uA (A escala escolhida do multímetro vai até 2,5 mA) – figura 3

 

Figura 3 – A montagem do autor
Figura 3 – A montagem do autor

 

 

Observação:

Lembramos que alguns instrumentos já possuem resistências multiplicadores ou shunt que devem ser removidos para que conheçamos suas reais características.

Por exemplo, podemos ter um miliamperímetro com 20 mA de fundo escala e ele terá um instrumento que, ao se retirar o shunt, constatamos ser de 1 ou 2 mA de fundo de escala.

Em alguns casos, o shunt consistem numa resistência de fio que é encaixada e parafusada ou ligada externamente nos terminais, conforme mostra a figura 4.

 

 

Figura 4 – Shunt num instrumento analógico para medida de alta corrente
Figura 4 – Shunt num instrumento analógico para medida de alta corrente

 

 

Para saber mais veja nosso livro: 

Os Segredos no uso do Multímetro

 

 

Veja Mais

Como Testar instrumentos de bobina ou ferro móvel (galvanômetros) (INS049)

 


Opinião

Novos tempos (OP213)

O mundo mudou. Depois da pandemia e também da guerra na Ucrânia o mundo será outro. Estamos presenciando e percebendo isso. Já não somos mais os mesmos.

Leia mais...

Localizador de Datasheets e Componentes


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Podcast INCB Tecnologia